Publicidade: cóco, ranheta e facada; Marx, Engels e Lenine (remix) ou os três mosqueteiros?


16 de Maio, 21h30, Av. Marquês de Tomar, 88, Lisboa.

http://livrariapodoslivros.blogspot.com/

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

13 respostas a Publicidade: cóco, ranheta e facada; Marx, Engels e Lenine (remix) ou os três mosqueteiros?

  1. João Pestana diz:

    Talvez o “Bando dos Três” … embora a “revolução Cultural” já tenha ido à vida …

  2. Tárique diz:

    ui ui que chique, que bem, ver suas celências a conversar

    e em que vila é essa tal avenida marquês de tomar? ou está implícito ?

  3. Parcial diz:

    O Lourenço? Aquele que é contra o acordo ortográfico?

  4. Não diz o local (Av. Marquês de Tomar há muitas…), a hora, a data…

  5. Maria João Pires diz:

    16 de Maio, 21h30, Av. Marquês de Tomar, 88, Lisboa.

    http://livrariapodoslivros.blogspot.com/

    (ó Nuno, acrescenta estas informações ao pé do cartaz)

  6. Discutir Maio de 68 sem “esquerdistas” nem comunistas!

  7. al diz:

    O que aconteceu em Maio de 1968?
    A mini-saia foi lançada em 1965, não foi 1968. Portobello Road, não Nanterre.

  8. xatoo diz:

    uma vez que se trata de novelas desenxabidas (o que é que o Maio 68 trouxe à esquerda?) vou mais pelos três mosqueteiros – com o professor Lourenço no papel de Duque de Richelieu

  9. Ó Filipe, só por curiosidade, quantas Avenidas com esse nome conheces?
    Maria João, olha que o cartaz diz 89. Vê lá não confundas ainda mais as pessoas.

  10. Rogério, para além de Lisboa há pelo menos outra… em Tomar.

  11. Saloio diz:

    Estimado al: a propósito da mini-saia – criação da estilista Mary Quant, nascida em 1934, e que no início dos anos 60, na “swinging london”, inventou aquela peça de vestuário diminuta que tanto ajudou à emancipação da mulher.

    A dita MQ, além de ter ficado milionária com lojas em todo o mundo (menos Portugal, por causa do regime…), ainda recebeu (e bem) da raínha o título de “sir” …perdão, “dame”.

    Como sabemos, nos anos 60 deu-se a “segunda invasão” dos britânicos nas terras do Tio Sam – a primeira tinha sido com o Mayflower duzentos anos antes, e na segunda foi com grupinhos de quatro ou cinco gadelhudos, e de que ainda hoje a malta do hamburger sente influências. Chamavam-se: Beatles, Rolling Stones, Animals, Hollies, Dave Dee & C.a, Manfredd Man, Small Faces, Bee Gees, Hermmans Hermanits, Procul Harun, etc..

    Quanto à conversa sobre Maio de 68, julgo que a mesma vai ser interessante e, no mínimo, curiosa. Alguém aí atrás deixou reticências por nenhum dos palestradores ser “esquerdista” ou comunista: eu ri-me enquanto perguntava aos meus botões o que é que eram dois deles.

    É que ser esquerdista não é ter cartão – como dizia o estimado camarada Lenine “Não me mostrem os vossos cartões!!! Mostrem-me actos e factos!!!!”. E quanto a actos, sobre quem eu estou a pensar, existem muitos…

    Digo eu…

  12. al diz:

    O Lenine será seu estimado camarada, meu não é, com toda a certeza.

  13. totorina diz:

    Al,não estás sózinho:Hitler,odiáva-lo,agora personalidades tais como,Balsemão,Bush,Cheney,Machado,Sócrates,o herói Barroso e toda a ssorte de exploradores tb não têm nada a ver com Lenine,incluindo a família Saud esclavagistas e donos de lares para idosos…

Os comentários estão fechados.