O grande vencedor do debate da SIC….é

…Patinha Antão. Tem duas grandes qualidades : esteve no PCP e candidata, para a direcção, um morto. Espero que a moda pegue. Estou convencido que o PSD tal como o governo estariam muito melhor entregues aos mortos. Os outros candidatos não surpreenderam, Pedro Passos Coelho e Santana Lopes a mesma insustentável leveza do ser. A propósito, alguém explica ao Passos Coelho que o Estado são, entre muitas coisas, as escolas, os hospitais, as estradas, os polícias e os bombeiros… e que Portugal não tem Estado a mais, tem Estado a menos. Basta viver fora da betolândia para perceber isso. Finalmente, tive pena que Manuela Ferreira Leite não tivesse ido ao debate.

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

23 respostas a O grande vencedor do debate da SIC….é

  1. j diz:

    Eu acho é que Manuela Ferreira Leite está “morta” por perder as eleições, para que se possa safar deste frete.

  2. j diz:

    O Rui Rio mandou uma piada a dizer que ainda vai ter que apagar o fogo no PSD, tendo dito a piada numa cerimónia dos bombeiros.
    E estes comentadores na SICN, que estou agora a ouvir, sobretudo a directora do Semanário Económico (qualquer coisa Lopes, este nome “lopes” já enjoa…) não acharam piada.
    Eu achei…!

    Quem não tem piada é Mário Bettencourt Resendes, porque fala, fala, e não diz nada.
    Quanto ao Luís “Lopes” Delgado, já nem o posso ouvir… de óculos.

    Que (rico) trio.
    Sem falar na jornalista, que até dá sono.

  3. PPM diz:

    Quem é o morto do Patinha?

  4. j diz:

    Ahhhhhhhhh…!
    O Mário Bettencourt diz que o próximo líder do PSD vai ser um líder fraco.
    Que grande novidade.
    E estou eu a ouvir este pessoal…!

  5. j diz:

    Ora aqui está um boa “piada”:
    «Conselheiro da Jurisdição do PSD considera “vergonhoso” que Patinha Antão tenha incluído nome de um militante falecido na lista de candidatura»
    Li no “Instante Fatal”

  6. j diz:

    «Quem é o morto do Patinha?»

    A notícia não diz quem é, mas diz que também tem “dois ex-militantes”: «(…) mas Patinha Antão era aquele que mais irregularidades comportava, não só porque foi o único que apresentou o nome de uma militante já falecido, o que significa que houve falsificação de assinatura, o que é crime, como apontava um militante social-democrata, mas também porque incluiu o nome e assinatura de dois ex-militantes (…)». No Público online.

    Se não estou em erro o crime de falsificação não é de natureza pública, ou seja, acho que depende de queixa.
    Mas, seja qual for a sua natureza do crime de falsificação, acho que era decente (para não dizer outra coisa) que esta merda fosse para o Ministério Público.
    Naturalmente, por iniciativa do próprio Conselho de Jurisdição do PSD.

    Francamente… que palhaçada.

  7. Como se ter pertencido no passado ao PC, fosse algum cartão de visita recomendável… enfim, a esquerda do Lux e do sushi-sushi, derrete-se de gozo com a perspectiva de deixar de existir oposição. É disso que se trata e seria honesto assumirem a pretensão. Basta raspar um pouco o verniz, para surgir logo a carantonha mumificada do Lenine ou ainda pior. Tenham juízo!

  8. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Nuno Castelo-Branco,
    Se o comentário é para mim, prefiro sushi-sashimi. E tem toda a razão, não é muito recomendável ter sido do PCP e estar no PSD. Ter ficado no PCP era muito mais sério.

  9. Mais sério e sobretudo, bastante inútil. Há que ter sentido prático das coisas e aqueles senhores adormeceram há 120 anos.

  10. Pingback: Arrastão: Os quatro

  11. O Nuno reparou que para Passos Coelho tudo tem a ver com investimento, e crescimento, e bla bla bla? Ainda se admiram os seus apoiantes – e que apoiantes! – que lhe chamem teórico. Ora, por que será?

    Cumprimentos de um conservador que gosta de o ler e que já tinha dado conta da sua ausência nos últimos tempos (estou a falar na terceira pessoa porque estive a ler o blogue de Santana Lopes a apoiar Santana Lopes).

  12. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Nuno Castelo-Branco,
    Essa é uma das vantagens do comunismo: ter adormecido há 120 anos. O capitalismo, infelizmente, não dorme.
    E estou de acordo consigo não há como a inteligência brilhante dos candidatos do PSD para que a nossa vida intelectual atinja o seu zénite. É tudo discursos repletos de conteúdo. A pátria está salva. Vou dormir descansado.

    Caro Casca de Carvalho,
    Bem observado, não há como estes debates para a produção nacional insuflar a golpes de efabulação.

  13. rms diz:

    Beto, ele? nã….

  14. toni diz:

    estado a menos?
    portugal tem estado a menos?
    o que é a betolandia?
    o nuno ramos de almeida mora onde? em marvila?
    em marvila ha estado a menos e em cascais estado a mais, é isso?
    quem é esta gente?
    esta gente tambem vota?

  15. The Studio diz:

    “Santana Lopes a mesma insustentável leveza do ser”: Mas que grande profundidade de análise !! Alguém explica ao Nuno que o Estado não são só “as escolas, os hospitais, as estradas, os polícias e os bombeiros”, e que quando o Passos Coelho se refere ao “Estado a mais” não se refere evidentemente às escolas e hospitais?

  16. maremoto diz:

    Pelos comentários se vê “ao estado a que isto chegou”.

  17. The studio,
    deve-se estar certamente a referir à bandeira e ao hino, pq quando gente como você e o seu Coelho de estimação dizem querer cortar nas despesas dos Estado, o resultado é sempre menos escolas, menos serviço nacional de saúde e menos apoios sociais. É a converseta do costume, o que vale é que ninguém já acredita. Nem vocês.

  18. RAF diz:

    Estado a menos?????? Xiça, que ainda morro como o amigo do Patinha…

  19. Pingback: 5 Dias, um blogue impróprio para cardíacos « O Insurgente

  20. cm diz:

    Sou eu o morto do Patinha!

  21. Pingback: EsgrAvatar » Blog Archive » Uma ideia a reter

  22. Ricardo Santos Pinto diz:

    Mas algum dia alguém chamado Patinha podia ter aspirações a ser primeiro-ministro? Ainda por cima Patinha Antão!
    Era como se alguém com o nome de um filósofo grego do século V a. C., que nem se sabe se terá existido mesmo, também quisesse ser primeiro-ministro! A menos que esse nome soasse melhor, «mais fino», do que um simples sr. Sousa.
    Já agora, ter estado no PCP e agora estar no PS é tão pouco sério como ter estado no PCP e agora no PSD!
    E ter estado no PCP, agora estar no PS e criticar a Ségolene Royal por dizer que o socialismo é incompatível com o Liberalismo? Isso é que é pouco sério!
    Mas porque será que eles se mudam sempre para Partidos maiores? Podiam ir para o Bloco de Esquerda, por exemplo. Manuel Alegre podia dar o exemplo. Está muito mais próximo do Bloco do que do PS.

  23. Estão... diz:

    …mortos… e a julgar pelo cheiro…

Os comentários estão fechados.