um acto de descompressão e um convite à reflexão #2

a impressão que se tira da análise categorial dos animais mencionados é que os pretendentes foram escolhidos em função de uma limitada diferenciação visual e de uma aparente proximidade comportamental com a carochinha. assim, o princípio de que o casamento é uma união de seres ontologicamente idênticos, não funciona nesta história porque ela tem como intenção demonstrar a inviabilidade da associação matrimonial entre animais de espécies diferentes, que partilham do mesmo espaço vivencial.

in “vida/morte e diafania do mundo na história da carochinha”, edições universidade católica

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 respostas a um acto de descompressão e um convite à reflexão #2

  1. Luis Moreira diz:

    Então não é a “sorte” e o “azar” ? Estava eu tão em paz com essa história…

  2. Uhmmmmmmmmm …
    Extraterrestres Apareçam!

  3. My thoughts exactly, pessoa de mãe de livres hábitos. Se dependesse destas opiniões andávamos todos a “casar” com primos, que como sabemos é estratégia muito recomendável.

Os comentários estão fechados.