Import, export

eta.jpg

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

5 respostas a Import, export

  1. manel diz:

    Pois, olhando para o galo de Barcelos “batasuna” com o gajo do capuz, até apetece dizer a esta malta para ser um bocadinho séria. Senão, vejamos em câmara lenta, esta trapalhada da ETA. Esta organização tem mais de meio século de actividade e séculos de reflexão sobre essa mesma actividade. Estão sob alguma pressão de Madrid e iam, logo nas bordas do Algarve, há um mês ou dois, largar um carro de matrícula portuguesa com documentos dentro onde estava, segundo vi, na altura, na SIC ou na TVI, escrito que eram da ETA. Tenham paciência! Depois há esta coisa da célula dos etarras em Portugal. Vamos rindo mais um bocadinho. Alugar um carro em Portugal e comprar 100 quilos de dinamite é uma coisa que, de tão difícil, deve envolver, pelo menos, uns 345 operacionais!!! Pois claro, a ETA não tem uma célula em Portugal porque não é preciso… Alugar carros na AVIS ou na Rent-a-Car até se pode ter algum controlo, mas imagine-se que se aluga um carro a uma dessas empresas de quintã ou quintal em Pinhais de Baixo… enfim! Mas isto dá que pensar… é que no rasto destas estorietas veio logo alguém defender ser necessário criar um grupo anti-terrorista em Portugal… assim, do tipo, um SIS só para o dinamite! E nada disto tem a ver com a chegado do ministro das secretas, o actual MAI, ao lugar, não senhora, não tem nada a ver… hummm! Ahhh, já me esquecia… Madrid quer constituir equipas mistas anti-terroristas… só se for para controlar o fluxo de caramelos. Não me lixem! Um dia destes isto vai ser explicado. OU não!

  2. O manel quer dizer que as tentativas de atentados e atentados recentes são obra dos serviços secretos espanhóis? Dos portugueses? Do PSOE ou do PS? Ou será do PSD e do PP? Há limites para as alucinações conspirativas…
    1 – A ETA sempre atentou desde França onde são de alguns anos para cá demasiado visados pela pressão da colaboração da policia francesa. Fundamental no desgaste e perda de operacionais pela oprganização terrorista.
    2 – A França é interessante, pois tem fronteira directa com territorio basco espanhol, tem uma comunidade basca onde eventualmente sempre se pode encontrar um maluquinho de serviço. Mas se lá já não pode ser, pois que seja Portugal. É natural e quase inevitavel que tendo em conta a onda de espanhois em Portugal, o desconhecimento geral da população do tema (poucos portugueses saberão reconhecer sequer um apelido basco, quanto mais outras caracteristicas mais notaveis para um espanhol ou um frances da fronteira), portugal seja um pais interessante para segunda hipotese.
    3-A ETA em termos de operacionais esta enormemente desfalcada. Vejam a pagina dos mais buscados e terao uma ideia da idade media daquela gente, acabaram de largar a puberdade e por mais meios e experiencia que a organização possua a baixa experiencia daqueles miudos conta. E se tem notado nos ultimos atentados ou tentativas.

    Nao sei se serve de explicação ao manel, provavelmente prefira pensar que é tudo um montagem da CIA.

  3. manel diz:

    Ui!!! Ainda bem que regressei para que não fique com essas ideias, ó Rui Fernandes, nada disso… A baixa experiência daqueles indivíduos permite-lhes estoirar 100 quilos de dinamite(ou coisa que o valha) sem matar ninguém, ou matar, como aconteceu no aeroporto por mera infelicidade de dois sem-abrigo, num rendilhado que nada tem de acaso. Nada disso, queria apenas dizer que alguém está a aproveitar este cenário para levara a cabo algumas… hummm… ideias antigas. E depois queria também dizer que para manter uma célula em Portugal, basta que um casalito espanholito alugue uma casa ou algo do género num qualquer lugar turístico… não é preciso casas de rectaguarda, nem passagens secretas, nem dispensas carregadas de latas de conserva… enfim.

  4. Claro, os espanhóis controlarem Portugal… pelamordedeus! Pelo menos não tenhas vergonha de dizer…
    Primeiro não eram sem abrigo, eram emigrantes equatorianos a dormir em seus carros a espera de chegada de seus familiares… O que talvez nem seja importante, ou se calhar sim.
    Quanto a que uma celula em Portugal basta um casalito é verdade. Em França e Espanha são sempre casalitos, mas se há armazens de explosivos pouco vigiados e a estância se demora se podem sempre fazer uns assaltos e uns buracos.
    Quanto a falta de experiencia. O ultimo atentado foi acelerado por nervosismo ao ver que guardas civis se haviam interessado pelo carro, desistiram de um alvo muito maior e que era o original. Quanto ao outro caso também o miúdo em questão se assustou ao ver ao ver a operação stop espanhola e fugiu do taxi deixando a bolsa com os explosivos para trás. Atentados falhados ou mal executados por nervosismo dos terroristas a cargo. A redução drástica da idade dos operacionais etarras é um facto, directamente relacionado com a colaboração francesa na persguição em França a ETA.
    De resto não sei onde queres chegar a não ser talvez a idéia boba dos “espanhóis que querem mandar em Portugal”…

  5. manel diz:

    “boba”… está bem, admito… perante esta ideia “boba”, vou ali à Abobadela e de lá trarei um pirulito explosivo…

Os comentários estão fechados.