O Zenit lava mais branco

O Clube russo Zenit, de São Petersburgo, ganhou a final da taça UEFA. Jogaram melhor, mas mereciam perder. Há poucos dias, o treinador do Zenit, Dick Advocaat, declarou que é impossível o clube contratar um negro. “Eu gostaria de contratar qualquer pessoa, mas os adeptos não gostam de negros. Honestamente, não entendo porque é que eles prestam tanta atenção na cor da pele. Na nossa equipa é impossível ter um negro”, disse ao site scotsman.com.

Os adeptos do clube não gostam de negros com a camisola do clube. Para falar verdade, eles não gostam de negros, ponto final.

Durante a partida contra o Olympique de Marseille, adeptos do Zenit insultaram repetidamente três jogadores negros do Marselha. O clube francês enviou queixa à UEFA.

Os russos negaram tudo em comunicado oficial: “O Zenit une jogadores de diferentes nacionalidades e religiões. O nosso clube tem milhões de simpatizantes, em diferentes países. O clube e os seus jogadores participam frequentemente em programas anti-racistas”. Enfim, o treinador do Zenit afirma que não pode contratar negros, mas o clube participa em acções anti-racistas ao fim de semana.

No seu livro “Futebol, ao Sol e Sombra” , Eduardo Galeano escreveu o seguinte: “ Em 1921, a Copa América ia ser disputada em Buenos Aires. O presidente do Brasil, Epitácio Pessoa, redigiu um decreto de brancura. Ordenou que não se enviasse nenhum jogador de pele morena, por razões de prestígio pátrio. Das três partidas que jogou a selecção perdeu duas.
Nesse campeonato Friedenreich não jogou. Naquela época era impossível ser negro no futebol brasileiro e ser mulato era difícil. Friedenreich entrava no campo sempre tarde, porque demorava no vestiário meia hora a esticar o cabelo, e o único mulato do Fluminense, Carlos Alberto, branqueava a cara com pó de arroz”.

O Zenit ganhou a taça UEFA, mas o seu racismo torna-o infinitamente inferior as milhares de equipas que jogam todos os dias com gente de todas as cores.

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

8 respostas a O Zenit lava mais branco

  1. José Barros diz:

    A ser verdade, é uma pena o comportamento dos adeptos.

    O Zenit é uma excelente equipa com um futebol colectivo que muito aprecio.

    Mais uma vez confunde-se planos diferentes. Uma coisa são os adeptos ou até os dirigentes, a outra a equipa. Os onze jogadores que ganharam a Taça Uefa não têm culpa nenhuma das imbecilidades alheias.

  2. xatoo diz:

    eles, os russos, não gostam de “pretos” nem de quaisquer outros estrangeiros em particular. Principalmente depois da “glasnost” é patente um certo clima de ressentimento contra tudo o que é de fora;
    afinal prometeram-lhes que, mas depois, nicles, foi o que se viu

  3. Luís Lavoura diz:

    O racismo anti-negros é uma pecha muito generalizada entre o povo russo.

    Agora, não se deve condenar o clube Zenit devido aos seus adeptos. O treinador não é racista, e não se queixa de os dirigentes ou os jogadores o serem.

    Da mesma forma que não se deve condenar os clubes de futebol portugueses pelos desacatos e vandalismos que as suas claques cometem, a não ser que esses clubes apoiem ativamente essas claques.

    É claro que o clube Zenit tem que ser gerido tendo em conta as opiniões e gostos dos seus adeptos, pois são eles quem lhe dão dinheiro e apoio. É portanto compreensível que os dirigentes do Zenit, mesmo não sendo racistas, se recusem a comprar jogadores negros.

    De qualquer forma, repito, não é problema específico dos adeptos do Zenit – é problema da maioria do povo russo.

  4. Caro Nuno,

    Que raio de «post» é este?
    O Benfica até 1979 era um clube xenófobo, certo?
    Não era racista, tinha pretos, perdão, luso-africanos como diz a sua colega de «blog» mas cinco anos depois do 25 de Abril continuava sem contratar cidadãos estrangeiros.
    O Atlético de Bilbau, ainda hoje, só contrata bascos…
    Bibliografia:
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Athletic_Club_de_Bilbao
    http://slbenficaimagensretro.blogspot.com/2006/07/imagem-nr-36-benfica-com-fonseca-70s.html

  5. É como o palácio de S. Bento. Não se vislumbra um único negro. Antes de 74 andavam por lá alguns, não é? Agora, que tentem pelo menos disfarçar! E deixem-se de preocupar com os rednecks de fora, porque aqui temos o mesmo.

  6. Tárique diz:

    o treinador da selecção ucraniana no último campeonato do mundo disse a mesma coisa. haja também a noção que os portugueses que se consideram brancos, para os russos são pretos também. e para os americanos, e para os …

  7. Tárique diz:

    A propósito: dos 4 avós de Friedenreich, dois eram alemães e só uma era negra. El Tigre a mim parece-me mais branco que o Cavaco e dizem que jogava melhor que o Pèlé.

  8. Marcelo diz:

    Sou negro eu terei a mesma alegria que tive com a derrocada do Lazio (outro clube racista que agora quer tapar o Sol com uma peneira) vendo o fim desse timeco.

Os comentários estão fechados.