A política é uma lotaria em que o único prémio é o direito a jogar outra vez …

… E a Luís Filipe Menezes saiu a sorte grande. E jogará, no direito que lhe assiste após o prémio de sexta-feira passada.
Na sequência do «post» que aqui deixei ontem, e depois de Manuela Ferreira Leite ter tornado público o seu sentido de voto, de o PSD/Lisboa revelar-se em todo o seu esplendor e reclamar a cabeça da Presidente da Assembleia Municipal de Lisboa, Paula Teixeira da Cruz (hoje há sessão da mesma… adivinha-se animada, por razões várias mas nenhuma relacionada com o município… infortúnio…), da elite social-democrata ter agora optado por guerrear-se em vez de debandar e de Mendes anunciar que pretende abandonar o cargo de deputado e dedicar-se às leis…
… E após recuperar o fôlego, tamanha foi a sucessão de eventos e a velocidade descritiva necessária, devo acrescentar, em resposta que considero dever a quem teve a paciência de ler o que escrevi, o seguinte: parece-me, de facto, que o PSD demorará – muito – a recompor-se do consulado Mendes seguido de uma presidência Menezes. Nessa medida, concordo com o comentário de Carlos Fonseca.
Já em relação às afirmações de Mário Soares, e aos pontos de encontro entre as opiniões que manifestou e as minhas – respondendo aqui ao nosso leitor Paulo Porto – penso que a eleição de alguém como Luís Filipe Menezes para a presidência de um dos maiores partidos portugueses, é uma desgraça. Não no sentido da chegada de um grande periclito, da eminência do perigo, pois é minha convicção que dano grave e efectivo Menezes provocará, ostensivamente, no PSD. E mais não lhe será dado a fazer ou provocar.
O sentido que ofereço ao termo «desgraça» é o de considerar muito negativo para a política portuguesa – que já conhece as contingências de que se fala e volta a falar – ter LFM à frente do PSD. E, realmente, tão importante é ter uma boa governação, como ter uma boa oposição. É assim que a democracia funciona, em equilíbrio. Luís Filipe Menezes não equilibra coisa alguma. Antes, desequilibra um já tão desequilibrado PSD.
A ver vamos. Mas veremos muita coisa muito antes de 2013.
Não creio que a taluda repita Menezes como vencedor, ou que estejam reservados a este PSD grandes «jackpots»…

Sobre Marta Rebelo

QUINTA | Marta Rebelo
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

9 Responses to A política é uma lotaria em que o único prémio é o direito a jogar outra vez …

Os comentários estão fechados.