E subitamente Portugal perdeu a graça

Um gajo acorda um dia e, tirando um abalo sísmico, não há contrariedades. Os mais fanáticos dos religiosos são, como é normal serem, minoria. Os eleitores decidiram que não é crime uma coisa que, efectivamente, não é crime. Abre-se um jornal e vê-se, como vencedores, toda a esquerda uma parte da direita liberal que ainda tem alguma consequência no seu liberalismo. Perdedores: a Igreja Católica, o PSD, o CDS, Marcelo Rebelo de Sousa (este em grande), Bagão Félix, Paulo Portas.

E se o nosso trabalho tiver acabado? Resta emigrar para a Polónia.

Sobre Rui Tavares

Segunda | Rui Tavares
Este artigo foi publicado em cinco dias, Rui Tavares and tagged , , . Bookmark the permalink.

4 respostas a E subitamente Portugal perdeu a graça

  1. Sérgio diz:

    Ou para Malta…
    Quanto ao sismo, a comparação é porventura forçada, mas será que vamos ver por aí alguns Malagridas a dizer que foi um castigo dos céus pelo desvio da Nação Fidelíssima?

    Já agora, tenho que ler o seu livro.

    Cumprimentos e parabéns pelos seus artigos pedagógicos em prol do sim.
    Atenciosamente,
    Sérgio.

  2. Lseagul diz:

    Divertido foi ouvir ontem á noite o Francisco Louçã dizer que a maioria dos catolicos tinha votado “sim”.Mas a serio:para já mais de 4 milhoes de portugueses nao votaram e por outro lado nao há dados fiáveis que permitam seguramente dizer se os votantes no “sim” seriam maioritariamente catolicos,protestantes,cristaos ortodoxos,muçulmanos,hindus,budistas,ímpios…Que irresponsabilidade politica!Da noite referendatária,o que eu gostei mesmo de ver no Altis foi todos juntos,Carvalho da Silva,gente do BE,Octavio Teixeira,o Secretario Geral da Js e outros socialistas,outros membros da esquerda sem conotaçao partidaria,etc.Se fosse assim mais vezes,noutas ocasioes,teríamos um pais melhor…

  3. Não, pá, ainda há muito a fazer. Essa “minoria”, que acredita na providência divina, ocupa o cimo dos montes e espera pelo degelo da primavera. Logo, logo, teremos água cristalina a purificar o Serviço Nacional de Saúde. Espera p’ra ver…

  4. Ou talvez para Marrocos, esse Estado confessional que pelos vistos te encanta tanto a ti como a mim, mas tem uma problemazinhos por resolver.
    Abraço
    B

Os comentários estão fechados.