Os verdes jardins de Inglaterra

“From Gardens Where We Feel Secure” foi um daqueles vinilos que eu não descansei enquanto não arranjei em CD. A Virginia Astley (que o assina) fez também coisas óptimas com o Richard Jobson (que será feito?), em fundo das suas declamações e entre passagens de Satie, que a “Disques du Crépuscule” editou, e em Bruxelas também ajudou a Anna Domino a conseguir dos melhores sons que ela teve, vai para trinta anos. Foi um prazer reencontrá-la aqui (bravo, Gabriel!).

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

8 respostas a Os verdes jardins de Inglaterra

  1. rafael rodrigues diz:

    Posso saber onde encontrou. É que também guardo o vinil.

  2. of diz:

    FYI, acho que o richard jobson faz sobretudo filmes. Vê em http://www.richardjobson.com.
    E já viste com atenção o catálogo da LTM — Les Temps Modernes?

  3. António Figueira diz:

    Rafael,
    O CD pode ser comprado aqui:
    http://www.amazon.co.uk/Gardens-Where-We-Feel-Secure/dp/B00005Q58Y/ref=sr_1_1/026-8895377-0644446?ie=UTF8&s=music&qid=1185805610&sr=1-1
    Of,
    Obrigado pelas dicas. Pois parece que o Richard Jobson fez uma fita chamada “Sixteen Years of Alcohol”; com todo o respeito pelo fígado dele, devo dizer que lamento que tenham chegado ao fim.

  4. of diz:

    Mas esqueci-me do link, António. Cá vai:
    http://www.ltmrecordings.com/

  5. António Figueira diz:

    Of,
    Eu já o tinha encontrado (o meu Google está muito bem treinado), mas obrigado na mesma.
    AF

  6. ezequiel diz:

    Elevator music.

    Sorry

  7. António Figueira diz:

    Ez,
    Essa classificação não é um estigma, muito pelo contrário: lembra-te por ex. do “music for airports” do Brian Eno (uma bela chumbada, é certo, mas…)
    Ab., AF

  8. ezequiel diz:

    Caro Tony (já que estamos em silly season, eh ehe eh eh )

    Como dizia a minha amiga de fins de semana

    Não é um estigma, mas é uma grande chatice! Bolas António, és um homem novo..get active homes! (non-socialist, to be sure)…just kidding…to each his own (taste)!

    Oh dear, oh dear, oh dear…

    Talvez seja melhor esperarmos até ao fim de agosto. O meu algoritmo classificativo está desordenado.LOL 🙂 Sol, calhau (com piscinas naturais), bbq´s, morenas kinky, louras emancipadas…a razão instrumental reprodutiva no seu melhor…goodness gracious!! Só falta aparecer aqui alguém a falar da não-equivalência do veiculo neuronal com o conteúdo semântico… ehe he ehe eh eh

    eh eh eh

    Abraços (está divertido)

Os comentários estão fechados.