Um anúncio deplorável? Ou não?


Sim; todos sabemos que JFK era uma farmácia ambulante e que FDR escondeu os seus problemas de saúde. Mas basta pensar em Palin como a criatura mais poderosa do planeta para concluir que talvez a questão posta por este anúncio seja legítima.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

15 respostas a Um anúncio deplorável? Ou não?

  1. The Studio diz:

    É o jogo limpo dos Democratas a contrastar com o jogo sujo dos Republicanos. Curiosamente a Palmira Silva ainda não comentou. Deve andar muito ocupada pelo google a tentar encontrar textos sobre o dia em que a cor da saia da senhora Palin não condizia com a cor da blusa, para escrever mais um “post” de nível sobre a senhora Palin.

  2. ezequiel diz:

    O Matt Damon tem toda a razão.

  3. LA-C diz:

    Espero que Obama se demarque imediatamente deste anúncio.

  4. PDuarte diz:

    tão rasteiro. são só pontos para os republicanos.

  5. Pedro diz:

    Porquê essa indignação, LA-C? Ou a saúde de um presidente dos Estados Unidos é uma questão meramente privada e deve ser colocada ao mesmo nível das suas eventuais infidelidades conjugais?

  6. Maria João Pires diz:

    Respondendo à tua pergunta: é um anúncio deplorável, sim.

  7. terivel diz:

    ???? Eu que na contenda torço por McCain não estou a perceber a repugnância do assunto. Porque não há de ser a saúde do candidato matéria de discussão política? Se, hipotéticamente, um qualquer candidato tivesse e soubesse que a sua esperança de vida seria de apenas mais 2 anos de vida, seria legitimo e ético esconde-lo dos eleitores que perspectivam elege-lo para uma legislatura com duração superior? E não poderá ser isso matéria de escurtinio público quando existe matéria que pode questionar essa longevidade ou a possibilidade de oculta-la? Sinceramente, não vejo qual seja o problema.

  8. CAA diz:

    Realmente é deplorável.

  9. Luis Rainha diz:

    Salvo erro, ele seria o presidente mais idoso a tomar posse. Juntando a isso os episódios oncológicos,. parece-me pelo menos justificável que os seus votantes queiram conhecer o estado da sua saúde.

  10. Pedro diz:

    Mas deplorável, exactamente porquê? Os eleitores não têm o direito de saber se um candidato a presidente tem condições físicas para exercer o seu mandato?

  11. A objectividade dos factos nunca foi uma coisa para ser tratada como deplorável ou não. Está ali. O futuro não é só dele é de quem ele se compromete representar os interesses tb. (Era como se o Sócrates se candidatasse a primeiro Ministro ( com o risco qq de doença “fatal”, ((( q fique com mto boa SAúde!!!, a pesar de n simpatizar-visceralmente com a sua teimosia das co-incinerações na Arrábida!!))) e quem o secundasse fosse o Ilustre Paulo Pedroso ou um Manuel Alegre). A partir do momento em que abraça o compromisso de representar terceiros, – ou ainda acham que o srZinho Sampaio fez bem em voltar as costas ao Papa Carol? -, o assunto Saúde diz respeito a todos. Engraçado!: os momentos de recreio na Sala Oval terem despertado mais animosidade deplorável, sem ninguém se ter indignado assim muito com o transformarem o assunto em coisa Internacional quando devia ter ficado, quanto muito, entre 3 pessoas.

  12. CAA diz:

    «Mas deplorável, exactamente porquê? Os eleitores não têm o direito de saber se um candidato a presidente tem condições físicas para exercer o seu mandato?»

    Não é isso que está em causa nesse anúncio – trata-se, apenas, de propaganda com um sentido único: não votem em McCain porque ele é velho e doente.

    Não tem ideias, nem sequer em aproximação negativa. É intuito persona, só visa o estado físico do candidato. É pequenino.

  13. Pedro diz:

    O CAA diz que “só visa o estado fisico do candidato”. Mas não conseguiu provar que isso nao é matéria eleitoral. Tem que ter ideias? A ideia, como é óbvio, é que um candidato assim tem um handicap.

  14. jlcr diz:

    Com este não haverá escândalos Lewinski.
    Nem com Viagra lá vai.

Os comentários estão fechados.