e os munícipes que skôdam

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

7 respostas a e os munícipes que skôdam

  1. Luis Moreira diz:

    O meu tio Alfredo ( 85 anos,50 kgs,1,50m,poeta popular e presidente de Junta) costuma dizer quando está zangado: Que se cozam!

  2. corvo diz:

    Enganou-se no boneco, deveria ter feito a caricatura do Marcos Perestrelo, ou desconhece que quem autoriza a utilização dos espaços publicos, e até negociou o contrato foi o vereador Marcos Perestrelo do PS.

    Critiquem o Sá Fernandes se houver motivo para isso, mas não distorção os factos….

  3. Sendo a cidade, desde a sua constituição enquanto tal, o centro das mais importantes dinâmicas sociais transformadoras e de reunião das populações, as praças e espaços públicos são o primeiro elemento urbano que os regimes autoritários tendem a procurar dominar.
    A venda temporária da Praça das Flores a uma empresa de automóveis, por despacho conjunto dos vereadores Perestrello (PS) e Sá Fernandes (BE), para além de impedir o direito ao descanso de quem vive nas sua imediações atenta contra o direito à livre utilização do espaço público. Nenhuma eleição legitima esta venda.

  4. Quinta do Infantado diz:

    Tiago Mota Saraiva, ainda esta tarde passei uma hora na esplanada do Pau de Canela, e depois fui conversar com uns idosos que estavam no Jardim da Praça das Flores, tudo sem quaisquer contragimentos.

    Aliás barulho na zona, há e muito, a começar no restaurante das sevilhanas e a acabar nas noitadas do Finalmente….

  5. espumante diz:

    Façam como diz o comentarista “Corvo”. Não distorção. Eu, por mim, receio que muitos destorçarão-se.

  6. AntónioG diz:

    Sabiam que “skoda” em checo quer dizer: “dano, desvantagem ou perda”. E que a expressão “to je skoda” quer dizer “é uma pena!” ?
    Consta nas Juntas de Freguesia que o vereador Sá Fernandes tem uma série de propostas semelhantes.

Os comentários estão fechados.