Portuguesas, Portugueses: um tandem

Outro dia, Vasco Pulido Valente anunciava como definitiva a notícia de que Salazar teria ganho o concurso dos Grandes Portugueses, e que Álvaro Cunhal teria sido segundo. (Ao que parece, o concurso ainda nem terminou.) De todas as formas, este eventual resultado suscita questões. Primeira: os portugueses gostam assim tanto de políticos? O mais provável é que tenha havido uma mobilização militante, excepcional, de salazaristas, que aproveitaram a oportunidade para o que imaginaram ser uma grande vitória simbólica. Segunda, o voto em Cunhal é da mesma natureza, ou uma resposta à votação em Salazar? Aqui no 5 dias também já demos o nosso contributo para esta pitoresca eleição, com o Nuno Ramos de Almeida a fazer a sua declaração de voto. Se perguntassem ao Nuno, em abstracto, pelo maior português de sempre, ele responderia Cunhal? Por último: os salazaristas mobilizaram-se para uma vitória simbólica e os comunistas mobilizaram-se para uma resposta simbólica; se os primeiros ganham, o que é que isto simboliza? E que imagem transmitiram, do ponto de vista simbólico, os comunistas mobilizados que conseguiram colocar o seu líder histórico no topo, ao lado de Salazar?

Sobre Ivan Nunes

QUINTA | Ivan Nunes
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.