Leitura obrigatória para cavaco-catastrofistas

Já pelo menos desde os tempos da Grécia antiga que anciães inquietos choram o desinteresse cívico da juventude e prevêem fins do mundo mergulhados num caldo de apatia e anomia. Platão deixou-nos uma destas visões apocalípticas: “as crianças de agora amam os luxos; têm más maneiras, desprezo pela autoridade; mostram desrespeito pelos mais velhos e adoram tagarelar (…) devoram a comida nas mesas e tiranizam os seus professores.” Soa a litania familiar?
Este texto clássico de W. Lance Bennet é um pouco menos antigo (data de 1998) mas serve de antídoto às visões menos informadas e mais apressadas. Na realidade, novas formas de participação cívica e política têm despertado um pouco por todo o mundo. E alguma desconfiança dos jovens face às instituições e organizações da política tradicional não parece impedi-los de buscar outros empenhamentos, outras maneiras de agir, de influenciar a polis. Chamar-lhes “ignorantes” e desatar logo a distribuir culpas ou a redigir decretos-lei é que não parece grande ideia.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

5 respostas a Leitura obrigatória para cavaco-catastrofistas

  1. ezequiel diz:

    concordo.

    há um “veu de ignorância” entre o “establishment”, a dita sociedade civil (que pouco mais é do que a extensão do establishment), e estas novas formas de participação cívica autonomas…uma revolução silenciosa…mas profunda!

    belo post Luís.
    its the dogs bullocks

    🙂

  2. Lidador diz:

    Não era só o Platão.
    Até o famoso Horácio que jaz deitado há uns milhares de anos, garantia do alto da sua helénica sabedoria, que “nossos pais, piores que nossos avós, nos engendraram e nós daremos uma progénie todavia mais incapaz”.
    Ora apesar de os descendentes do Horácio e do Platão não serem grandes espingardas, a acreditar nas análises, cá estamos hoje razovelmente benzinho e com alguns conhecimentos acrescentados.

    Na verdad o Prof Cavaco Silva, limitou-se a debitar a mesma lengalenga da minha avó ou do consabido motorista de táxi.

    Aqui para nós que ninguém nos ouve, há hoje putos no sistema de ensino que estudam e sabem como o caraças. Há mais gente a atingir a excelência do que há 30 anos.
    Tb há broncos, claro, sempre houve e sempre haverá, com ou sem “ideais de Abril” e outras patacoadas a puxar ao sentimento bacoco e à revolucionarice patega.

    Por outro lado, parece-me bastante saudável que um puto de 15 anos esteja mais preocupado com a função quadrática do que com a mona do Rosa Coutinho. É até do mais elementar bom senso, manter esta malta afastada das bojardas que uns certos “capitães de Abril” continuam a estralejar, acompanhados à viola pelos “resistentes antifascistas” do costume.

  3. Diogo diz:

    Provavelmente os putos de hoje nem sequer sabem quem é o Presidente da República actual. E alguém saberá?

  4. mariadosol diz:

    E também havia um senhor que aqui há 10 anos atrás também não sabia que não se devia comer bolo rei com a boca aberta nem dar esferográficas à entrada da missa e tudo e tudo …
    E lágrimas de crocodilo de quem foi primeiro ministro 10 anos (ditos cruciais) e nem uma pontinha de auto qualquer coisa, quando sancionou políticas educativas bem discutíveis.
    “Em Abril Águas Mil” soube disto num estudo da católica…. logo agora que o tempo anda tão globalmente transtornado…

Os comentários estão fechados.