Assim não vale!

Eu, Mirandista confesso, espero fielmente pelo DN de sábado de manhã para ler (na net, que é mais barato) a crónica do meu herói intelectual e sai-me uma daquelas pasteladas teóricas sobre “o sexo e a democracia” (já vai na parte III), e depois descubro que ele reservou para o seu blogue uma crónica muito mais sumarenta, muito mais “fracturante” sobre “adolescentes nas marchas gay”! Não é justo: a quem lhe paga, João Miranda escreve umas chatices com ar doutoral, e para quem não paga é que vai o que é (ainda) mais delirante! Assim não há economia de mercado que aguente!

PS Vou de férias daqui a bocado, por isso peço antecipadamente desculpa por não comentar eventuais comentários.

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

12 respostas a Assim não vale!

  1. Nuno Ramos de Almeida diz:

    É genial. Desdo o Lysenko que não via uma interpretação tão canhestra do darwinismo. A relação entre a falta de úteros, a reprodução e a propensão genética para a existência da homossexualidade é notável. Assim como os três mosqueteiros são na realidade quatro, os gato fedorento têm na realidade mais um pivete na rua: João Miranda.

  2. Ana Matos Pires diz:

    Ainda por cima faz mal as contas, Nuno, porque, e a não ser que o senhor defenda a histerectomização das lésbicas, um casal de “fufas” tem dois úteros, uma mais valia face a qualquer outra modalidade de casal, portanto, utilizando a lógica dfendida.

    António, fracturante em sentido estrito, assim daquelas fracturas dos ossos que resultam das agressões físicas aos adolescentes homossexuais… talvez valha a pena voltar ao tema um destes dias, que a irritação e a raiva toldam a razoabilidade. Boas férias

  3. samuel mor diz:

    Tssssss!… a proposta do ‘Blasfémias’ é fa!-bu!-lo!-sa!??!!!…(e que me desculpe o Pedro Mexia e a sua chamada de atenção quanto à utilização face a quanto a pontos de exclamação (à partida 1 excesso) e com que com que concordo perfeitamente… Mas, como dizer…?… A verdade é que quem ‘liga’ – em directo ou por recomendação alheia – parece não resistir lá ao comentário, as ‘blasfémias’ de nome já passaram a centena.
    E, se calhar, mirandismos destes tanto quanto ao seu ‘hip/darwinismo da pena, estarão ainda devedores das propostas de visita. É giro ler a diversidade – a sério ! – da blasfémia informada!…
    Como será (não este… falta toda a lucidez!) o seu dia moribundo antes da conversão de padres?…

  4. Nunca mais é sábado. O João Miranda é bem moço, mas aventura-se a falar do que não percebe muito. As noções que ele tem sobre socialogia e história estão contaminadas pela sua formação cintifica, a biotecnologia, logo explica tudo com tubos de ensaio, pipetas, culturas controladas de bactérias e outros bichos. Por mais que se lhe diga que assim não pode ser, o moço teima. É bom moço, mas muito teimoso.

  5. charles diz:

    liberal, eu dou por tudo, desde gays a deys a lésbikas, em democrácia, of course!

  6. Pingback: cinco dias » Publicidade II

  7. António Oliveira Gomes diz:

    Dos comentários do JM safam-se os desenhos do Irmão Lucia.
    O resto é a goar com o pagode.

    Ou então ,coitado, tanto esforço intelectual. Até chateia.

    mas é muito falado,citado,considerado.

  8. Fernanda Câncio diz:

    dêem-me licença de me espantar antes com a teoria do tal de clark. então os ricos é que se reproduzem mais? é espantoso. e sobretudo chato que se olhe para o mundo e se conclua o contrário. mas que a realidade, essa grande desmancha teorias, não estremeça as elucubrações mirandinas.

  9. Fernanda Câncio diz:

    tenho também uma proposta a fazer: quem é que quer entrar comigo na oferta de uma edição (ilustrada, claro) do oliver twist ao miranda? é o mínimo que podemos fazer por quem tanto nos entretém.

  10. Ana Matos Pires diz:

    E o irmão lúcia seria o ilustrador, f.?

Os comentários estão fechados.