a primavera acabou há 40 anos

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

20 respostas a a primavera acabou há 40 anos

  1. Carlos Vidal diz:

    Dirigido pela excelentíssima F. Câncio, já todas as efemérides servem para este blog exibir o seu anticomunismo mentecapto. É preciso travar o avanço eleitoral da esquerda (não ponha aqui o P”S”) neste país chamado portugal, não é? Não há mais efemérides ? Vá lá encore un effort. O que bebia Brejnev (um imbecil, sem dúvida) ao deitar? Sangue do Gullag ? E Robespierre? Ah, o horror, o horror, como diria a sra. Câncio! Neste caso, o terror, o terror! Ah, os comunistas a estrangularem a democracia de Praga. Ah, 1968! Malditos. E os cubanos – esses nem se fala. Uma ideia: faça um boneco dos seus em torno do primeiro computador português. Eso si, es un hombre, como diriam os meus saudosos situacionistas. Sabe o que era o situacionismo? Horror dos horrores, dirá a chefe deste blogue.

  2. Luis Moreira diz:

    Primavera?Aqui chovem raios,coriscos e trovões!Vou sair ràpidamente e em força!

  3. f. diz:

    eh pá, qual dos meus empregados é que autorizou este comentário? tribunal plenário para retractação e chicoteamento público, já. a família perde o apartamento novo e vai viver para um pardieiro. ass: a chefona do blogue (este carlos vidal é que nos topa, gajada)

  4. Só posso dizer: obrigado, Carlos Vidal. Este dia passará a ser comemorado.

  5. f. diz:

    olha-m este. rogério, queres perder o emprego, é?

  6. a f. está com um feitio de quem bebeu sangue do gulag.

  7. Antónimo diz:

    Carlos Vidal deve ter caído do céu e chegado hoje ao blogue. Esticando-me, admito que até tenham um ou outro anticomunista mentecapto, embora a tendência não seja essa. De qualquer forma, não é essa, de certeza absoluta, a tendência do Pedro Vieira. Aliás, parece-me bem, que Brejnev e Kruschev tinham tendências anticomunistas mentecaptas, em 56 e em 68.

  8. Miguel Botelho diz:

    A campanha anti-comunista em Portugal ainda não acabou. Falta ainda escrever muito. Enquanto isso, os Estados Unidos vão construíndo mais bases militares no Mundo, vão experimentado as suas armas nucleares, vão torturando prisioneiros, impondo as suas guerras e modificando o planeta ao seu gosto. Sobre os Estados Unidos, não pode haver críticas, é claro. É aquilo a que podemos, talvez, chamar de “tendência da direita”.

  9. Luis Rainha diz:

    Mas agora ser anti-imperialista é ser anti-comunista? É malta assim que dá mau nome ao PCP.

  10. Carlos Vidal diz:

    Deuses meus, pouco ou nada sei do PCP – aprecio a coisa, agora, e muito: porque é preciso que nasça um anti-socratismo feroz, e mais nada. De resto, julgo ser preciso citar muito, como dizia o meu mui querido Guy, o sempiterno Debord. E este gostava da citação, da boa citação: “devemos dizer a verdade na nossa própria língua; na do inimigo deve reinar sempre a mentira”. É preciso dizer que este blogue está do lado do “inimigo”? Julga a sra. C. que digo sempre a verdade na sua língua ?? Não sei quem a sra. é nem o que faz, nem para quem trabalha (DN, julgo), nem se trabalha. Mas, agora vou eu trabalhar – uns escritos pendentes, etc.

  11. Antónimo diz:

    Manifestamente, Carlos Vidal e Miguel Botelho andam um bocado deslocados em relação às tendências maioritária do v. blogue. Terão chegado de algum retiro e só apanharam o rogério ou simplesmente não sabem ler? Pelos comentários que se vêem em tanto sítio também pode acontecer.

  12. Obrigada Carlos Vidal, de posta em posta até à vitória final! 20 de Agosto, sempre! Nem mais uma posta censurada – leia-se, anti-PCP – pró blogue! Botas Prada nunca mais! (ouvisteS bem, kamarada em chefe?).

  13. Carlos Vidal diz:

    Muito injusto, muito injusto esse comentário que me põe numa posição anti-Prada, ou lá o que é (até posso gostar mais de sapatinhos Armani, oh que banalidade!). Mas vamos lá, a Fondazione Prada realiza belíssimas exposições: históricos – Louise Bourgeois e Dan Flavin (minha selecção e parabéns à Miuccia !!); mais recentes – o mui admirado Francesco Vezzoli e o muito melhor Steve McQueen (o melhor artista da “Documenta 11”, sem dúvida – a sua descida aos infernos de uma mina sul-africana é um dos vídeos mais impressivos das últimas décadas); ainda Thomas Demand e Carsten Höller (inteligente a sua ocupação do Turbine Hall da Tate em 2007 – os seus escorregas proporcionavam experiências de instabilidade e deslizamento espacial únicas). Enfim, viva Prada, com ou sem botas! Quanto ao resto, não sou muito admirador do mês de Agosto. Se calhar, gosto mais de Outubro (por causa da “October”).

  14. Carlos Vidal diz:

    Ah, outra coisa: a f. (pelos comentários) parece-me estar a perder sentido de humor. Por aqui, já teve melhores dias.

  15. Carlos Vidal diz:

    E, terminando, quanto à “Primavera de Praga”: a URSS fez o que tinha a fazer, obviamente.

  16. joséjosé diz:

    …Hoje o pessoal do 5 dias encontrou o seu padeiro(Carlos Vidal) de Aljubarrota?

  17. Antónimo diz:

    Carlo Vidal até pode não ser anti-prada e pró-Outubro (como eu, aliás), mas saberá ler um blogue?

  18. Miguel Botelho diz:

    Já agora que ainda estão aí a atirar o vosso fel contra os comunistas (e as vossas provocações) vejam estas imagens do Iraque hoje: http://facesofgrief.blogspot.com/ E não se esqueçam daquilo que os Estados Unidos, esse império que vocês não podem e nem devem dizer mal, faz aos povos deste planeta. Não se esqueçam, também, de escrever acerca da prisão do índio americano, Leonard Peltier, numa cadeia americana há cerca de 32 anos. Pois, mas isso é melhor não escrever, nem investigar, porque pode levar a uma reprimenda do patrãozinho.

  19. Antónimo diz:

    Miguel Botelho, vá ler o blogue do pedro vieira e leia este com atenção. se mantiver a mesma opinião – se souber ler duvido que a mantenha – volte à carga. você e carlos vidal não sabem o que dizem. tentem antes o insurgente ou o blasfémias se quiserem ter um bocado de razoabilidade que seja nessas afirmações que, aqui, não têm qualquer correpondência com a realidade.

  20. Miguel Botelho diz:

    Antónimo, a vossa realidade, na realidade, chama-se ficção. Continue a fugir à realidade e não se esqueça de apagar os crimes praticados no Iraque, no Afeganistão e na Palestina. Continue a esquecer e a fazer de conta que a realidade não existe.

Os comentários estão fechados.