Não batam mais no Menezes!

menezes.jpg
O novo passatempo nacional alastrou a todos os jornais, televisões, rádios, blogues e conversas de café cá do burgo. Cascar em Luís Filipe Menezes é alegria consensual, de Jerónimo de Sousa a Vasco Pulido Valente. Ele coloca o lombo a jeito, isso também é verdade: cada entrevista vem acrescentar mais uns pontos pitorescos ao anedotário meneziano. A sua obsessão com a carne assada, o autismo que o leva a ver as bases laranjas como o centro do universo conhecido, a colagem aos protestos sindicais, a admissão de não estar ainda pronto para assumir o poder… eu sei lá. Depois, chega a ser deprimente o coro de chistes, insultos, acusações. Em sua defesa, além de aves raras como o Ribau Esteves, ninguém pia.
O homem começa a fazer pena. E nem é de propósito, como o auto-proclamado mártir da incubadora. Algo se passa. Tanto tiro no pé, tanto azar, tanto deslize não acontece por distracção ou inabilidade. O homem deve andar com problemas.
Vejam a obra de ontem à noite. Menezes resolveu marcar um jantar com professores para uma noite de futebol europeu. Asneira. Menos mal que a RTP ainda se ofereceu para o lançar em directo às 20:20, mesmo antes do início do jogo do Benfica (o que conta mesmo nestas andanças mediáticas). Pergunto agora: Menezes aproveitou a oportunidade? Não: chegou atrasado.
Não lhe batam mais. Amparem-no, metam-no em algum sítio competente, façam-lhe acupunctura. É que uma pessoa olha para os vultos que andam pelo PSD a afiar as unhacas, começando pelo próprio Santana, e até sente um frémito de susto.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

7 respostas a Não batam mais no Menezes!

  1. João José Fernandes Simões diz:

    Concluindo do que escreve que está a precisar de “colo”.
    Mais um, então.

  2. Carlos Fonseca diz:

    A verdade é que a vida dos portugueses depende do Sócrates e não do Menezes. Deste, espero eu, que nunca venha a depender. Do primeiro, anseio que a dependência termine.
    O problema é que temos demasiada gente de m…., inqualificável a governar o país.
    Do governo à oposição, a paisagem omnipresente é o deserto, com uma tempestade de areia e milhões de camelos em desespero. Safam-se os califas do costume e respectivos almoxarifes.

  3. xatoo diz:

    estão desejosos de arranjar um cromo de direita que seja uma fotocópia do Sócrates – e o bilderberger Morais Sarnento, serve?

  4. Luis Rainha diz:

    Piedade. Não queremos fotocópias; muito menos desfocadas, tartamudas e meio tontas. Para bizarro, já basta o original.

  5. samm diz:

    O Ângelo Menezes no dia do seu emposamento dirigiu um convite à Ferreira Leite… Mesmo ali para o lugar reservado ao Ângelo Correia (a alma e inteligência…a hipótese de toda esta cantiga). O tipo veio a tv dizer que sim que estava de acordo que a ideia era ‘boíssima”!… Só que… ‘amigo’ Menezes… dá a impressão que desde então a orfandade foi total e teve que contar SÓ com consigo… A coisa foi correndo mal!… (isto é a história de…)

  6. Pingback: cinco dias » Melhor já tinha feito eu

  7. Artur Gonçalves diz:

    Por favor, não me façam perde mais tempo com politiqueiros. Deixem-me trabalhar e para me consular dêem-me teatro feito por profissionais. Eu digo ” Profissionais”.
    Espero bem, que não me dêm palhaçada pol……

Os comentários estão fechados.