Pensamentos para mim próprio

Muitas vezes, demasiadas vezes, a blogosfera padece de excesso de seriedade. Scolari tenta dar um soco num jogador da Sérvia e logo, não um nem dois posts, mas uma vasta polémica surge, fulminante, a consumir os espíritos até à exaustão. A blogosfera parece a imprensa desportiva: alimenta-se de nada e tenta transformar esse nada em coisa que se veja (faire mousser l’affaire, diz-se em francês); mas isso só dá para clientes habituais, porque, fora esses, poucos são os que acham graça a ciências ocultas que tais.

Claro que o vazio substancial é sempre propício ao requinte formal, e às vezes até dá gozo ler quem não tem nada para dizer; e, por outro lado, observadores atentos podem sempre descobrir novas clivagens para além das tradicionais nas polémicas da blogosfera, o que é evidentemente enriquecedor: por exemplo, em torno da questão Scolari os bloggers dividiram-se, não em direita e esquerda ou coisa parecida, mas em moralistas e imoralistas (sendo que eu alinhei por estes últimos, em boa parte por feitio, mas também porque cruxificar o homem me parecia, para além de ingrato e imprudente, uma desagradável reminescência do espírito virtuoso e puro das “bruxas de Salem”).

Mas há mais: graças a este extravagante episódio (assim como ao da selecção de rugby, insensatamente despoletado pelo meu querido NRA), li coisas espantosas na blogosfera: que a Fernanda Câncio faz compras no “El Corte Inglés” (acusa o Filipe Moura, a brincar, claro) e, da parte de uma mãe (de nome “is a bel”) com sólidas referências estéticas mas que, não obstante, passa férias em S. Martinho do Porto, a preocupação que lhe causa ter um filho de sete anos que se chama Nuno Maria e quer começar a jogar rugby. O sociólogo amador que há em mim adora a blogosfera nestes momentos!

Agora a sério, Filipe: o único problema de fazer compras no Corte Inglês está em chamar-lhe “El Corte Inglés”; se for tratado com razoabilidade e devidamente mal pronunciado (à portuguesa) o Corte Inglês revela-se um supermercado porreiro, e um dos únicos sítios de Lisboa onde se podem comprar queijos franceses decentes. Quanto à onomástica do pequeno Nuno Maria e à sua queda para o football rugby, o miúdo que se concentre no Nuno e disfarce o Maria (como quem mora na Lapa deve dizer que mora na Estrela) e pense que há sempre pior do que o desporto que ele escolheu (ser forcado amador).

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

12 Responses to Pensamentos para mim próprio

Os comentários estão fechados.