How predictable

Portugal e a West Coast of Europe, Mourinho e o Portugal afirmativo, Cristiano Ronaldo-e-o-talento-sem-fronteiras-na-era-da-globalização, Mariza-e-a-ponte-entre-continentes, cartazes gigantes nas fachadas de prédios inteiros a celebrar um tratado que ninguém leu (e muito menos escolheu), a política do gesto em todo o seu esplendor, é o Terreiro do Paço “devolvido à cidade” aos domingos e Portugal que “está na moda” outra vez, ah está?, não dei por nada, deve ser por ser do contra.

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.

8 respostas a How predictable

  1. P.Porto diz:

    Pode-se estar contra si em milhentas coisas, mas não neste caso.

    Os regimes mudam, os séculos também, mas mantém-se uma velhíssima tradição portuguesa desde Pombal, a adulação do poder, o espanto e admiração popular pelo circo oferecido.

    A este respeito, também sou do contra.

  2. Maga patalógica diz:

    É o ” Esplendor de Portugal”! E, no entanto, meu amigo, eles estão juntos, encontram-se, combinam, conversam, almoçam, jantam, e acumulam cãs e carcanhóis! Nós, visionários, coçamos a barriguinha, mais ou menos grandinha, consoante os copos e as comezainas – É o que nos resta, pois então! – cheios de chistes e ironias, saber e cultura, visão larga e adivinhação e…refugiamo-nos nos blogues!
    Que fazer? Em casa, na rua, em todo o lado, é preciso resistir, dar o exemplo de coragem e luta, nessa miséria de quotidiano para que, um dia, cada vez menos tenham o quotidiano de miséria. Vamos então discutir, um dia destes, a Hanna Arendt e a resistência activa.
    Mais acção, menos retórica. Pois claro!
    Ah, e deixem a Sophia em paz! Se a poesia é um grito d’alma, atiremo-nos ao Drummond, ao Bandeira e, louvando as mulheres, a Natália Correia que não gostava da poesia sofítica – Só conheço homens a gostar da Sophia, porque será?

  3. “How predictable” é o debate de amanhã no Instituto Franco-Português. Três gajos a darem palmadinhas nas costas uns dos outros. Só falta mesmo o moderador ser o Nuno Ramos de Almeida!

  4. António Figueira diz:

    Filipe, não sejas invejoso: se apareceres por lá também podes juntar-te à sessão de palmadinhas.

  5. Vou aparecer, mas é para dar “porrada”! Viva a Europa!

  6. ezequiel diz:

    Divirtam-se!

    Porque é que não filmam & upload ?

    O que é que aconteceu ao Nuno? Estou com saudades de ler o homem.

    buenas noches

  7. Sérgio diz:

    Do contra ou por ter brio intelectual e patriótico. A coisa incomoda, de facto!

    Faz lembrar um artigo muito bom do Luís Reis Torgal, publicado há uns 3,4 anos no LMD sobre o significado dos «3F’s» do Estado Novo e da sua actualidade (era tempo de euroforia, não de Bruxelas mas da UEFA).

    Cumprimentos.

  8. CARLOS CLARA diz:

    Fátima, Futebol e Fado. Acrescenta-se um cheirinho de “pacovismo” á americana e dar ar de modernismo. Em que ponto da história eu vi já isto?
    Não, isto não é politica, é provincianismo. E o Sr. Cherne, não pôs ele os pacóvios todos com uma bandeirinha na mão, muito patriotas, dando trabalho a empreiteiros para campos de futebol enquanto o país se arruinava?
    Isto é mesmo “pindérico”. Alguns pensam que os portugueses podem mudar – poetas…esses são.

Os comentários estão fechados.