Pornografia III

Já não vale a pena cantar mais loas ao belíssimo livrinho de Albert Hirschman sobre a retórica reaccionária: para os elementos das “forças da conservação”, qualquer melhoramento social será sempre fútil, ou perverso, ou excessivamente arriscado, ou então várias destas coisas ao mesmo tempo. Mas o que é verdadeiramente pornográfico (no sentido moderno do termo, não subversivo, mas apenas repugnante) é a ideia de que afinal quem sofre merece a sua sorte, faz por ela, e se calhar até a aprecia: as classes populares estão de tanga mas as lojas estão cheias no Natal, elas levam porrada mas gostam, os putos da Casa Pia não eram tão putos assim, e por aí adiante (à vous d’en imaginer d’autres).

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

13 respostas a Pornografia III

  1. André diz:

    Caro António,

    o Exit, Voice… foi um dos melhores livros de estudos políticos que li…que inspirou um dos melhores ensaios sobre o fim do bloco soviet, de G Di Palma, deligitimation from the top.

    Melhores cumprimentos,

  2. André diz:

    http://links.jstor.org/sici?sici=0043-8871(199110)44%3A1%3C49%3ALFTTTC%3E2.0.CO%3B2-A
    NOTA: Caro André, o link não está a funcionar, quer corrigi-lo? Obrigado, AF

  3. al diz:

    A dificuldade é encontrar uma ponta por onde se pegue: os socialistas não fazem compras de Natal? Em bons sítios? Onde vive? No país da má fé? Uhm… Os conservadores apoiam a pedofilia? (E eu a lembrar-me de comentários indignados sobre «gentalha conservadora, bourgeoises» que, em nome do interdito se atreviam a incomodar Cohn-Bendit, pedófilo confesso…)
    E Churchill (ou De Gaulle) acharia que quem sofre merece a sua sorte? Ao invés, o que pensaria Staline sobre as suas vítimas ( e os apoiantes de Staline?): mereceriam a sorte deles? E Sartre que considerava todos os anti-comunistas cães, numa das mais nojentas frases pornográficas de sempre? Enfim…

  4. Sócretino diz:

    Muito bem,sr.al Capone?a(l)dolf?al Bilderberg?al Pinochet?al Trumps?al real m…
    NOTA: A última palavra deste comentário foi transformada por mim em reticências (a alternativa era não o publicar). Ass:AF

  5. luis eme diz:

    Concordo consigo, a verdadeira “pornografia” está nesse pensamento reaccionário e elitista…

  6. al diz:

    Caro Socretino,
    Sou um conservador porque não creio que possa prever o futuro, não tenho certezas, não tenho, por isso, qualquer paraíso a anunciar e não construo éticas justificadoras sobre o que não existe, muito menos as que permitem matar milhões de pessoas, como fez Staline (e o seu aliado, Hitler). No pensamento que partilho não há cabinets secrets pejados de cadáveres para mostrar aos connaisseurs.
    Para me ater ao tema: acredito, por outro lado que há interditos, que nem tudo é possível, que o prazer sexual, tal como o da mesa, tem limites, que a pedofilia confessa de Cohn-Bendit, le roux, é intrinsecamente má, ao contrário de ser algo «natural» como a esquerda da altura achava que era, apenas julgado insuportável em nome de um «perverso» discurso repressor da direita. As coisas mudaram e o Cohn Bendit teve de recorrer a curiosas hermenêuticas para justificar o que, preto no branco, escreveu e publicou em 1975. Ao ler a justificação, achei que daria um bom blogger do 5 dias. Tal como os imaginários conservadores de AF, Cohn Bendit, falava da iniciativa dos jovens.

  7. António Figueira diz:

    Al,
    You are a sick mind.
    Sem nunca largar o seu anonimatozinho, V. vem aqui (e V. vem aqui muitas vezes, de noite e de dia) para as mais estranhas acusações, não-sei-o-quê é o Estaline, não-sei-que-mais é a Stasi, agora é o Hirschman (esse perigoso bolchevista!) que lhe dá pretexto para dizer que o Estaline e o Hitler eram aliados (selando a sua aliança em Estalingrado, presume-se) e, melhor ainda, que o Cohn-Bendit era pedófilo disfarçado, do género que daria um bom blogger do 5 dias.
    Eu estou-me nas tintas para o Cohn-Bendit e para a sua reputação, e não descobri agora que V. não passa de um pequeno enraivecido sem nada de novo para dizer (oh, o céptico conservador, que não acredita que o amanhã possa ser melhor que o hoje, e por isso prefere deixar ficar o hoje, que por acaso lhe convém, é uma figura de estilo com trezentos mil anos); a questão é que V. medra devido à nossa tolerância em deixar passar os seus comentários e vem cá sem outro propósito que não seja o de insultar. Eu tenho muitos defeitos, graças a Deus, mas achar graça a criancinhas de maneiras menos próprias não é um deles. Enough is enough. V. agora arranja outro pseudónimo, ou vai postar no blogue do seu amigo Lidador: os meus posts, o Al não comenta mais: acabou.

  8. Sade, from Hell diz:

    Aqui, do Inferno, onde estou a arder em chamas para a eternidade, mando-lhe agora este email caro AFigueira, leia e releia aquilo que escrevi com a minha caneta cheia de tinta e veneno de merda. Pena foi não ter escrito 2 ou 3 livros também em defesa do assassinato como forma de prazer sexual, caramba!

    Salutations, from Hell,

    Marques de Sade

  9. André diz:

    Muito bem António. O al é um daqueles imbecis vintage! Que foleirice!!

    cá está o link…para o artigo do Guiseppe Di Palma, Legitimation ….

    Tenho quase a certeza que o António vai gostar deste artigo. Espero que sim.Se não conseguir obter o artigo eu terei o maior gosto em enviá-lo para si em pdf.

    http://links.jstor.org/sici?sici=0043-8871(199110)44%3A1%3C49%3ALFTTTC%3E2.0.CO%3B2-A

    Melhores cumprimentos,

    André

  10. António Figueira diz:

    Caro André,
    Se quiser enviar o pdf fico-lhe agradecido, porque o link continua a não funcionar.

  11. quem quiser aceder ao artigo copie o link todo que o andré* colocou mesmo aqui acima (o primeiro também funciona) & cole numa nova janela/tab, sem se fiar no meio-link que o site está a considerar.

    i.e. copiem tudinho desde o “http” até ao “%3B2-A” sem interrupções.

    *espero que me perdoe o artigo definido antes do nome. a minha professora ensinou-me que não se coloca excepto para quem andou connosco à costura – e eu não andei com o andré à costura, é verdade -, mas sem o artigo parecia que estava a falar de eça ou de pessoa e ficava tudo um pouco esquisito.

  12. ai, faltou acrescentar que nem toda a gente consegue ter acesso ao artigo completo.

  13. CARLOS CLARA diz:

    Imagino outros, sim, mas prefiro os reais. Pornografia mesmo: os submarinos de sua majestade vão chegar: 900 e muitos milhões é a factura do que estávamos tão necessitados. Isto já não é megalomania – é demência. É uma ajuda ao défice. Que mais nos resta? Por mim … uma revolução francesa.

Os comentários estão fechados.