Uma daquelas coisas que o Christopher Hitchens, coitado, nunca há-de perceber…

…acerca de Israel e da Palestina, mas que eu ainda não desisti de explicar aos seus amigos e amigas (que também são meus e minhas), encontra-se disponível aqui.

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

21 respostas a Uma daquelas coisas que o Christopher Hitchens, coitado, nunca há-de perceber…

  1. ezequiel diz:

    http://news.bbc.co.uk/2/hi/programmes/panorama/5209466.stm

    Panorama: Faith, hate and Charity (video, à direita)

    http://search.bbc.co.uk/cgi-bin/search/results.pl?scope=all&edition=i&tab=all&recipe=all&q=panorama+hamas&x=0&y=0

    ———–

    Israel está em guerra desde 1948. O hamas, partido político que sempre defendeu a destruição de Israel (e o estabelecimento de um califato) foi eleito por uma maioria considerável. Depois da retirada de gaza. Livre movimento de bens e pessoas, nestas condições?

    Point 5: At the outset it is necessary to stress the scope and limitations of my mandate.

    I am required to report on violations of human rights and international humanitarian law

    by Israel in the OPT. This means that it is outside my mandate to report on violations

    of the human rights of Israelis by Palestinians, on the violation of human rights by the

    Palestinian Authority, or on human rights violations in the OPT not caused by Israel.

    This does not mean that I am unconcerned about such human rights violations. In my

    report I shall refer to the fact that the firing of Qassam rockets from Gaza into Israel

    violates international humanitarian law and is accordingly to be condemned. I shall also

    make reference to the strike in the West Bank, which has seriously damaged education

    and health, and to the increase of crime in the OPT, in the context of the humanitarian

    crisis in the OPT occasioned by the withholding of funds from the Palestinian Authority

    by Israel. I shall not consider the violation of human rights caused by Palestinian

    suicide bombers. Nor shall I consider the violation of human rights caused by the

    political conflict between Fatah and Hamas in the OPT. Such matters are of deep

    concern to me but my mandate precludes me from examining them. ” (I WONDER WHY)

    http://www.ohchr.org/english/bodies/hrcouncil/docs/4session/A.HRC.4.17.pdf

  2. A melhor fonte de informação sobre a Palestina e Israel que eu conheço: http://www.un.org/Depts/dpa/qpal/

  3. nuno diz:

    Pena. A comparação entre o poder de destruição de Israel e o da Palestina só pode ser considerada hipócrita.

    Ironia. O Rapporteur das nações unidas ser da África do Sul, país no qual Israel se inspirou para praticar a política segregacionista contra os palestinianos. O modelo foi o do Bandustão. É isso que os Israelitas replicaram em Gaza e na West Bank.

    Certeza. Ninguém vai mexer uma palha pelos palestinianos e a sua autodeterminação enquanto os americanos não deixarem de ter uma visão absolutamente maniqueísta do conflito (que não é conflito nenhum, trata-se de uma limpeza étnica).

    Cegueira. Em Gaza a esperança média de vida ronda os 14 anos. A mais baixa do mundo. Quem não tem nada a perder não lhe pode ser exigido compromissos.

    Confusão. Não é bom deixar passar em claro situações que configuram verdadeiros atropelos aos direitos humanos, sobre pena de os desvirtuar por completo.

    Democracia. Durante décadas gritou-se por eleições livres na Palestina. Quando elas aconteceram não se reconheceu o governo. Não me parece que estivessem interessados em eleições LIVRES na Palestina.

    Futuro. Negro. Muito negro.

  4. Quando o regime comunista do que restou da Jugosávia começou a expulsar os 90% de albaneses do Kosovo, o anti-americanismo considerou que os sérvios de Milosevic eram os bons, os albaneses expulsos e o seu aliado americano eram os maus. (Nessa altura Clinton era mau, hoje já é bom, tb se sabe pqê.)

    A sobrevalorização do conflito israelo-palestiniano acontece pq Israel é um país livre e aliado dos EUA. Fosse Israel um regime entrincheirado como Cuba ou a Coreia do Norte, estivessem os EUA a apoiar guerrilhas anti-isrealitas, e a coisa daria uma volta de 180 graus.

    Por último, nos acontecimentos que se seguiram à breve guerra civil em Gaza, as milícias do Hamas mataram centenas de palestinianos. Muitas centenas de outros são mantidos presos em condições bem piores do que qualquer bombista palestiniano em Israel. Sobre isto os anti-semitas pró-palestinianos não dizem nada, e nas raras excepções em que falam costuma ser para ensaiar algum argumento desculpatório.

  5. Ezequiel diz:

    A melhor fonte de informação sobre a palestina e israel é o estudo sério da história daquela região do mundo.

  6. viana diz:

    Digo para mim mesmo que é preciso ter paciência com seres de raciocínio limitado que se julgam iluminados pela clarividência… mas é difícil! Um desses exemplos parece ser alguém que se diz Paulo Porto e que, no seu tal raciocínio limitado, acha que quem critica políticas praticadas pelos EUA (por exemplo o bombardeamento da Sérvia em 1999) é “anti-americano”. E olhe que há muitos americanos que sistematicamente o fazem, mesmo de Direita (dê uma olhada em antiwar.com, e no que respeita à Sérvia lei http://www.antiwar.com/roberts/?articleid=8690). Nunca lhe passou pela cabeça ser paradoxal haver (cidadãos) americanos que pela sua definição são “anti-americanos”? Haverá igualmente portugueses “anti-portugueses”?…

    Para além dum raciocínio limitado o Paulo Porto dá mostras de delirante imaginação. Ora, indique fontes credíveis que apoiem a sua afirmação de que o Hamas matou centenas de palestinianos e mantém centenas de prisioneiros em condições infrahumanas.

    Ah, e a sua ignorância também é demonstrada pela expressão “anti-semitas pró-palestinianos”. Não sabe que os palestinianos são semitas?!… Confirme em http://www.m-w.com/dictionary/semites e http://www.britannica.com/ebc/article-9378220

  7. TJ diz:

    Paulo Porto:fiquei sem preceder bem o ultimo paragrafo.
    1-não foram centenas, foram 120 segundo o que li, elucide-me melhor se estiver enganado.
    2- o que que você sabe das condições dos presos em Gaza e em Israel?
    3- isto não há lados aqui, o meu lado e’ o da razão, o meu lado e’ o das sucessivas resoluções da ONU ignoradas pelos Israelitas. A palavra acordo também não significa absolutamente nada para eles
    4- uns mandam muros abaixo, outros constroem-nos, e aquele e mesmo muito alto, os Americanos vão fazer uma coisa parecida para se protegerem dos maus dos Mexicanos
    5- Essa da sobrevalorização ate’ me da’ engulhos, desculpe-me!

  8. Caro Viana

    Noto que se indigna com os bombardeamentos à ex-Jugoslávia, que foram a única forma de terminar com a expulsão e permitir o regresso dos albaneses, mas não tem nada para dizer sobre essa mesma expulsão. Ora, era isso mesmo a que eu me referia quando escrevi que o problema de alguma esquerda é a a América, quem ela apoia ou a quem se opõe e não as crises humanitárias por si mesmas.

    Não adianta indicar-lhe fontes de algo que facilmente pode encontrar ou line, ou de que bastaria ter acompanhado aquando do acontecimento. Basta só que tenha ‘paciência’ para ler fora da ‘cartilha’. ‘Paciência’, eufemismo para falta de coragem ou capacidade para ler fora da ‘cartilha’.

    Quanto à expressão ‘semita’, ela foi usada com grande frequência como depreciativo racial aplicado aos judeus antes da GGII, sabendo-se que era extensível a outros povos do médio oriente. Hoje o termo é usado para estabelecer a ligação entre a atual fase de ódio a Israel e aos judeus com a fase anterior, o nazismo.

    Caro TJ

    Parte das suas observações respondi acima.

    No que respeita às resoluções da ONU, digo-lhe que uma declara a soberania do Estado de Israel, com o consequente direito a defender-se de quem o quer destruir. Israel nunca iniciou nenhuma guerra, mas foi vítima de várias cuja intenção era a sua aniquilação. Venceu sempre, para grande arrelia dos inimigos do povo judeu e da liberdade. Espero que continuem arreliados por muitos e bons anos.

    Sobre os muros, vc não gosta mas não é só vc, os terroristas palestinianos também não: fica muito mais difícil fazer pontaria, têm de se limitar a atirar rockets sem poder corrigir o tiro. Depois também não dá para entrar em Israel a salto e fazer-se rebentar num restaurante ou autocarro cheio de judeus antes de ir para os braços de 70 virgens que não podem esperar mais pelo herói da façanha. Os muros, é muito chato.

    Escreve também que tem engulhos com a sobrevalorização da questão israelo-árabe. É natural que tenha engulhos, sobretudo se lhe vier à ideia o Sudão e os 4 milhões e 700 mil habitantes que atualmente vivem fugidos ao regime do seu próprio país, ou aos 1 milhão e 300 mil que morreram na fuga ou pelas armas do exército sudanês. Também pode ter engulhos pelo que se passou e passa na Chechénia. A destuição completa de aldeias, as cevícias à população, a detenção indiscriminada de habitantes com com alguma sorte regressarão vivos continua a ser prática corrente quando se trate de punir qualquer presumido apoio a guerrilheiros ou ao que sobrou deles. Pode ainda ser que tenha engulhos pela expulsão de toda a população georgiana da Abkázia, cerca de 250 mil pessoas, metade da população do território, há menos de 20 anos. Ninguém fala neste crime. Estas pessoas estão impedidas de regressar a casa, além de que a Georgia está interdita pela Rússia de reconquistar parte do seu próprio território. Tudo assuntos mais graves que a questão israelo-árabe, só que EUA não são tidos nem achados, logo são assuntos que não intressam.

  9. TJ diz:

    Paulo Porto , mas vc esta’ a comparar a dimensão do mundo árabe com o estado de Israel?

    e’ a chamada visão autista, onde toda a gente ve um muro vergonhoso, você ve aos protecção dos terroristas, qualquer gajo de pele escura e’ um potencial terrorista

    Também não fala da questão dos colonatos, nem dos monte gola, nem de pequenas questões como os árabes se querem abrir um poço podem so’ ate aos 3 metros, e os Judeus ate aos 10 , isto na Cisjordânia , terra dos árabes, mas os Judeus dizem que aquilo e deles, por herança, e a terra prometida

    Vc já la foi por acaso?Sabe quantos refugiados há la a viverem na sua própria terra?

    O que esta a acontecer aos Palestinianos, ironia do destino,e’ a mesma coisa que aconteceu aos Judeus há 60 anos atrás, va mas e’ ler o Triunfo dos Porcos, esta la tudo chapado, irra!

  10. viana diz:

    “Noto que se indigna com os bombardeamentos à ex-Jugoslávia, que foram a única forma de terminar com a expulsão e permitir o regresso dos albaneses, mas não tem nada para dizer sobre essa mesma expulsão.”

    Obviamente que o Paulo Porto desconhece, não sei se porque lhe fizeram uma lavagem ao cérebro ou se porque não sabe ler, que o exodo em massa das pessoas de etnia albanesa do Kosovo **apenas começou** após o início dos bombardeamentos da NATO. E também se esquece que após as tropas sérvias terem sido obrigadas a sair do Kosovo, 200 mil sérvios e outras minorias viram-se obrigadas a fugir do Kosovo. E tembém se esquece das cerca de 500 civis mortos pelo bombardeamento da NATO.
    Leia http://en.wikipedia.org/wiki/Operation_Allied_Force. Mas, para o Paulo Porto, há pessoas inocentes “boas” e “más”, e “obviamente” as segundas não têm direito a viver…

    “Ora (..) o problema de alguma esquerda é a a América, quem ela apoia ou a quem se opõe e não as crises humanitárias por si mesmas.”

    Ó homem, não deve realmente saber ler pois não?! Já não lhe disse que há muita gente à Direita que critica sistematicamente o comportamento de sucessivas admnistrações americanas? Vá ler o que o Ron Paul, candidato republicano a presidente americano, e herói de alguma Direita fundamentalista cá em Portugal, anda a dizer há anos (http://en.wikipedia.org/wiki/Political_positions_of_Ron_Paul). Santa ignorância…

    “Não adianta indicar-lhe fontes de algo que facilmente pode encontrar ou line”

    Tão facilmente se apanha um mentiroso…

  11. Caro TJ

    Se ao ler o ‘Triunfo dos Porcos’ vc consegue estabelecer analogias com expulsão ou aniquilação étnica em lugar da mais brilhante parábola alguma vez escrita sobre o comunismo, então percebo que não perceba nada de nada; passou ao grupo daqueles que vêm uma mesa em cada cadeira. Lamento, mas acabou de me dizer que não tem capacidade para discutir, muito menos entender, qualquer coisa, por mais óbvia que ela seja.

    Caro Viana

    Está equivocado sobe a cronologia dos acontecimentos no Kosovo. Tente encontrar a cronologia certa, é mais fácil do que encontrar a errada, só precisa de não andar a ler os mentirosos de serviço.

    Sobre o assunto que seguiu, eu não lhe disse que não há divergências na apreciação da atuação política deste ou de outro qualquer Governo americano. Claro que há, os EUA não são a URSS ‘que Deus tem’. O que eu lhe disse é que a valorização e exposição de acontecimentos internacionais não decorre da sua gravidade mas sim de se saber se é passível de questionar a intervenão americana neles.

    Por fim vejo que em vez de ir fazer os trabalhos de casa preferiu chamar-me mentiroso. Também insiste no meu (óbvio) analfabetismo. Pois eu digo-lhe que este tipo de argumento não passa de um auto-reconheicmento subliminar da sua própria fraqueza.

  12. Um erro que quero corrigir; algures acima escrevi ‘sevícias’ com ‘c’.

  13. nuno diz:

    Caro Paulo Porto, não seja tão purista com a língua; ler os seus comentários constitui sevícia suficiente!

    Dois pontos: que não viesse o anti-semitismo a fazer de bode. Qual bode? Expiatório, pois é claro.
    Também é daqueles que acha que todos os outros ficam a anos de luz do seu entendimento e que quem não percebe que desde o terramoto de 1775 não houve pior coisa do que os terroristas palestinianos não merece entabular conversa consigo. Não me diga que é do clube do Lidador? Ou será o próprio? Não, não creio. O lidador tem uma verve onde se fundem os mais prolixos aspectos da prosa vicentina com o melhor que há no cais do xidré. Digamos, que é um digno candidato a Ramão Ortigalho.

    O caso palestiniano é tão nojentamente triste que custa a crer que haja gente que encontra argumentos para desmentir a evidência. Deixe de ler o haaretz e o wall street jornal, dê uma volta pelos sites antiwar.com, pela aljezira, e claro pelo inimitável Robert Fisk e talvez fique com uma visão mais equilibrada. É um pouco como dizer que a invasão americana foi uma benção para o Iraque.
    Nestas coisas o melhor é escutar o que o próprio povo tem para dizer. Parece que os palestinianos não estão contentes e o que é mais engraçado, uma parte substancial dos israelitas também não. Embora o governo de ultra-direita tenha feito os possíveis para convencer as pessoas do contrário.
    Quanto a Israel nunca ter lançado uma guerra…o que foi o Líbano? Ah, já sei, um ataque proporcionado contra os papagaios de papel que o Ezbolah andava a lançar. Pois. Vergonha.

  14. Caro nuno

    Caiu na ofensa pessoal a quem tem opiniões diferentes da sua sobre a realidade. É bom sinal, para quem tem opiniões diferentes da sua, claro.

    Chamou ‘papagaios de papel’ a rockets que mataram indiscriminadamente em Isreal. Ficamos esclarecidos sobre o valor da sua interpretação da realidade.

  15. TJ diz:

    o’ o’o o’ o’

    Paulo Porto, V Exa e daqueles gajos enervantes que so apetece encher a cara de bolos daqueles cheios de creme (não sei se percebeu, se eu pudesse nao era bem bolos, mas se tb nao precebeu aquela do Orwell…)
    V. parece ser daqueles animais (que se julga) “mais igual que os outros’ . Confesso a minha ignorância, facilmente desisto face a sua retórica, mas senão vejamos:
    1 começou todo opinativo

    por fim já so discute orwell e papagaios, aonde e’ que isto vai parar?
    quer que a malta lhe peca desculpa?
    tem um blog mta fixe aqui mesmo ao lado : e’ de um Sr chamado Joshua, de por la umas voltinhas, vai ver que por la fica

  16. Caro TJ

    Depois da ofensa, agora quer passar das palavras aos atos e ‘encher(-me) a cara de bolos’. Tá zangandinho, não tá? Acredite que não me podia sentir melhor, é sinal de que vc ficou nas covas e deu por isso.

  17. TJ diz:

    PP, so agora descobri que Vc e’ brasileiro, atos escreve-se com c, valeu cara?

  18. Caro TJ, enganou-se outra vez, como costume, sou português. Já agora, 90% dos ‘a(c)tos em português são escritos sem ‘c’. Mas não se mace muito com isso, vc é mais ‘bolos’.

  19. Lidador diz:

    “sites antiwar.com, pela aljezira, e claro pelo inimitável Robert Fisk e talvez fique com uma visão mais equilibrada”

    Trata-se de ironia, não é verdade?

  20. A mais fina das ironias, lidador. Creio que o nuno na azafama obliterou nomes consagrados como o resistir.info, radio islam ou abu hamza al-masri, que lhes seja feita justiça

  21. TJ diz:

    o’ o’ o’ o’ o’

    Paulo Porto quau foi u resultadu do Flamengo cara??
    mi djiga’ vai!!

Os comentários estão fechados.