Eppure non si muove…

Ele nunca se engana e raramente tem dúvidas (ou vice-versa, já não me lembro), e no entanto, após três-referendos-três com votações abaixo dos 50%, ainda diz que é preciso muita cautela e sobretudo nenhuma precipitação quanto a mexer nessa instituição magnífica que é o referendo em Portugal…

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 Responses to Eppure non si muove…

Os comentários estão fechados.