Irmão Lúcia: memorial, 25 anos

memorial.jpg

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

14 respostas a Irmão Lúcia: memorial, 25 anos

  1. Saloio diz:

    Estimado NRA: confesso-lhe que nunca consegui ler o Memorial do Convento. Tentei umas cinco vezes em alturas e circunstancias diferentes, mas a forma da escrita sem pontuação e os nomes esquizitos, fizeram-me sempre desistir entre a página 10 e a 15. Claro que a culpa é exclusivamente minha, e faz-me sentir o único palerma aqui na Malveira.

    Tenho pena de ser tão burro, pois todos os que leram gostaram muito e ficaram a olhar para mim como se eu tivesse lepra. Consegui ler outras obras do autor e gostei também – especialmente do Ano da Morte de Ricardo Réis.

    Ainda hoje trago dentro de mim a mágoa de não ter “entrado” no livro, como não consegui entrar no Ulisses, nos Nus e os Mortos, na Bíblia, no Conversa na Catedral, no Ellery Queen todo, e nalgum Trotsky, e outros de que agora não me recordo…mas do Memorial ainda hoje lamento a minha estúpida incapacidade.

    Digo eu…

  2. ax diz:

    para o Saloio: tambem me aconteceu o mesmo. mas li-o aí 15 anos depois de o ter comprado e sabe como? em vez de ler meia hora de cada vez, dediquei umas 3 horas para a entrada. depois da pag 15 é que ele começa a ser bom…

  3. eee diz:

    Eu também tiveessa dificuldade mas,houve um momento em que o peguei e apanhei o ritmo e li-o em pouco tempo com deleite.Quando estiver na onda, vai ver que vai se deliciar com a prosa bem ‘esgalhada’.Entretanto há outros livros para se apanhar embalagem…Boas leituras

  4. “Ensaio sobre a cegueira” é o melhor.

  5. samuel diz:

    Há que tomar balanço, lá isso há-que…
    Mas como já se disse, depois é um belo passeio.

  6. CARLOS CLARA diz:

    A DIREITA PORTUGUESA COSTUMA DIZER QUE TENTOU LER SARAMAGO E NÃO CONSEGUIU. ELA, A DIREITA, ODEIA SARAMAGO, MAS TAMBÉM É VERDADE QUE INTELECTO NÃO É COISA QUE LHES TOQUE, É COMPREENSÍVEL QUE NÃO SAIBAM LER. AINDA HÁ BEM POUCO TEMPO, SANTANA LOPES, QUE LHE TENTOU TRAMAR O PRÉMIO NOBEL DIZIA NA ASSEMBLEIA DA REPUBLICA QUE O PASSADO SÓ INTERESSAVA AOS HISTORIADORES. GENIAL, NÉ? COMO PARA SE ENTENDER O PRESENTE NÃO TENHA QUE SE OLHAR PARA O PASSADO. ELES SÃO ASSIM, GRACIOSOS, E TEREMOS QUE PRESSUPOR QUE O SUCESSO INTERNACIONAL, NÃO FALANDO DO PRÉMIO NOBEL, É COISA DE BURROS.

  7. carmo da rosa diz:

    “É COMPREENSÍVEL QUE NÃO SAIBAM LER”

    Por falar em ler!
    Eu ontem, e a pedido da tradutora oficial de Saramago na Holanda, li em público, na Vondelkerk em Amesterdão, uma meia-página de Saramago – Ensaio sobre a Lucidez.
    Tratava-se de um texto que se pode considerar de esquerda:

    ‘O mais corrente neste mundo, nestes tempos em que às cegas vamos tropeçando, é esbarrarmos, ao virar a esquina mais próxima, com homens e mulheres na maturidade da existência e da prosperidade, que, tendo sido aos dezoito anos, não só as risonhas primaveras do estilo, mas também, e talvez sobretudo, briosos revolucionários decididos a arrasar o sistema dos pais e pôr no seu lugar o paraíso, enfim, da fraternidade, se encontram agora, com firmeza pelo menos igual, repoltreados em convicções e práticas que, depois de haverem passado, para aquecer e flexibilizar os músculos, por qualquer das muitas versões do conservadorismo moderado, acabaram por desembocar no mais desbocado e reaccionário egoísmo.’

    Apesar de eu não ser muito de esquerda, e, verdade verdadinha, também não gosto lá muito das esquerdices do Sr. Saramago, eu, ‘native speaker’, lá vesti o meu melhor casaco, li o melhor que pude, e até tentei evitar que o meu sotaque do Porto fosse demasiado preponderante… Por outro lado, não se tratava aqui de uma discussão ideológica, além disso o público não entendia patavina do que eu dizia, tratava-se apenas, neste fórum de tradutores, de mostrar a musicalidade da língua.
    Mas mesmo assim, gostaria de frisar que as democracias-liberais-capitalistas-de-direita, não têm, salvo raras excepções, problemas nenhuns em que se leia nas suas salas passagens de livros ditas de esquerda, em atribuir prémios a intelectuais muito de esquerda, ou mesmo subsidiar jornais de extrema-esquerda, muito ao contrário dos camaradas do Sr. Saramago, que têm por mau hábito enviar escritores de ‘direita’ para o Gulag…

  8. CARLOS CLARA diz:

    TAMBÉM…. TEM CADA UMA! CONTE-ME LÁ BEM QUEM SÃO ESSES ESPANTOSOS ESCRITORES CAPITALISTAS-LIBERAIS-DE-DIREITA, JÁ AGORA CATÓLICOS, DITOS DEMOCRATAS QUE ME ACONSELHA.

  9. carmo da rosa diz:

    Caro Carlos Clara,

    Note que eu coloquei ‘direita’ entre aspas! Refiro-me pura e simplesmente a escritores, sejam eles de que corrente de pensamento forem, que, por várias razões, não agradam aos camaradas do Sr. Saramago – os tais ditos cujos DISSIDENTES…
    E como tenho cá uma fezada que você está absolutamente convencido que um escritor é por natureza de ESQUERDA, senão não é escritor, eu abstenho-me, por enquanto, de lhe aconselhar algum.

  10. CARLOS CLARA diz:

    carmo da rosa

    PRIMEIRO NÃO PERCEBO NADA SOBRE ESSES “DISSIDENTES” A QUE SE REFERE, APENAS QUE OS ÚNICOS DISSIDENTES QUE CABEM NA MINHA CABEÇA SÃO OS MALFEITORES, AQUELES QUE CORROMPEM SOB VÁRIAS ATITUDES O DECORRER DUMA SOCIEDADE HARMONIOSA, COM OPORTUNIDADES IGUAIS E RESPONSABILIDADES CONJUNTAS. DEPOIS NÃO SOU DE NENHUM CLÃ, NÃO TENHO NENHUM EMBLEMA, NEM COR PREFERIDA. NÃO JOGO NO EUROMILHÕES, E NÃO TREPO COM FUTEBOL.
    SEGUNDO, NÃO PERCEBO, PORQUE É NOTÓRIO, POR NÃO GOSTAR DE ROXO, SÓ POSSO GOSTAR DE AZUL COBALTO, AINDA POR CIMA MAL INTERPRETADO.

  11. carmo da rosa diz:

    “OS ÚNICOS DISSIDENTES QUE CABEM NA MINHA CABEÇA SÃO OS MALFEITORES, AQUELES QUE CORROMPEM SOB VÁRIAS ATITUDES O DECORRER DUMA SOCIEDADE HARMONIOSA”

    Carlos Clara,

    Referi-mo precisamente a estes malfeitores: Ivan Boenin prémio Nobel em 33, Boris Pasternak em ‘58, Alexandre Solzhenitsyn em ‘70, e ao melhor deles todos, Vladimir Nabokov, que se fartou de corromper a bela e harmoniosa sociedade soviética e não lhe deram o prémio – mas na minha opinião olhe que merecia…

  12. CARLOS CLARA diz:

    carmo da rosa

    se para si se só há nórdicos e antiga sociedade soviética, saio de cena.

  13. carmo da rosa diz:

    “se para si se só há nórdicos e antiga sociedade soviética, saio de cena.”

    Não, para mim só as nórdicas, que são muito boas… não desfazendo na Catarina Furtado.

  14. diz:

    meu De…deus….

    Como eu vou fazzer um seminário sobre esse livroO!!!

    Memorial do conventoOoOoO

Os comentários estão fechados.