Mais uma declaração para ser desmentida, pelos fiéis

O dirigente da CAP João Machado defendeu a possibilidade de despedir por motivos políticos

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

16 respostas a Mais uma declaração para ser desmentida, pelos fiéis

  1. João Cardoso diz:

    outra vez na TSF…

  2. l.rodrigues diz:

    Via “o Bitoque”:

    http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1300053

    Aparentemente não disseram aquilo mas defendem uma coisa que torna aquilo perfeitamente legítimo, o que convenhamos vai dar ao mesmo.

    Despede-se, mas se depois não forem obrigados a reintegrar, fica resolvido o problema do agitador. Isto se eu percebi a coisa.

  3. Lino José diz:

    Ó Nuno Ramos de Almeida

    é assim :

    uma empresa não se pode dar ao luxo de permitir que um comissário político da CGTP, a mando do PCP, sob a capa de “trabalhador”, fomente greves políticas, e paralise essa empresa para ir de encontro aos desejos das aspirações politicas do PCP. Ou seja, esse dito “trabalhador”, em vez de andar a fazer sindicalismo sério (que não tenm nada a ver com correias de transmissão partidárias) ou a trabalhar, anda, pura e simplesmente, a desestabilizar e a sabotar com intuitos politico/partidários.

    Há motivos mais do que sufucientes para esse parasita ser posto no olho da rua. E não é por ele ser comunista ou mesmo sindicalista; é por uma prática terrorista de boicote, e por ser mau trabalhador. Por, em lugar de andar a trabalhar, anda a fazer politica partidária no local de trabalho.

    Você admite que uma empresa como o Metro, que existe para servir as pessoas que pagam os seus passes e os seus bilhetes, páre totalmente, sem cuidar de se interessar das implicações que isso tem na vida de quem paga ? Que, de uma forma manifestamente ilegal, se recuse a cumprir serviços mínimos ? E você acha que isso é sindicalismo sério ?

    E depois, porque diabo é não se pode despedir uma pessoa de uma empresa, seja lá por que motivo fôr ?

    Quer dizer a esquerda demagógica e fundamentalista exige que um conjuge possa terminar um casamento, de um dia para o outro, sem cuidar sequer de saber dos interesses que estão em jogo, dos filhos, etc.. mas um empresário, a partir do momento em que admite um empregado é obrigado a tê-lo nos quadros para o resto da vida.

    Isto cabe na cabeça de alguém ?

    As pessoas têm de se mentalizar, de preferência desde os bancos da escola, que têm de estruturar a sua vida para todas as eventualidades, e têm de se preparar, têm de se qualificar, e de correr riscos. Não é obrigar uma parte dos cidadãos a subsidiarem os outros porque são coitadinhos.

    Um empresário tem um empregado enquanto necessita dele, e mais nada. Um empresário não é segurança social nem a Santa Casa da Misericórdia.

  4. A.Silva diz:

    Estes declarações patronais são a prova de que com pessoas com esta “visão” é muito difícil que este País se desenvolva estes senhores não sabem o que é produtividade.Talvez se fossem tirar umas lições,já não digo a outros países da UE porque se calhar só sabem falar a nossa lingua,ás melhores empresas multinacionais europeias instaladas no nosso País,veriam, que a estabilidade,o estímulo,a criação de equipas de trabalho motivadas,são a formula do sucesso empresarial.Sinto vergonha da triste figura que farão junto dos empresarios dos outros países da UE

  5. xatoo diz:

    eu cá acho uma piada do caraças a estas péstinhas, clones do viajado “compre-me-IssoPortugal” que vêm para aqui debitar lérias sobre um pretenso individualismo liberal que só existem dentro das carapaças ocas que portam em cima do pescoço. Saberão estas alimárias que há uma coisa chamada “função social das empresas” que não por mero acaso até está consignado na carta das Nações Unidas?
    Não digam mais. Já sei. As “nações unidas” também têm de passar a poder ser despedidas. (se é que já não foram depois que as pintaram de amarelo)

  6. Ou o povo abre os olhos ou estão tramados.

    O poder económico quer tomar conta do País.

    É preciso dizer basta em 2009.

  7. A.Silva diz:

    Caro José Manuel Faria não entendo o que é que estes senhores tem a ver com a sua referencia a 2009.Quanto ao poder económico estes ilustres já foram ultrapassados pelo poder económico do capital da UE

  8. -Por acaso acham os srs comentadores que um piquete de greve tem o direito de impedir que outros trabalhadores possam exercer o direito ao trabalho. Já lá vão mais de 20 anos, andava eu no liceu, a CGTP marcou uma greve geral que foi greve da CGTP, e quiseram com 2 funcionários mais dois ou 3 professores paralisar a escola. Com que direito? Perante uma professora que fez greve, eu com uns quantos colegas meus, resolvemos entrar numa sala de aula e aí permanecermos durante o tempo da aula, sem professora que estava em greve. Ela exerceu um direito, nós exercemos outro. São diferenças de pontos de vista, mas com uma substancial, a nossa atitude foi pacífica, no entanto apelidaram-nos de provocadores, agitadores, e não chegaram a vias de facto porque não ficaria bem a professores agredirem alunos, e porque a esmagadora dos alunos com opinião diferente da nossa tinha ficado em casa, só lá estavam meia dúzia, número manifestamente insuficiente para tentarem a via da agressão, dessa vez ganhámos, da outra que se seguiu encontrámos o portão da escola fechado a cadeado. Democratas…

  9. Em 2009 os trabalhadores têm de votar em massa na Esquerda à esquerda do PS.

  10. Ana Matos Pires diz:

    Buito.

  11. A.Silva diz:

    caro Jose Manuel Faria,acha que as propostas da esquerda a esquerda do PS são possiveis? Eu acho que são proposta de quem sabe que não vai governar e portanto não vai ter de prestar contas.

  12. Inapto diz:

    Oh, eu pensei que isso já era dado adquirido. Nada que o desgoverno de Sócrates não faça, não lhe parece?

  13. Diogo diz:

    Não vejo mal nenhum no despedimento por motivos políticos. Mas também defendo que se possa nacionalizar, regionalizar e localizar por motivos políticos. No fim de contas, quantas grandes e médias empresas foram abocanhadas [por privados] à má fila?

  14. mariana diz:

    O ‘é assim’ pensa que está nas ilhas de escravatura que se estão multiplicando pela Europa ‘democrática’ e dos bons costumes.Aprecio-lhe as teses hitlerianas ou a versão mais democrática, tipo Pinochet-pensava que já não existiam bestas deste calibre!!!Eis,aqui um ultimate fascist

  15. Caro, A.Silva tem uma certa razão: esta esquerda tem de deixar de ser apenas do contra, do bota-abaixo, e construir um programa de alternativa ao PS copm intuito claro de governar.

    Estar perto do Poder ou no Poder é sempre melhor para os mais desfavorecidos

Os comentários estão fechados.