mnemosyne

“Fala-se hoje de um «renascimento» de Aby Warburg  para designar o interesse crescente pela sua obra e para reconhecer que ela terá finalmente chegado ao momento da sua legibilidade. Este «renascimento» não é motivado por um interesse arqueológico mas pela descoberta de que todo o trabalho de Warburg – as suas elaborações teóricas, as suas investigações historiográficas, a constituição de uma biblioteca que o ocupou a vida inteira – são um contributo importante para pensar a história da arte, isto é, tanto a disciplina assim chamada – nos seus métodos, nos seus pressupostos – como a própria historicidade das obras de arte. E, de maneira mais alargada, para pensar o vasto campo das «ciências da cultura».” 1

1-António Guerreiro e Mathias Bruhn (o Inglês é péssimo mas compreensível)

Warburg Institute

Desenho a carvão de João Decq, cousin, bro inesquecível, companheiro no estrangeiro, Papá há uma semana. Parabéns! Foi ele que me apresentou à obra de Warburg.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 respostas a mnemosyne

  1. Interessantíssimo, obrigado.

  2. A B Lopes diz:

    Vi referências ao Warburg há mais de cinco anos na blohgosfera numa busca.
    Em Portugal é pouco lido, mas em Portugal é tudo pouco lido.

  3. ezequiek diz:

    obrigado pelos comentários, Ángel e A B Lopes.

    Pois, AB Lopes, eu tb só fiquei a conhecer (muito superficialmente) a obra de Aby Warburg depois de conversar com o João. Consta que este é o melhor dos estudos da obra em causa. Ainda não o li.

    http://www.amazon.com/Warburg-Image-Motion-Philippe-Alain-Michaud/dp/1890951404/ref=sr_1_4?ie=UTF8&s=books&qid=1222978196&sr=1-4

    cumps,
    ezequiel

Os comentários estão fechados.