Já não há cu

O Público já vai, salvo erro, na terceira “notícia” sobre a “misteriosa” gravidez da ministra francesa, o Expresso resolveu também noticiar o candente assunto. Francamente, depois dizem mal da revista Maria. Qual é o interesse político e noticioso da gravidez da senhora?
Confesso que estou farto das questões de moral na política. É, para mim, claro que a correcta política é aquela que separa a moral das pessoas das imposições do Estado e das proclamadas “maiorias morais”.
Acho cretino alguém fazer argumentário político acerca da gravidez da filha adolescente da candidata republicana. Estou-me nas tintas que a criatura, em questão, seja casada, divorciada , queira abortar ou não. Isso é um problema dela – Por mim, ela até pode cantar salmos à criancinha e oferecer um RPG-7 como prenda de baptismo.
Nas eleições dos EUA é importante que mulheres e negros sejam candidatos, porque isso demonstra que determinados impedimentos sociais estão a perder força. Mas uma mulher candidata ou um homem negro na presidência não são a garantia, à partida, de um poder melhor. Há um efeito simbólico importante, com repercursões sociais, se um negro ou uma mulher forem eleitos para os mais altos cargos dos EUA, mas isso não é tudo. A governadora do Alasca é uma péssima vice-presidente porque a sua eleição vai significar a manutenção das políticas económicas que aumentam as desigualdades, o reforço da política das canhoneiras no terreno internacional e o continuar da política de negação dos impactos catastróficos do aquecimento global. O senador Obama só será um bom candidato se mudar este rumo. Não há nenhuma garantia que o faça. Apenas esperança.

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

15 respostas a Já não há cu

  1. O problema é que não há falta de imaginação para ele 😉

  2. Paulo Nuno Pato diz:

    Sr.Almeida,será que o Sr não têm sentido de humor?
    Abraços
    Pato

  3. Luis Moreira diz:

    Quanto à filha da Sra Palin, o interesse é só porque a mãezinha está muito preocupada com o sexo antes do casamento, das filhas dos outros.
    Quanto à ministra o meu interesse é o de sempre.Mas porque é que eu estou sempre arredado das paixões destas mulheres lindas e interessantes?(vá,não sejam tentadas por piada fácil…)

  4. Nik diz:

    A imprensa portuguesa não tem personalidade, nem carácter, nem coisas deste género ainda mais elementares. Há uma imitação servil e deslumbrada da porcaria que ocupa os media nos países que nos servem de ‘modelo’. O cúmulo da pateguice descaracterizada e despersonalizada agora é falar, pensar, vestir, cantar, assobiar e reagir americanamente. Passámos da saloiada nacional-católica do Salazar para a macaquice americanófila. Mete nojo.

  5. ezequiel diz:

    nem mais, Nuno.

  6. Nick!
    Não vai ao Dloclisboa, pois não?
    Experimente ir e espreite! Por acaso, nas américas há um senhor chamado Ross McElwee! É! Das américas há muita coisa boa, muito, mesmo muito boa. Tem andado a ver é as coisas erradas….

  7. Sotnas diz:

    O facto de termos um candidato à vice-presidência norte-americana pelo partido republicano que é mulher e um candidato à presidência pelo partido democrata que é negro, é justo apenas e só porque mais de 50% da população norte-americana são mulheres e porque uma percentagem também bastante elevada de norte-americanos são negros.
    Para além disso, nada é diferente do que seria se o candidato à vice-presidência pelo partido republicano fosse um homem ou o canditato à presidência pelo partido democrata fosse um branquinho anglo-saxónico.
    Não é pelo facto de se ser mulher que se é melhor governante, nem também pelo facto de se ser negro.
    Quanto às personalidades e ideias políticas destes dois indivíduos, Pallin não me agrada nem um pouco, relativamente a Obama fica a esperança mas com muito pouca ilusão. Contrariamente a uma certa esquerda europeia que por aí anda a embandeirar em arco, não creio que Obama, caso seja eleito, venha a ser uma pedrada no charco quer na política interna, quer na externa.
    Gostaria de estar enganado mas será, provavelmente, mais do mesmo!

  8. Coelho diz:

    A relevância da gravidez é só esta: fazer o confronto entre as propaladas convicções e opiniões de um político com aquilo que depois se passa na sua vida privada.
    Um político ter um “affair” é assunto? Para mim não. Mas já o será se esse político fizer sua a bandeira contra a infidelidade conjugal.

  9. Este Coelho, nem à caçador, chiça!
    O que tem o cu a ver com as calças?

  10. Luis Moreira diz:

    D´A Y P, tem a ver com com o cu e com as calças!Pois se ela diz que é contra o sexo fora do casamento e a filha que é solteira, está grávida!!! Vamos depois acreditar que o que ela diz como VP é para levar a sério?

  11. E como é que ela participou na gravidez da filha? Com algum dildo, foi?

  12. Luis Moreira diz:

    Oh! D`A nem eu me atrevo a dizer que a Sarah é tão má mãe que não topa que a filha anda a dormir com o rapazola ! E não vê nada do que se passa com a filha de 17 anos,ela que está tão preocupada com as filhas dos outros?

    Y Payva, a Palin não é tão má como você a pinta! Quer você que uma dona de casa destas que não consegue controlar a própria família, controle os US? Dildo? Você não sabe que com ela é tudo “religião e moral”? È pá, será por ser sábado á noite?.

  13. Coelho diz:

    Ó D’Athayde, sabes a quem é que os moralistas como a Srª Pailin imputam a responsabilidade a estas gravidezes adlescentes? Aos paizinhos que não sabem educar e controlar os filhinhos.
    Se tiveres dúvidas vê o vídeo dpo Daily Show publicado no Arrastão, ou no Zero de Conduta.
    Pode ser que aí percebas o que tem o cu a ver com as calças.

  14. GL diz:

    Mas diga-me uma coisa, ainda lê o Público? Como consegue? Não encontra melhor leitura?

Os comentários estão fechados.