A gente somos espertos

O Governo não deverá assumir uma posição sobre a independência do Kosovo até 7 de Março, data em que o batalhão português naquele território se retirará da parte norte de Mitrovica, região de maioria sérvia daquele território.”

Presumo que, uma vez retirada a tropa da frigideira, Portugal irá então, corajosa e decididamente, em consciência, à luz dos mais nobres princípios da justiça, do direito à autodeterminação dos povos, da paz, da concórdia e da solidariedade entre os mesmos, e com a convicção profunda de todos os portugueses governantes e governados, cumprindo um dever inadiável, juntar a sua voz ao refogado dos que já reconheceram a independência do Kosovo.

Mas, até lá, a gente vamos é disfarçar, fazer-nos distraídos, assobiar para o lado, ir coçando a genitália e receber, sorridentes e hipócritas, os olhares de reconhecimento dos que lá para aquelas bandas (justa ou injustamente, não interessa para o caso) se sentem traídos. Mal sabem eles, coitados, que a gente só ainda não lhes diz a verdade porque tem medo que depois nos dêem porrada. O que eles querem sabemos nós. Mas a gente somos mais espertos que eles.


Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

5 Responses to A gente somos espertos

Os comentários estão fechados.