Pot pourri

Porque isto dos blogues não pode ser só política, aqui ficam uns links para coisas mais leves mas nem por isso menos instrutivas: os 50 anos do “John Frum”, um dos últimos e mais notáveis cargo cults ainda existentes, o dernier cri em fatos-de-banho islâmicos, os “burquinis”, que eu recomendo muito particularmente aos entusiastas do véu que há entre nós, e um grande saravah a um dos melhores blogues portugueses da actualidade, onde pontifica um dos reis do sound byte nacional – Rodrigo Moita de Deus, o mesmo que insiste em chamar-me bêbado, mas com quem eu não me consigo irritar – pela grande contratação da temporada (a seguir à da Fernanda Câncio, claro): a do magnífico Rui Castro, que aos mais distraídos se assinala que foi um dos principais obreiros da recente vitória do “Sim”, à qual prestou inexcedíveis serviços ao comando do defunto mas muito chorado e sempre entre nós “Blogue do Não”.

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

Uma resposta a Pot pourri

  1. Rui Castro diz:

    Obrigado, António. Fiquei sensibilizado.
    Abraço

Os comentários estão fechados.