Maravilhas da democracia

O governo checo persiste na sua determinação de instalar uma base dos sistema anti-mísseis norte-americano no seu território, apesar de 70 por centos dos checos estarem contra. Um porta-voz do executivo de direita afirmou que “a política de segurança é demasiado complexa para poder ser decidida pelas populações”.
Nicolas Sarkozy quer que os irlandeses repitam o referendo até sair um “sim”.
Sábias criaturas, a democracia só serve para fazer escolhas profundas como a cor dos cortinados. De resto, é fundamental que as populações sejam afastadas de qualquer decisão estratégica e muito complicada para o seus neurónios. Felizmente que há sempre gente preparada e ligada aos interesses correctos que deve escolher pelo bem dessa massa ingnara e ignorante que é o povo.
A política real vive no paradigma do “meu filho quer queiras ou não hás-de ser um bombeiro voluntário”.

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

13 Responses to Maravilhas da democracia

Os comentários estão fechados.