Filipe Moura: Diz que é uma espécie de manifesto de esquerda

Correu a blogosfera um “manifesto das esquerdas por Israel”, tendo sido divulgado pelo meu muito prezado Tiago Barbosa Ribeiro. Fosse só mais um “manifesto por Israel”, e eu nem lhe prestaria atenção nenhuma. Mas sendo um manifesto “das esquerdas”, julgo que merece a nossa atenção.

Na origem do manifesto está a expulsão de um militante do Bloco Nacionalista Galego. O episódio foi-nos explicado pelo Tiago (sempre atento a estas questões) em termos algo vagos: a expulsão deveu-se a o ex-militante ser dirigente da Associação Galega de Amizade com Israel e “defender o estado de Israel” (defender como?). O que não explica muito, mas (sem querer julgar em definitivo um caso que não conheço) parece-me suficiente para eu não concordar com a sua expulsão, se pertencesse ao referido partido. É possível (e desejável) ser de esquerda e procurar a cooperação com sectores moderados de Israel, que existem, embora sejam escassos.

Mesmo assim, o referido manifesto não pode merecer a minha concordância. E porquê? Porque objectivamente é um manifesto de apoio a Israel e à sua política expansionista e colonialista. Um manifesto de esquerda em apoio a Israel poderia ter feito sentido noutras ocasiões, quando Israel era atacado e teve de se defender. Mas, na sequência da Guerra dos Seis Dias, Israel ocupou (e ocupa, até hoje) ilegalmente territórios que não são seus. Para além disso Israel controla todas as actividades económicas dos territórios palestinianos, cobrando impostos, comissões e portagens e mantendo monopólios no abastecimento. Israel não é um estado laico, não concedendo direitos de cidadania plena aos seus cidadãos não judeus.

Israel é um estado colonialista, e é o estado que mais sistematicamente viola as resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas. Por isso, não creio que um estado como Israel possa merecer mais apoio de quem se diz de esquerda que não seja simplesmente ao direito a defender-se dos ataques que recebe. É este, e só este, o apoio que eu dou a Israel. Mas não é essa a política externa de Israel, que está muito longe de ser uma mera política de defesa.

Tal como no manifesto, também eu defendo um reposicionamento da esquerda relativamente a Israel, só apoiando este estado na situação que referi (o que equivale a não apoiar a sua política externa e mesmo interna). Também julgo que o que aqui afirmo deve ser dito com “clareza” a Israel. A esquerda não tem (nem deve) de fazer nenhum tipo de cedência relativamente a Israel. É Israel que tem de vir ao encontro da esquerda, se quiser efectivamente o seu apoio. O Tiago enumerou ontem as pessoas que apoiaram na blogosfera portuguesa o manifesto que ele lançou. É curioso que entre os apoiantes (de um manifesto “das esquerdas”) se contem mais pessoas de direita do que de esquerda, sendo que entre as primeiras está André Azevedo Alves, que recentemente se destacou como o maior defensor na blogosfera portuguesa de Salazar para o “maior português de sempre”.

Já todos sabíamos que Israel era apoiado pela direita belicista, religiosa e fundamentalista. O que é curioso é que, em Portugal, essa direita é descendente da Inquisição e de quem expulsou do nosso país os judeus (a começar justamente pelo ultracatólico Azevedo Alves)! Servir como arma de arremesso e instrumento de chantagem da direita e da extrema direita, como este texto tão bem ilustra: é a isso que Israel chegou.

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

75 respostas a Filipe Moura: Diz que é uma espécie de manifesto de esquerda

  1. Euroliberal diz:

    O ezequiel engasgou-se e agora só dá links…

    Pois, israel não é um estado democrático e por isso não pode aderir à UE. foi a conclusão a que chegaram os serviços da Comissão e as próprias autoridades israelitas… Só se deixasse de ser constitucionalmente um “estado judeu”, mas aí haveria direito de retorno e a maioria muçulmana teria um governo de maioria. Estão a ver o Tribunal Europeu a apreciar questões como a de um candidato à naturalização ser rejeitado por não ser de religião judaica ? ou a de um cidadão israelita ser impedido de fazer serviço militar por não ser judeu ? Ou de a mulher muçulmana de um judeu iraniano ser impedida de ir viver com o marido em Israel ? Etc, etc,etc…

    Israel stinks ! it’s a little shitty country…

  2. Euroliberal diz:

    Ezequiel, então ? Engasgamo-nos com as minhas questões ? São difíceis de responder, não é ? Pois, querem “transformar” uma ditadura racista e apartheidesca , com um score em direitos humanos dos piores do mundo, em modelo de democracia, é um puro exercício de hipocrisia…

    O mundo está farto da escumalha nazi-sionista que o tenta desesperadamente arrastar para o Armageddon… Espero que Ahmedinejad e outros aniquilem de vez esse regime merdoso e julguem os criminosos de guerra que o dirigem…

  3. Euroliberal diz:

    P.S. Bem, Ezequiel, faz o que quiseres, mas se não responderes às 3 questões, chumbas no exame e perdes autoridade moral para continuar a postar os teus disparates por aqui… olha, e pencudos só gosto dos anti-sionistas…

  4. ezequiel diz:

    “Espero que Ahmedinejad e outros aniquilem de vez esse regime merdoso e julguem os criminosos de guerra que o dirigem…”

    words, for what?

    Euroliberal, eu não gosto de “conversar” com loonietoones. Poderia falar dos judeus que foram corridos a pontapé dos paises arabes com a ascendencia do nacionalismo pan-arabe, algo que antecedeu a fundação do estado de Israel. Estranho, nunca se fala no nacionalismo pan-arabe. É uma daquelas preciosidades da história “revisionista” que o Nuno deveria investigar. Estes alguma vez terão direitos de retorno? Não, não o terão, porque estão em Israel. Poderás falar das injustiças brutais da ocupação, dos erros, das guerras, da guerra fria etc,etc……Eu vivi muitos anos na América do Norte. Para mim, ver 50 nacionalidades ou etnias numa manha é algo banal. Daí a minha incompreensão: Judeus, Muçulmanos, Chineses, Japoneses,.Africanos, o Islão, o Catolicismo, o Protestantismo e o Judaismo..são percepções do dia a dia. Pluralismo radical. É nisto é que eu acredito. E os loonies como tu…0

    As pessoas de quem eu gosto no médio oriente são pessoas que tentaram ultrapassar o vortex infernal da historia politizada (algo que acontece em todos os campos, inevitavelmente: aos erros e excessos de Israel posso justapor os erros e excessos dos paises arabes que esqueceram-se, como se uma amnesia se tratasse, que os judeus tambem tem direito a viver naquela terra. Ponto final!). Gosto de Abbas, de Sadat, do distinto e astuto presidente da Jordánia, Hussein (Pai e Filho), de Golda Meir, de Churchill, de Roosevelt, de Rabin, Clinton, de Arafat e de (por alguns anos, até ter dito que não a Clinton) Sharon (por alguns anos). Em suma, gosto de homens de paz. Todavia, com estes teus diatribes , com estas ameaças de “aniquilação”, eu começo a pensar que não passas de um regressivo incurável que não hesitará recorrer à história para justificar intentos abomináveis. Quanto às tuas questões já respondi a elas nos comments anteriores. Não há mais nada para dizer. Eu já percebi qual é o teu paradigma e tu já percebeste qual é o meu. Eu defendo o meu. E tu defendes o teu. É assim nas democracias liberais. Gosto muito das coisas assim. Não gosto de principios absolutos, de conselhos supremos (irao) , da inspiração divina Bushiana ou Ben Ladeana, da razão politico-teocratica. Eu não quero aniquilar ninguem. Só de pensar nisso, fico doente. O que eu desejo, obviamente, é que Israel e Palestina sejam dois paises autonomos e autosuficientes, que vivam em paz…and live happy ever after… mas devo-te dizer o seguinte: enquanto existirem pessoas que defendam a aniquilação de seja quem for…eu reservo o direito de lhes mandar bordamerda. Eu nunca ouvi Israel a proclamar este designio. E é assim. As coisas são assim, simples. Eu acredito na existencia do estado de Israel. Tu desejas riscá-lo do mapa. E eu digo não. Isto poder parecer simplista. Mas nem tudo tem que ser complicado.

    Nothing more to add or subtract.

  5. ezequiel diz:

    ah, porra, quase que me esquecia..e gosto muito de Shimon Peres, obviamente. Como é que eu me esqueçi do velhote mais simpático do Médio Oriente? Espero que chegue a presidente.

    vou mas é nadar.

  6. ezequiel diz:

    “Make hope a code of conduct and endeavor….”

    President Sadat

  7. Com que então viveste nos EUA, Ezequiel? Quantos anos? Onde? Em Nova Iorque? E não usaste “dupla precaução” com as televisões? Olha que não é só a Fox News! A Fox News é a cereja no topo do bolo. Mas estou a ver que tu era mais uma dieta kosher de pretzels e bagels. Nunca fizeste um chouricinho assado? Nem uma alheira?

    O Shimon Peres gosta de parecer um velhote simpático, sem dúvida. Gosta que gostem todos dele. Mesmo que seja o tipo mais falso e hipócrita, que diz uma coisa na Europa e outra lá. Eu ouvi-o a discursar lá, no meio dos amigos dele. Já na altura não confiava nele, e só o confirmei.

    Não tens mesmo melhor argumento do que vir sempre com a “destruição de Israel”? Onde é que eu falo na destruição de Israel? Se Israel partisse para a viabilização de um estado palestiniano viável, a ameaça da sua destruição não desapareceria mas diminuiria (e acabaria por desaparecer com o tempo). Enquanto Israel exigir que essa ameaça desapareça sem fazer nada por isso é que ela não há-de desaparecer.

  8. ezequiel diz:

    ah ah ha ah a

    fox news, nunca! too cheesy for me mate! Uma dieta rigorosa de http://www.pbs.org/
    de http://www.npr.org/, de http://www.bbc.co.uk…e, claro, http://www.cbc.ca/

    Os Yanks costumam dizer que “assumption is the mother of all fuck ups”…e tu elevas esta máxima a um principio transcendental…

    Há um outro país na america do norte Filipe. Geografia não é o teu forte. Ok.

    Vivi em Nova York, Toronto, Montreal, Boston..e, para ser franco, andei sempre mais perto de Pizzas e Marinaras do que de Pretzels…dieta kosher, não..não..não sou Judeu mas por acaso gosto muito de sopas Yiddish (aquelas com letrinhas, pedaços de galinha, com aulas de geografia incluida..eh ehe he h etc) Tenho amigos Judeus, Muçulmanos, Amarelos, Pretos, Irlandeses, Escoceses, assim-assim e alguns cor de rosa…. Chouriços em abundancia…comprava-os nas comunidades Portuguesas e aos Italianos, aos Polacos e, claro, aos Judeus (kosher)…lá de vez em quando, movido por uma audácia inexplicável, lá marchava um “Plato Montanês” Boliviano (uma obra de arte suficiente para 3 comparsas)…em dias de ressaca…um couscous afegão…em dias de jogos de futebol (europeu) uns Pretzels com umas orangeboom (quem é que pode beber aquele chichi que os Americanos chamam de cerveja???)

    Se leres o que eu escrevi com atenção, decerto perceberás que eu estava a responder ào Euroliberal…Quanto à viabilização do estado Palestiniano…a liderança Palestiniana consegue inviabilizar tudo sozinha, sem qualquer ajuda…Talvez fosse bom sacar os bilhões da UE dos cofres suiços para ajudar os Palestinianos…que apanham com Hamas, com a jihad islamica, com FLDP… e com os Israelitas nos cornos…

    Então ouviste o Peres. Preferia que me informasses o que foi que ele disse, quando, como, em que circunstancias, e revelasses as incongruencias do seu discurso e postura…mas não! Ficamos com a tua convicção de que o velhote é um hipocrita (sim, é possivel: a velhice não é um antidoto para a hipocrisia..enfim) Mais: Revelas, aqui, um imenso poder telepático: Sabes que ele, Peres, “gosta que todos gostem dele.” Bem, deves-te juntar à-ao Viana e à sua bolinha de cristal…juntos, poderão criar uma consultadoria…

    Se acreditas que a viabilização do estado Palestiniano (algo que eu apoio incondicionalmente…sou contra o actual boicote, fui contra a ocupação, apesar de compreender alguns aspectos da “justificação”, fui contra a guerra do libano, a guerra do Iraque…e, se desejares (espero que não, pq já estou farto de discutir isto) explico-te exact. porquê.

    E, agora, porque estou a ter alguma dificuldade em reorganizar o indexico cognitivo (são as linguas, bolas)..deixa-me dizer isto…

    “Com que então viveste nos EUA, Ezequiel? Quantos anos? Onde? Em Nova Iorque? E não usaste “dupla precaução” com as televisões? Olha que não é só a Fox News! A Fox News é a cereja no topo do bolo. Mas estou a ver que tu era mais uma dieta kosher de pretzels e bagels. Nunca fizeste um chouricinho assado? Nem uma alheira?”

    What a presumptuous, pretentious, twat!

    Muito obrigado pelos conselhos.

    Olha que está a apetecer-me um bagel com cream cheese, nozes e presunto…

    HILARIOUS!

    Nuno, where did you find this guy? Man, you gotta find new, funky, friends. 🙂

  9. ezequiel diz:

    O “hipocrita”…

    “Israel’s foreign minister, Shimon Perez, welcomed the deal saying, “Once implemented, no longer will the Palestinians reside under our domination. They shall (have, mine) self-rule and we shall return to our heritage.” *

    * http://news.bbc.co.uk/onthisday/hi/dates/stories/september/28/newsid_4187000/4187582.stm

    http://news.bbc.co.uk/2/hi/programmes/breakfast_with_frost/2215647.stm

    http://news.bbc.co.uk/2/hi/middle_east/1394609.stm

  10. ezequiel diz:

    Mas, Filipe, se tu acreditas que os probs Israelo-Arabes-Iranianos acabarão quando tudo estiver resolvido com os Palestinianos….bem, vou colocar as meias na arvore de natal porque o Pai Natal, mais dia menos dia, desce pela chaminé…

    Sei que é um problema central, não me interpretes mal…mas daí a supôr um futuro rosy com tudo e todos (na vizinhança de Israel)…seria fantástico, mas a minha intuição (também tenho direito as estes devaneios da especulação???) diz-me que não. Espero que tenhas toda a razão. Ofereco-te um bagel, um pacote de pretzels, e uma Orangeboom (de 1 litro) se acertares no prognóstico.

    Se alguma vez desejares visitar uma das “minhas” cidades na América do Norte, apita. Apresento-te à América do Cavell. 🙂

  11. Euroliberal diz:

    Pronto, já percebi. Para o Ezequiel uma democracia pode só autorizar o voto a 40% dos residentes de jure, ter 10.000 presos políticos e executar sumariamente umas centenas de oposicionistas ao regime de apartheid por ano (só adolescentes foram 600 desde 2000) que não deixa por isso de ser uma “democracia”…

    Quanto ao resto, ninguém contesta (nem Ahemedinejad que tem 30.000 no Irão) o direito de os judeus viverem na Palestina. Só não se aceita o direito de esvaziar o território dos seus residentes muçulmanos e cristãos. E de os quererem encafuar nalguns bantustões-guettos em 6% do território da Palestina histórica a que chamariam “estado palestiniano”. Isso não seria um estado porque não teria exército, nem controlo das fronteiras, nem contiguidade territorial. Seriam bantustões de num regime racista-apartheidesco que se destinariam a transformar artificialmenhte uma minoria (a judaica) em maioria. O mesmo golpe que os racistas da AS e criadores do aprtheid tentaram em vão, porque o mundo não reconheceu como estados os bantustões…

    Defender tal “estado” palestiniano é pois uma brincadeira de mau gosto, é defender, de facto, o apartheid. E não é realista dado o poder militar crescente do Islão. Se até os 3.000 leões do Hezbolah chegaram para as SS Tsahal…

    Logo, a única solução é a proposta por Ahmedinejad, Hamas e todos os patriotas árabes (isto é, não colaboracionistas e fantoches dos EUA): o aniquilamento do regime sionista (e não dos judeus, também ninguém queria na WWII aniquilar os alemães, mas só o seu regime), por desmantelamento interno (como na AS) ou por um ataque convencional, e a sua substituição por um regime democratico, multicultural, baseado no one man, one vote, one land. Tal como na Africa do Sul…onde os brancos continuam a viver prosperamente sob um governo de maioria negra. Os judeus não-sionistas também poderiam viver na Palestina sob um governo de maioria islâmica. De qualquer modo, não vão ter alternativa. Os criminosos das SS Tsahal e governo serão justiçados, os racistas irrecuperáveis (colonos, Beitanu, etc.) terão de regressar à Russia, no seu próprio interesse…

    E os judeus inteligentes (cada vez mais numerosos) apoiam também esta solução, a do one binational state. O sionismo é um crime contra a humanidade. Desde a Nakba. E uma ameaça letal à paz Mundial, ao controlar, através do seu lóbi, os EUA, a quem tenta vender a ideia da guerra permanente contra o terror. Terroristas são eles e a neo-coneiragem que manipulam. Quem defende a Pátria ocupada nunca é terrorista. Pelo menos era assim para os anti-nazis da WWII…

  12. Euroliberal diz:

    Ah, e já agora, em matéria de cosmopolitismos, já vou perto dos 100 países visitados… incluindo Israel, EUA e muitos árabes e muçulmanos: os Emiratos e Oman são um verdadeiro must… Ou de como não é preciso ser judeu errante para ser cosmopolita e defender o diálogo de civilizações. Um imperativo cristão, aliás, já que Cristo era universalista e não dividia o mundo em “povo eleito” e gentios…como os nazi-sionistas.

  13. ezequiel diz:

    Um dos Juizes do Supremo Israelita é Arabe

    A Miss Israel é Arabe

    TODOS os arabes israelitas tem direito ao voto e são representados no knesset. Foi o Partido Comunista Israelita que os mobilizou e organizou politicamente (na fase inicial)

    Haifa, a cidada mais bombardeada pelo hezbolah, é uma cidade Arabe-Israelita…onde se vive em paz, apesar de tudo…

    Fisga-se…

  14. ezequiel diz:

    Bolas, devias ir para as Naçoes Unidas, euroliberal…e os Israelitas deixaram-te entrar no seu país??? Gente intolerante!

  15. ezequiel diz:

    meus caros…finito! Já estou com dores nos rins de tanto rir. Vou sair à procura de um bagel.

    Judeu Errante (I like that, sounds good eh eh ehehe he he h)

  16. ezequiel diz:

    here it is boys…take a chill pill!

    http://youtube.com/watch?v=ipbobacFiUY

    Were like crystal, we break easy
    Im a poor man, if you leave me
    Im applauded, then forgotten
    It was summer, now its autumn

    I dont know what to say, YOU DONT CARE ANYWAY
    Im a man in a rage (just tell me what Ive got to do), with a girl I betrayed
    Here comes love, its like honey
    You cant buy it with money, youre not alone anymore, (whenever youre here with me),
    You shock me to the core, you shock me to the core

    Were like crystal, its not easy
    With your love, you could feed me
    Every man, and every woman
    Needs someone, so keep it coming
    Keep it coming, keep it coming, keep it coming
    Keep it coming, keep it coming, keep it coming
    Keep it coming

    I dont know what to say, you dont care anyway
    Im a man in a rage (just tell me what Ive got to do), with a girl I betrayed
    Here comes love, its like honey
    You cant buy it with money, youre not alone anymore, (whenever youre here with me),
    You shock me to the core, you shock me to the core

    Keep it coming, keep it coming, keep it coming
    Keep it coming, keep it coming, keep it coming
    Keep it coming, keep it coming, keep it coming

  17. ezequiel diz:

    ps: I dated the blond (yummie Mommy)

    eh ehe eh ehh eh e heh eh eh eh eh ehe h e he he he heh e he he he he h eh he he he he he he he he h

  18. ezequiel diz:

    or maybe, just maybe, this is a more suitable choice…

    THIS IS THE NEXT CENTURY

  19. Euroliberal diz:

    Correcções às ezequielices:

    Os árabes israelitas são cidadãos de 2ª: não podem fazer serviço militar (as SS Tsahal não são um exército nacional, de todos os cidadãos , mas uma milícia terrorista de um grupo religioso, o judeu), não podem viver nas melhores zonas, mesmo que sejam milionários, não podem continuar a viver em israel se casarem com um palestiniana ou egípcia, etc., só têm 10% dos deputados no Knesset (mesmo sendo 22% da população) e esses deputados estão sujeitos á lei da rolha e à prisão caso não se limitem a ser colaboracionistas do regime de apartheid ! Ainda agora, Bishara, deputado árabe cristão de Nazaré está exilado no Egípto, porque arrisca-se a ser julgado em israel por alta traição (criticou o genocídio da população civil libanesa em retaliação pela derrota militar às mãos do Hezbolah e encontrou-se com políticos sírios, árabes como ele).

    Se isto é democracia então Hitler (que chegou ao poder com os votos de todos os alemães) então era um grande democrata também…

    Quanto ao facto de miss Israel ser uma árabe, isso é normal. As israelitas judias têm bigode à Golda Meir e peidam-se como soldados (que são). As menos más são travestis. Logo, boas, boas, são as árabes…

  20. Euroliberal diz:

    “Haifa, a cidada mais bombardeada pelo hezbolah, é uma cidade Arabe-Israelita…onde se vive em paz, apesar de tudo…” mais uma ezequielice…

    Apesar de tudo ? Pois, durante a guerra os árabes israelitas não tinham acesso aos bunkers “jews only” (imitação do “whites only” sul-africano, o seu modelo de apartheid), por isso tiveram mais baixas com os bombadeamentos apesar de serem uma minoria…
    É a democracia…. à maneira nazi-sionista !

  21. ezequiel diz:

    10%…tb existe abstenção em Israel

    Por alta traição…trata-se de mais de uma critica

    os bunkers??? (pois, qd começa um bombardeamento eles tem tempo para ver bilhetes de identidade e separar uns dos outros) Eles sofreram tantas baixas como os judeus…

    euroliberal, além de fanático, estúpido, és um grandessissimo mentiroso. Vai para o Irão, junta-te ao teu amiguinho de barbinha rala repelente e usufrui da liberdade iraniana..

    the end

  22. ezequiel diz:

    Caro Filipe,

    Esta tua genealogia é injusta. Descendentes da inquisição? Atribuis descendencias assim, avulso.

    “I cannot conceive of Israel withdrawing if Arab states do not recognize Israel, within secure borders.”

    President Mandela

    http://www.worldpoliticswatch.com/article.aspx?id=625

    the end(II)

  23. Euroliberal diz:

    Ezequiel lança a esponja… tal como os sionistas no Líbano…

    O heróico Hezbolah tinha todo o direito de fazer prisioneiros terroristas das SS Tsahal na Palestina ocupada, por 2 razões, entre outras: Há patriotas libaneses presos nas masmorras sionistas há mais de 30 anos (Samir Kuntar e camaradas), os quais só poderão ser libertados por troca com os terroristas sionistas. Além disso, há milhares de compatriotas palestinianos presos, e a Nação árabe é una. Um libanês tem o direito de legítima defesa de tudo fazer para arrancar da prisão camaradas semitas (como eles) da resistência ao inimigo comum. Tinham ainda o direito de abater terroristas sionistas em retaliação pelos hediondos massacres que nesse mesmo momento nazi-sionistas faziam em Gaza (centenas de mortos).

    E ainda mais se justificou o memorável coçóide que os 3.000 bravos do hezbolah ferraram na soldadesca nazi-sionista (30.000) que não chegaram sequer a conquistar nenhuma aldeia libanesa fronteiriça. Os terroristas perderam 120 soldados, 5 helicópteros, 50 tanques Merkavas e uma fragata, e retiraram humilhados, vingando-se na população civil libanesa (1.300 mortos). Todo o democrata, de esquerda ou direita, deve saudar o exemplo heróico dos leões do Hezbolah, que mostraram a todo o mundo islâmico invadido pelos terroristas cruzados a via para a aniquilamento final dos ocupantes sionistas e bushistas.
    DEUS é GRANDE. HURRAH !

Os comentários estão fechados.