Mais um dia no circo

tigre

Chamada  telefónica entre duas criaturas anónimas, interceptada por acaso:

—    Então explique-me lá como é que se enganou no Pinto…
—    Sabia lá que havia dois! Pedi à telefonista que me ligasse ao António Pinto Ribeiro que é programador da Gulbenkian, convidei-o, ele aceitou e pronto. Qual não é o meu espanto quando vejo outro gajo qualquer na TV, armado em ministro da Cultura…
—    Mas ligaram-lhe para um advogado com o mesmo nome!
—    Eh pá, isso não é nada porreiro! E agora?
—    Agora… que ninguém sequer desconfie! E precisamos de uma manobra de diversão qualquer…
—    Olhe que nem tudo é mau: o gajo parece que é advogado dos Gato Fedorento; sempre tem alguma coisa a ver com isso dos livros e tal…
—    Deixe lá ver: o Mário Lino podia imolar-se pelo fogo, como protesto pela decisão de Alcochete…
—    Os presidentes americanos é que a levam direita: fazem asneira e no dia seguinte estão a bombardear alguém. Assim, também eu!
—    Já sei: vamos usar o plano Arca de Noé!
—    Qual é esse? O dos discos voadores?
—    Não. Para esse não temos orçamento. Este é o dos bichos: fazemos de conta que fugiram umas feras canibais do circo e temos espectáculo garantido para uns dias.
—    Mas isso não vai custar uma pipa?
—    Não se preocupe, PM. O BES patrocina tudo.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

4 respostas a Mais um dia no circo

  1. ernesta diz:

    eu ontem passei a noite à espera que fosse desfeita a confusão, mas depois percebi a jogada. Foi o Zé António no lugar do simplesmente António porque este é dois em um – podem segurar o Costa na Justiça e porem a Cultura a fazer-lhe os trabalhos de casa.

  2. maloud diz:

    Ficção devia ser a saída do Correia de Campos.

  3. Édobasílio diz:

    Uma pergunta. Desde quando é que um ministro da Cultura teria de ser um programador? Responda quem sabe, porque eu serei muito burro e não gosto de dizer mal, quando não tenho nada para dizer.

Os comentários estão fechados.