Vá-se lá perceber o mercado!

Declaração prévia de interesses: sou amigo do Nuno, meu co-blogger, ex-camarada, mas amigo no activo de há uma data de anos para cá. O Nuno acabou de mudar de emprego, como acontece aos melhores: era director da “Focus”, mas parece que o patrão não estava contente com o desempenho. Fair enough: quem pode, pode, e o patrão é que pode, tudo dentro da lei, o Nuno (só) tem de arranjar outro sítio para suar a camisa (e por acaso até já arranjou). Tudo isto seria uma história sem história se eu, que por dever de ofício tenho de pôr os olhos às sextas-feiras na “Briefing” e na “Meios & Publicidade”, não tivesse visto os barèmes da imprensa do último trimestre de 2006 e descoberto que, no segmento das newsmagazines, a “Focus” é, de muito longe, a que mais sobe, chegando, sem investimentos publicitários ou de marketing que se vissem, a uns espantosos 53,85% de crescimento (enquanto a “Sábado” sobe 25,93% e a “Visão” 1,23%). Mandei um SMS ao rapaz: -Então vieste para a rua porquê, pá? O tipo estava a comemorar em Berlim, bebendo margaritas na ex-capital da RDA: -Pois é, parece que estava a vender mais, mas era às pessoas erradas; vá-se lá perceber o mercado!

PS A caixa de comentários fica fechada para o Nuno não me vir dar os beijinhos dele, que são repugnantes, e para os chatos do costume não me virem acusar de côterie, que de resto assumo.

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.