Still clueless after all these years

ratbert.gif
Vasco Rato continua sagaz como sempre. Agora, emitindo em directo dos EUA para o lindo blog do Público sobre as eleições americanas, descobriu que “a candidatura de Clinton é um embuste”. Porquê? Simples: a senhora terá ganho em estados que “por norma” são Democratas. E Obama ganha onde estes “raramente triunfam nas presidenciais”.
Para Vasco Rato, interessa é convencer e atrair votantes nos estados que em Novembro não darão ao campo democrata um só voto no colégio eleitoral; ganhar em swing states como o Ohio ou a Florida (lembram-se?) é claro sinal de “naufrágio” e “embuste”. Que pena não haver Nobel da tontice.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

17 respostas a Still clueless after all these years

  1. P.Porto diz:

    Creio que o LR não foi analisar o assunto no mesmo ponto em que o V.Rato analisou. O que penso que ele quer dizer é que quando acontecer o confronto direto entre republicanos e democratas, Obama consegue mais facilmente votos entre os conservadores do que Clinton. Daí que, por mais que Clinton ganhe nos Estados que à partida estão garantidos para os democratas, a verdade é que quando chegar a hora do confronto com os conservadores, Obama tem mais hipóteses de ganhar a McCain porque não só recebe os vots dos próprios eleitores do DP como ainda consegue votos que clinton não conseguiria.

    Esta lógica, fatal, é confirmada pelas sondagens que dão melhores resultados a Obama do que a Clinton nesse confronto.

  2. Luis Rainha diz:

    Em primeiro lugar, não me parece provado que a conquista de bons resultados nas primárias Democratas possa equivaler a boa penetração no eleitorado republicano. Facto é que Clinton provou atrair mais votos do que Obama em swing states (que recentemente foram decisivos) como a Florida e no Ohio — sempre dentro do campo democrata.
    Que isto implique que a sua candidatura seja um “embuste” é que me parece absurdo. As tais sondagens já fazem outro sentido, claro.

    Outro problema é que os votos democratas em muitos dos estados vermelhos são completamente inúteis: não se traduzirão nunca em avanços no colégio eleitoral.

    E olhe que não me move qualquer preferência neste campo.

    PS: o Ohio parece ser importante por outra razão: desde 1960 que ninguém se torna prez dos EUA sem lá ganhar…

  3. xatoo diz:

    a “lógica fatal” é que parece ter havido por aí (lá) um engano num teste a uma maquina Dielbold e apareceu o resultado final da contenda 2008: McCain ganhava a Presidência. Brincadeira de algum infomaniaco ou não, quanto à Florida, quem “swingou” na perfeição em 2001 foi o juiz do SupremoTribunal: o ultraconservador Jack Scalia – será que o fulano ainda está em funções?
    eu partilho a tese do LR, com um upgrade: “todos os votos são inúteis”

  4. luís, parece-me que se esse prémio nobel existisse dificilmente o vasco estaria na pole position. a concorrência é esmagadora, tanto do ponto de vista qualitativo como quantitativo. e, no caso vertente, não me parece que o que ele disse seja uma tão notória palermice — apesar de eu torcer pela hilária.

  5. -Facto, após a pírrica vitória de ontem da sen. Clinton, ainda não é liquido que ganhe o caucasus no Texas, e consequentemente até poderá perder em número de delegados naquele estado, na melhor das hipóteses terá recuperado 15 a 20 delegados. Descontando os superdelegados, estará a cerca de 130 delegados de Obama. Estados importantes faltam a Pensylvania e Carolina do Norte. Admitindo como razoável uma vitória para cada lado, mesmo que consiga alguma recuperação, ficará na melhor das hipóteses com um atraso de 80 a 100 delegados. Estará o partido Democrático disposto a virar o resultado? Logo eles que criticaram tanto a 1ª eleição de W.Bush! McCain não poderia obter melhor prenda, se tal cenário se vier a confirmar, ganhará ainda de bónus o voto negro, tradicionalmente pendendo para os Dems, e segurará o voto conservador evangélico, sem necessidade de concessões programáticas á direita, porque estes terão pela frente aquilo que mais detestam, “os Clinton”. Só não vê quem não quer, estratégicamente Obama já ganhou, apenas a máquina partidária poderá reverter o final previsto.

  6. P.Porto diz:

    FC, perdão, fc

    “apesar de eu torcer pela hilária”. Não sabia, mas tinha a certeza. Vamos só esperar para saber se o Obama ganha à Clinton, como acho que vai acontecer desde o principiozinho, quando ainda não davam nada por ele. Depois disso, seja uma querida e proponha-me para o Nobel da adivinhação.

    LR

    Relativize o termo “embuste” e, dentro da lógica que lhe deixei, vai ver que não tem nada de errado usá-lo para referir uma candidatura que apesar de melhor colocada entre os democratas está pior colocada no eleitorado geral.

    Xatoo
    “eu partilho a tese do LR, com um upgrade: “todos os votos são inúteis”” Vc um destes dias tb vai aos Nobel. Vai, vai.

  7. Luis Rainha diz:

    António,
    Em pouco discordamos. Apenas imagino duas eventualidades em que o partido pode “virar” a coisa: Hillary obter menos delegados mas mais votos populares, ou no caso de conseguir forçar a integração dos delegados da Florida e estes ainda fizerem alguma diferença.
    Mas, dado o entusiasmo em redor da “mudança” de Obama, fazer uma tal manobra seria um suicídio para os democratas.Desencantaria da política toda uma geração de possíveis votantes.

    Fernanda,
    Aí, discordamos. Falar de “naufrágio” após a conquista do Ohio e de mais alguns tempos de esperança parece-me tonto. Pior ainda é partir do princípio que uma vitória partidária num estado do adversário vai ter alguma implicação em Novembro.

  8. Luis Rainha diz:

    E não esqueças, Fernanda, que um Nobel destes teria de ser coisa assim a dar para o lifetime achievement. E este VR é o mesmo que ameaçou as nossas retinas com um passeio em pelota pelo Rossio caso as famosas WMD não aparecessem no Iraque. Aí é que ele ia fazer jus ao lema do grande Ratbert: I’m naked, clueless and feeling gooood!

  9. Luis Rainha diz:

    P.Porto,
    Você até pode ter razão. O que não a atribui ao Vasco Rato. Os resultados nas primárias não são relacionáveis, mesmo nas “open primaries”, com essa penetração no eleitorado adversário. E, dado o carácter “winner takes it all” dos apuramentos na esmagadora dos estados, esse feito de Obama de pouco irá valer daqui a uns meses.
    E, mesmo assim, “embuste” parece coisa forte de mais para descrever essa incongruência, até agora apenas detectada por sondagens, aliás. “Embuste” é velhacaria, aldrabice; não vejo onde pararão tais malfeitorias na campanha da Billary…

  10. jcd diz:

    “a “lógica fatal” é que parece ter havido por aí (lá) um engano num teste a uma maquina Dielbold e apareceu o resultado final da contenda 2008: McCain ganhava a Presidência.”

    Ehehe. Muita gente não reparou, mas o Xatoo, perspicaz homem de esquerda, topou tudo. Há uma organização poderosíssima que já está a tratar de tudo para aldrabar as eleições e dar os votos a McCain. O filme passou no blogue do maradona. A temível organização chama-se The Onion.

    O filme está aqui:

    Diebold Accidentally Leaks Results Of 2008 Election Early

  11. ezequiel diz:

    Embuste?? O termo é inapropriado, absurdo até. A Hillary deverá ganhar na Pennsylvania, um estado (politicamente) muito parecido com o Ohio. Não sou adivinho, mas se tivesse que apostar diria que o dream ticket será inevitável.

    Se Hillary conseguir a nomeação…e não escolher Obama como VP…penso que perderá contra o navy-boy McCain….

    especulação pura, é claro.

  12. xatoo diz:

    jcd
    a vontade de desancar “na esquerda” cega-o
    Não reparou que a expressão “lógica fatal” foi ironicamente citada do coment anterior – além de estar seguida da frase “Brincadeira de algum infomaniaco ou não (…)”

  13. Cenas Obscenas diz:

    Eu cá prefiro discutir as eleições para a Sociedade Recreativa do Mucifal. Parece que o sr. Fernando está bem colocado para um 2º mandato. Desculpem, mas as eleições americanas ainda estão a 8 meses e eu já estou enjoado delas. E do sr. Baraco e da sra. Ila Ri. Talvez se fossem apanhados num 69 a coisa ficasse mais interessante.

  14. Não sou adivinho, mas se tivesse que apostar diria que o dream ticket será inevitável.
    -Face ao que expus anteriormente, com a concordância do autor do post, em termos matemáticos será impossivel a Hillary Clinton ultrapassar Obama, pelos vistos até terá perdido o caucasus no Texas, mas ainda não é certo, admitindo uma vitória na Pensylvania, até lhe dou 65-35 (não conseguirá tanto pela certa), e mesmo contra 51-49 (a favor de Obama, na Carolina do Norte), caso o sr. Ezequiel não consiga fazer as contas ao número de delegados em causa, solicito ajuda ao sr. Luis Rainha, explique-me por favor, como poderá alguém convencer Obama e os americanos, a aceitar como v.p. o vencedor das primárias. Até lhe dou de bónus a repescagem dos resultados da Florida, algo que seria impossivel no Supreme Court. A não ser que o dream ticket a que se refere o sr. Ezequiel, seja Obama como nº 1 e Hillary em v.p., mas aí esgotamos a experiência.

  15. cfa diz:

    Parece-me que a palavra enganada é candidatura. Se substituirmos por vantagem passa a fazer sentido. Quem nunca trocou uma palavra que atire o primeiro Nobel.

  16. fl diz:

    Mais um puxão de orelhas ao Luis da FC. Andas-te a meter com os amigos da malta, pá… Vias ser corrido, já te disse…

  17. Vasco Rato diz:

    Para o Nobel da tontice, só mesmo o óscar da vergonha que é preciso ter para se criticar com tanta asneira junta….

Os comentários estão fechados.