Teoria da conspiração n.º 1

O desaparecido Ezequiel e a recém-chegada Júlia W. são uma e a mesma pessoa.
Indícios:
Escrevem ambos imenso e têm ambos a mesma escrita torrencial, com vagas de quatro e cinco comentários de seguida;
A escrita tem o mesmo ritmo, as mesmas síncopes, as mesmas referências, as mesmas alusões;
Ambos põem daqueles bonequinhos amarelos “smile” (que eu não sei fazer) nos respectivos textos;
Ambos se queixam das insuficiências do seu português como pretexto para meterem uns anglicismos pelo meio;
Ambos têm horários desatinados, e atacam preferencialmente quando o vulgo dorme.
Em contra, temos que:
O Ezequiel era doce, enquanto a Júlia é ácida – mas não poderemos nós estar ante um caso de esquizóidismo literário agri-doce?
Cordialmente, AF

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

16 Responses to Teoria da conspiração n.º 1

Os comentários estão fechados.