O descobrimento do Brasil

A primeira coisa em que reparei, ao chegar a Bombaim, foi que fazia lembrar o Rio de Janeiro. Mas nao liguei muito: a mim tudo faz lembrar o Rio de Janeiro – a baia de Xangai, aos meus olhos, eh Copacabana – e de qq forma eu estava cansado e nao tinha dormido. Depois notei, quando estava no hotel, que o barulho que vinha da rua era parecido, a temperatura do ar, o cheiro, a humidade, o som dos passaros – porque eu estava nos tropicos. Os passeios de Bombaim fazem lembrar os do Rio de Janeiro: um Rio de Janeiro um pouco mais sujo, mais poeirento, mais desordenado e mais pobre, mas o pavimento e o asfalto sao parecidos, e no Rio tambem se veem familias com criancas vivendo na rua e pedindo. Ja Marine Drive eh a Avenida Atlantica sem os morros em fundo: basta passear pelo calcadao olhando os predios modernos dos anos cinquenta na orla maritima; os restaurantes das ruas adjacentes tambem sao parecidos. Voltei a encontrar a Zona Sul em Kemp’s corner, onde entre duas ruas se ergue um morro com um predio altissimo: as escalas sao iguais as do Rio, assim como o contraste entre o natural e o construido (infelizmente, nao tenho fotografias). De modo que ja nao me espantou mesmo nada quando, por acaso, passeando por Deli, tropecei neste pedaco de video. Sinto-me como o Cabral, que ia para a India e achou o Brasil.

*
Mas ninguem me tinha prevenido para Deli, das cidades mais extraordinarias onde alguma vez estive, talvez mais impressionante do que Roma, e com livrarias pequenas e surpreendentes como Londres ou os Estados Unidos.

Sobre Ivan Nunes

QUINTA | Ivan Nunes
Este artigo foi publicado em cinco dias, video. Bookmark o permalink.