Vitalino, socialista não praticante

Uma crónica de João Paulo Guerra, no Diário Económico, com a devida vénia

São trabalhadores sem voz, porque a distância entre o trabalho precário e o desemprego é um palmo de terra dominado pelo arbítrio. Mas há quem entenda que o mal em Portugal é que ainda há pouco trabalho temporário.

Aos trabalhadores temporários não lhes bastava o carácter precário, transitório da respectiva relação laboral. Ainda por cima têm um provedor, contratado pelo patronato e que é porta-voz do partido do Governo, para lhes dizer que a transitoriedade do vínculo laboral pode ser o melhor dos mundos.

O Provedor do Trabalhador Temporário quebrou o carácter confidencioso do cargo que exerce com a maior discrição desde Julho de 2007 para dar uma entrevista ao Diário de Notícias. E o que diz o provedor? No essencial que os direitos dos trabalhadores temporários estão basicamente garantidos pelas leis do actual Governo. Quanto à legislação laboral, o provedor acha-a rígida, pouco liberal em matéria de despedimentos, entenda-se. O provedor exerce o cargo contratado pela Associação Portuguesa das Empresas do Sector Privado de Emprego (APESPE). Com vínculo está ligado à política: é o deputado, e porta-voz do PS, Vitalino Prova Canas.

O que a entrevista prova é que o rótulo “socialista” em Portugal engloba as concepções de vida e de sociedade mais distantes dos ideais de solidariedade que inspiraram as doutrinas sociais. Um socialista português de hoje pode achar curto em matéria de despedimentos o pacote laboral de Bagão Félix. Como pode não ver qualquer conflito de interesses entre representar o povo e trabalhar para o patronato do trabalho temporário… 

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

6 respostas a Vitalino, socialista não praticante

  1. Maria Brito diz:

    … segundo os novos pecados mortais, nomeadamente, o da injustiça social… este também vai para o Inferno!!!

  2. A.Silva diz:

    O contratao dele que lhe foi dado pelo povo trabalhador acaba para o ano.Se não for antes porque cada vez que abre a boca só enterra mais o PS.Quanto á renovação o povo trabalhador não lha vai dar concerteza,até para ele se dedicar de corpo e alma á tarefa de que ele mais gosta que é prestar serviços aos poderosos

  3. M. Abrantes diz:

    Já há pessoal a assinar contratos por 15 dias. Nem para ter a certeza que não se acaba o mês debaixo da ponte dá. Efes das pês…

  4. portela menos 1 diz:

    esta gente não tem vergonha; podiam ao menos mudar o nome do partido.

  5. ezequiel diz:

    Vitalino

  6. Sócretino diz:

    E o Marocas,o que diz?Nada!Palavras para quê?

Os comentários estão fechados.