Petróleo a 100 dólares? Alarmistas!

“Visto isto, por que somos tantas vezes confrontados por teses alarmistas como a possibilidade do preço do barril do petróleo a 100 dólares? A explicação mais natural é o estas previsões serem espalhadas por quem se baseia em conceitos ideológicos e visa fins políticos.” Conspiradores poderosos, estes que ultrapassaram as suas alarmistas metas com a maior das facilidades, em menos de ano e meio. 100 dólares? Era bom.
André Abrantes Amaral, o sábio especialista que tais garantias escreveu no início de 2007, tinha todas as soluções, prontas a partilhar com as massas: “Os teóricos do ‘Peak Oil’ falham por não tomarem em linha de conta os avanços tecnológicos que apenas as sociedades liberais são capazes de prover. Da mesma forma, não compreendem o papel benéfico que é a subida dos preços. De forma muito simples, quando um produto fica mais caro, mais vale investir na sua produção. Com o investimento, aumenta-se a oferta e os preços descem. Simples. Tão simples que só quem pensa em termos da lei do Estado o não percebe.”
E nestas três singelas penadas se remeteu o Pico de Hubert para a jaula dos mitos urbanos esquerdóides, onde já apodrecem aldrabices célebres como o aquecimento global ou a ideia de que a invasão do Iraque foi injustificada.

Hoje, quando os preços do petróleo permanecem em contínuo contango (adoro esta expressão) e  os receios de uma crise de proporções bíblicas se avolumam, que dirão os nossos amigos liberais? Que a culpa é da intervenção estatal, do multiculturalismo ou do BE?

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

12 respostas a Petróleo a 100 dólares? Alarmistas!

  1. João Galamba diz:

    Ó Luís, tu não aprendes. Então não é claríssimo que a subida, por muito grande que seja, aumenta ainda mais os incentivos humanos para a criatividade.Não há dificuldades; tudo é uma enorme oportunidade para a malta revelar toda a nossa potencialidade criativa. O céu é o limite. Os tipos na África do Sul, por exemplo, já andam a ser criativos com machados e outras antiguidades (arte popular).

  2. Maria João Pires diz:

    Da Mame, não?

  3. Luis Rainha diz:

    Mame swinged her hips in a way so lewd
    Gave the shakes to all the guys trading crude
    So you can put the blame on Mame, boys
    Put the blame on Mame

  4. Nuno diz:

    Ui que essa deve ter doído.

  5. Não sei como eles se relacionam com as suas próprias previsões, mas com a realidade a desculpa é sempre a mesma: não se liberalizou o suficiente.

  6. J. Sapka diz:

    Esses cabeças de funil são mais estúpidos e dogmáticos do que os marxistas-leninistas, o que é obra.

    E quem não pensa (?) como eles, é porque está preso a ideologias.

  7. Luís Lavoura diz:

    “que dirão os nossos amigos liberais?”

    O Luís Rainha não generalize. O André Abrantes Amaral é apenas um indivíduo particular e não representa, nem de longe nem de perto, os liberais portugueses. Eu por exemplo, que sou um liberal, sempre contestei muito estas tiradas disparatadas do André Abrantes Amaral.

  8. mimi diz:

    AAA,(três A’s?Hmmm)que boutade.Obrigado,L.R.,não vou ler este gajo.Luis Lavoura,os argumentos do oleoso três As são os arg dos liberais levados aos limites.De facto,não há limites ()à acumulação de riqueza embora haja em relação à pobreza(ganho=0).A pobreza é o produto da apropriação ou à força ou à conta das leis dos governos amigos dos ‘investidores’…..

  9. Mimi, não é líquido que haja limites para a pobreza. As teorias libertárias de direita, por muito que o neguem, acabam sempre defendendo que, no limite, a escravatura e o feudalismo podem ser reintroduzidos.

  10. xatoo diz:

    ora deixem-se de filosofias e de dogmas, encham os depósitos e paguem a guerra – ou senão façam greve ao consumo e deixem desmoronar esta obra prima de civilização ocidental – uma escolha nada fácil, hem?

  11. F diz:

    Protesto Contra o aumento dos Combustiveis @:

    http://kikux.spaces.live.com

  12. João diz:

    Sobre as propaladas descobertas de novos campos de petróleo no Brasil, a grandes profundidades, um leitor do blog de Reinaldo Azevedo fez ontem o seguinte comentário:

    “O petróleo encontrado nas profundezas(6-7 Km)do mar também é inacansável atualmente.
    O maioria do mundo NÃO TEM A MÍNIMA IDÉIA DE UMA BROCA COM 6-7 KM de comprimento e que permita passar tubulação com água,energia,óleo,gás,etc.
    Imagine sustentar este absurdo de peso,girando,forçando,sem movimentação excessiva da plataforma.
    O custo da empreitada/engenharia e os riscos são astronômicos.
    Com os valôres de exploração mencionados,construimos usinas hidroelétricas grandes e pequenas(milhares de PCH)disponíveis no Brasil.
    Construimos usinas de Energia solar,eólica,de resíduos agrícolas,nucleares(muito menos poluentes).
    Necessitamos descentralizar o domínio energético brasileiro.
    Para quem gosta de continhas:
    Na profundidade de 6-7 Km,temos pressões de até 700Kg/cm2,mais variações térmicas.
    Por um longo tempo será uma utopia esta exploração!!!!!
    Na dúvida,chamem qualquer engenheiro especialista em exploração marinha de altas profundidades”

Os comentários estão fechados.