Chama-me nomes

Gostam de Nick Drake? Eu gosto muito, tenho os discos todos dele (são só três) e até já consegui impingi-lo aos meus filhos. O “Público” de hoje, a propósito da saída de uma colectânea dele com alguns inéditos, afirma que que existe um “culto” de N.D. que afecta “gerações sucessivas de urbano-depressivos”. Está tudo explicado.

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

6 respostas a Chama-me nomes

  1. sleepyhead diz:

    Tenho 25 anos e desde os 17 que sou “urbano-depressiva”. 🙂 Onde é que me inscrevo?

  2. RAF diz:

    Enfim de acordo. Adoro ND, só não me sabia urbano-depressivo! Seja.

  3. Ana Matos Pires diz:

    Bom, acabei de chegar de férias e parece que tenho o ano garantido… com tanto urbano-depressivo! eheh

  4. António Figueira diz:

    Ana,
    Proponho assim: por cada dez discos vendidos, sorteia-se uma consulta. Bem vinda de volta!

  5. Ana Matos Pires diz:

    Está combinado, António.
    Obrigada pelas boas vindas de volta.

  6. Ouço o urbano-depressivo há bastantes anos. Devo dizer que basta ouvir os originais; as colecções de “sobras” que ultimamente têm aparecido não são brilhantes e destinam-se apenas a fazer algum dinheiro fácil. Dito isto, o homem era brilhante, é uma pena o que aconteceu, blá, blá, blá. Ouça-se a música.:)

Os comentários estão fechados.