Comparações

Para além de Portugal, só a Irlanda e a Polónia mantêm, na Europa, a criminalização do aborto (ah!, e Malta também, que em matéria de costumes se revela um interessante cruzamento da Sicília com os Açores); ora Portugal não é comparável nem com uma nem com outra. Quer na Irlanda, quer na Polónia – Estados-nação atípicos, com uma longa história de ocupação estrangeira, e que só há menos de um  século adquiriram a sua forma política actual – o catolicismo é, por vicissitudes várias, uma componente da própria identidade étnica nacional. Nada disso acontece em Portugal, um país muito mais “normal”, por assim dizer, que se aproxima muito mais do paradigma da “nação cívica” ocidental. A compararmo-nos com alguém, deve ser com os países da nossa área geográfica, cultural e religiosa – a França, a Itália, a Espanha – com quem somos parecidos, se bem que mais pobres e periféricos. Despenalizando o aborto como eles fizeram antes de nós (a França há trinta anos, a Espanha há muito menos), cumprimos o nosso manifest destiny e ficámos mais perto do “fim da história”, para utilizar a consagrada expressão hegeliana. Pena foi que o PSD não tivesse percebido isso: infelizmente para o país, o partido de Pacheco Pereira continua muito mais a ser o partido de Alberto João Jardim. Já Sócrates foi diferente: quando o oiço falar em “modelo escandinavo”, confesso que o acho um bocadinho deslumbrado e provinciano, mas nesta campanha, honra lhe seja feita, portou-se como o anti-Guterres, não escolheu a facilidade e mostrou visão e instinto europeu.

PS: Para uma possível antevisão do futuro, vale a pena fazer uma visita aqui.

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

4 respostas a Comparações

  1. Ezequiel diz:

    Pois, não somos nada parecidos com a Polonia e com a Irlanda…a variavel “ocupação estrangeira” explica esta diferença. Somos muito parecidos com a Italia e a França, que despenalizaram o aborto recentemente. (Pois..mas…esta variavel…não tem nada que ver com o assunto que está a ser considerado…A ocupação estrangeira, e as cinquenta batidas da borboleta azul celta…são variaveis mt mais relevantes…pois..pois)

    que pena que não exista um bourdieu irlandês ou um eco polaco…(fico-me pelo Beckett…talvez)

    CHILDISH!

  2. Ezequiel diz:

    Os Açores, caro António, são um cruzamento de Portugueses, Judeus, piratas Mouros, Britânicos (o simpático Drake deixou descendentes nas ilhas) , Franceses, Pescadores dos Clipper Americanos, Flamengos, Francius (da Bretanha…os olhos azulinhes..tan lindes!) e, diz a lenda, dos antigos senhores e senhoras da Atlántida…a composição genética Açoriana é um tributo á esquizofrenia étnica (bt mais diferenciada do que a malta do continente,…bem, foi isto uma geneticista afirmou na revista Visão)

    Qual malta qual carapuzza!

  3. Ezequiel diz:

    I wannabee French!

  4. Ezequiel diz:

    eh eh eh ee Não consigo parar de rir! Valha-nos isto.

Os comentários estão fechados.