Misery loves company

 clueless1.gif

O “caso” Insurgente teve outros méritos além de revelar um momentâneo ataque de falta de perspicácia e de sentido de humor no PPM. A propósito desta transparente graça, juntou-se no mesmo redil a maior manada de comentadores terminalmente desorientados que alguma vez infestou um recanto da blogosfera lusa. Leiam com atenção os highlights da coisa:

Se foi um ataque de vermelhos, revela todo o seu espírito democrático, maus perdedores da História, sabendo que o liberalismo e a globalização são práticas do sec. XXI, e o comunismo uma abjecta ideologia existente apenas nos livros de História, e numa ilha onde um tirano agoniza de morte, sendo o fim daquela peste que um dia existiu…

São uns animais! Enquanto não puderem eliminar fisicamente seus adversários, tentam tirá-los do ar.

O dilema é decidir se enviam os Insurgentes para a Sibéria ou para Guantanamo; não a americana: a outra.

Em Portugal ou no Brasil, a porcaria esquerdopata é a mesma.

O socialismo, para vencer, precisa derrotar o indivíduo, impor o coletivo.

Esquerda (sinistra em italiano) De Gaule a respeito dos comunistas «fazem tudo o que se lhe permite, consentem tudo o que se lhes faça» “porrada neles”

Enfim, nada que não se possa esperar de uma horda de verde eufémios desenbestados que na realidade confirmam todas as suas credenciais: grupelhos de indíviduos que apenas têm um objectivo: destruir a liberdade no nosso país

os verde eufémios ou os clones que vandalizaram a baixa lisboeta numa manifestação de extrema esquerda continuam impunes a hackar o país.

Eu cá reconheço-me especialmente na parte dos “desenbestados”. Mas o “esquerdopata” também é muito bom. Esta gente é mais clueless que o Ratbert.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

13 Responses to Misery loves company

Os comentários estão fechados.