Confronto Sócrates-Santana

Apesar do interessado regimento parlamentar permitir até a um primeiro-ministro mudo, que não é o caso do nosso, ganhar todos os debates, pode-se dizer que, no confronto entre Sócrates e Santana, a montanha pariu um Lopes.

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

20 respostas a Confronto Sócrates-Santana

  1. Ed diz:

    Ainda que out da política de Portugal, leio-vos aqui do Brasil. Meus cumprimentos.

  2. António Nobre diz:

    Que montanha, meu bom homem? Uma arca, vélhinha e carcomida, esburacada, pálidamente alaranjada. E dela não saiu nada. Nem ideias, nem conceitos, nem preceitos. Nem um simples convite para uma noitada adiscotada, musicada.
    O Sócrates sabe da poda. É fino. O Jerónimo, quiducho muito querido, já perdeu a prática da foice. E foi-se… Falou mais alguém? Ah, sim, o navegante Paulo Portas. Mas este é mesmo pra levar a sério? É? Se é, prefiro os livros do Vilhena.
    António Nobre

  3. A.Silva diz:

    O confronto foi anunciado,mas Sócrates fez o trabalho de casa,e os portugueses decerto pensaram como é que o PSL agora como lider parlamentar tem a lata de vir novamente para o palco.Sócrates esteve muito bem,usou a melhor estratégia de defesa,o ataque.

  4. João José Fernandes Simões diz:

    Havia circo, hoje…?
    Nem me lembrei…!

  5. teresa diz:

    Não vejo televisão. Não segui o debate. Mas estou para aqui a pensar no pobre do PSL – primeiro é o Mourinho a chegar ao aeroporto, hoje, logo hoje, um acidente com 15 mortos? Como abriram os telejornais, alguém me diz?

  6. emepê diz:

    É impressionante como um homem que dizem ter faro político se mete por atalhos. Ainda o ouvi arremessar com o ‘fugitivo’ (Guterres) e só não me benzi com o estrondo do tiro no pé porque não tenho a certeza de que a protecção divina funcione comigo. Mas tive pena de não ter visto o desfecho.

    Achei um piadão à Teresa Caeiro, dar a volta ao regimento para interpelar o Sócrates à inglesa, através do mr. Speaker.

  7. emepê diz:

    Teresa, abriram com o acidente, o ego do PSL ficou à espera.

  8. laura diz:

    Vai relevar a minha pergunta, que é deslocada e se calhar inconveniente. Mas tenho 1 curiosidade enorme acerca de sua genealogia próxima (eheh, um não-terreno de eleição para si).
    – O que é que você é ao Miguel Ramos de Almeida? Digo «é», não digo «foi», porque os parentescos (a existirem) não morrem, tal como, no meu caso, as boas recoerdações.

  9. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Cara Laura,
    As perguntas nunca são deslocadas, sobretudo se nos permitirem lembrar de alguém de quem gostamos. O Miguel é meu primo.

  10. CARLOS CLARA diz:

    SANTANA LOPES SEMPRE ME FEZ LEMBRAR O PURO “MÂNFIO” PORTUGÊS”. VIVAÇO, A ABRIR, “ESPERTO”. HOUVE TEMPOS EM QUE SER “ESPERTO” ERA PREDICADO MAIS LOUVÁVEL. A INTELIGÊNCIA ERA COISA DE SOMENOS. AINDA ASSIM É PARA A MAIORIA. ACONTECE QUE SÓCRATES É VIVO E INTELIGENTE, RESULTADO FINAL – COITADO DO PSLOPES, PARECIA UM TONTO. E OS PORTUGUESES LEVAM COM ISTO – UM HOMEM QUE NÃO SABE FAZER NADA, ALÉM DUMAS HABILIDADES NA BOLA E UM CERTO JEITO PARA POLITIQUEIRO

  11. João José Fernandes Simões diz:

    Lá mais para cima disse que: «Havia circo, hoje…? Nem me lembrei…!»
    Mas, obviamente, que estive atento, e até começo a ter pena de Pedro Miguel “de” Santana Lopes ou Pedro Miguel de Santana Lopes.
    E de quem ainda nele acredita, enquanto político.
    E não pensem que o pormenor do “de” que não tem algum sentido.
    Tem sentido, sim. Mas isso é para quem o saiba analisar melhor que eu. Talvez… Bom, não vou dizer quem aqui pode comentar bem este pormenor do “de”. Mas, se a senhora comentadora, que, ás vezes, também aqui posta, estiver atenta e ler o que estou a escrever, talvez possa dizer qualquer coisa. Embora não deva, porque PSL merece respeito, também.
    Já agora, cuidado, que PSL, lá no seu blog, onde apenas leio os comentários que fazem a sua apologia, isto por algum narcisismo meu, já disse que mandou para tribunal quem disse mal dele sobre alguns episódios, maldosos, acredito, porque o pessoal dos jornais é tramado, enquanto PM e coisa e tal…
    Enfim, talvez seja o seu estilo. Ou seja eu que deixei de gostar de “mel”.
    E para PSL muita saúde, isto porque foi MRS quem disse, não há muito tempo, que sofria de angústias e ele o deve conhecer ainda melhor que eu, podendo tal ainda não lhe ter passado.
    Talvez as horas que passa ao piano não sejam suficientes para espairecer.
    E para que consiga perceber que quem «o tirou de PM não foram os seus inimigos, nem o PR da altura, mas o povo que nele não votou»
    Se bem que a mim ainda me convenceu uma vez, mas isso são outras histórias. E deste problema já me curei, com ajuda de especialistas de tal foro.

  12. Zé Pardal diz:

    O PSL é um resistente mas, coitadinho, tem uma queixada muita fraquinha. E o JS nem precisou de calçar as luvas especiais.
    Terrivel, uma tristeza.
    O PSL está tão ávido de protagonismo que nem vai precisar de ajuda para se enterrar. O LFM é um espertalhão.

  13. Quem (ainda) acredita que PSL tem valor político, apesar de todas as provas dadas por ele em sentido contrário, faz lembrar aqueles que se metem num certo autocarro acrditando que vão para o Restelo. Depois, chegados ao destino, reparam que estavam enganados, que não foram para onde queriam. E no entanto bastava terem tomado em consideração o que estava escrito no letreiro do autocarro: ‘PICHELEIRA’.

    Com PSL passa-se algo parecido. A pessoa está fartinha de dar provas de futilidade, vaidade, preguiça e incompetência, de muita parra e pouca uva, mas ainda há quem espere qualquer coisa de jeito dele.

    Pode o oco Sócrates continuar tranquilamente a levar Portugal pelos caminhos da corrupção, do aumento de impostos e de despesas, da arbitrariedade, da farsa; os PSL e LFM de serviço acabam afinal os melhores elementos que ele podia encontrar para dourar a pílula. E Sócrates nem teve que se esforçar para os encontrar, o maior Partido de oposição ofereceu-lhos em referendo e numa bandeja.

  14. laura diz:

    Pois, imaginei que sim, que eram da mesma “colheita”!
    O Miguel foi meu colega de curso na faculdade e visita habitual em minha casa. Às vezes tb era… nos intervalos do téniis… companheiro de farras (apesar de estas não serem a sua especialidade, o que torna o resto um perfeito nonsense).
    Veja lá! Tudo nos “idos” heróicos de 75 e ss, agora quase inconfessáveis pelo anos que revelam de permanência no planeta…
    Ele era uma espécie de raio de sol, quando nos aparecia pelo meio da penumbra cultivada dos cantos de bar e de café, onde se mudava o mundo numa conversa incendiada e a claridade parecia não fazer falta, desde que desse para divisar o contorno do maço de tabaco, do cinzeiro e do copo, pelo meio do fumo :):)
    Inimitável Miguel! Nunca me esqueci daquela estranha mistura de “inocência” com sólida consciência social.
    Voilà, eis o porquê das boas recordações! Para uma acta incorpórea que alguém, algures, se encarregar de fazer!

  15. João José Fernandes Simões diz:

    Mau… quem é o Miguel…?
    É que a Laura é a minha esposa!

  16. laura diz:

    Ó J.J.Simões
    Não se preocupe, que não é ELA!
    O comentário algo cifrado era para o Miguel RA e o isoterismo é benigno!
    (Obs: Aïïïïe!! Você tem “esposa”?! Ora vê? Até por isso não podia haver confusão de identidades..)

  17. laura diz:

    Corrijo, era para o Nuno RA, lapsus linguae…

  18. João José Fernandes Simões diz:

    Estou mais descansado, obrigadinho…
    Já agora, Laura…
    É um nome bonito.

  19. M. Abrantes diz:

    Diz-me que confrontos políticos tens, dir-te-ei que país és [que bom era se esta frase fosse só conversa de um “bota-abaixo”]

  20. eee diz:

    Parece um combate de boxe.E a ‘discussão (?)não passa disto.Objectivo cumprido, e um grande c****** quadrado no cú dos votantes c-responsáveis da farsa.Ópois, queixem-se.Oje á futiboli,ó pessoal

Os comentários estão fechados.