Mandem a bomba atómica, sff

0_22_112906_nkorea_kimjongil.jpg

Estava eu a pensar fazer um artigo sobre as mudanças no país desde a primeira série da Vila Faia, glosando a mudança plástica dos protagonistas: Nicolau Breyner e Margarida Carpinteiro transformados em actores belos como manequins, quando tropecei no Festival da Canção. O espectáculo é indiscritível, as músicas são de pedir napalm e as letras tornam o eugenismo uma ideia simpática. Sr. King Jong Il, sff, se quiser experimentar a bombita norte coreana, não hesite este país não têm emenda. A nossa destruição não será um caso de justiça divina, é apenas um imperativo de sanidade musical.

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

8 respostas a Mandem a bomba atómica, sff

  1. Helena Velho diz:

    Tinha prometido a mim mesma nem mudar da TVE para a RTP! Mas, como resistir a espreitar?? A descrição é inevitavelmente convidativa e até dá jeito adormecer cedo( será que vou ter insónias?)…vou arriscar antes da bombita rebentar! Sei lá se o “ilustre” King Jong Il não está a ler o mesmo que eu??!!

  2. Mas alguém liga ainda alguma coisa ao “Festival da Canção”? Eu nem sabia que era hoje.

  3. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Eu também não sabia que era hoje, mas espero que o King estivesse avisado.

  4. ezequiel diz:

    e vinha eu a deslizar southside, depois de ouvir cantarolada kool quando me deparo com esta persona ingrata, com este monstrinho megalomano que levou, pela mão da sua infindável prepotência, centenas de milhar para a fome e a morte…minha nossa! grande marretada que eu apanhei agora. Para gajos destes a eugénia é coisa pouca.

  5. agent diz:

    Penso que ele irá necessitar mais que uma bomba atómica para destruir a força da orca madeirense e seus cinco monges mutantes amestrados.

  6. carmo da rosa diz:

    Estou perfeitamente de acordo com o autor, agora que a Amália já morreu e a Maria João Pires fugiu do país venha a bomba…

Os comentários estão fechados.