Love is in the air….

love-is-in-the-air.jpg

Autor: Carlos Trincão

Antes havia sido o Primeiro-Ministro. Agora foi o PS a dizer que também gostava muito de trabalhar com o Senhor Presidente.

Aí valentes…

Isto o que dá mesmo vontade é de agarrar na ideia de “mar” que sempre acompanhou Portugal e especular um bocadito.

Já tinha havido aquela da “Jangada de Pedra”, demanda de novos mundos numa deriva atlântica virada para nós mesmos. E dessa eu tinha gostado.

Pois, mas agora á música é outra. Com estas declarações todas de ternura, de Jangada de Pedra passamos a Barco do Amor… à deriva na imensidão atlântica em que nos perdemos.

Mas afinal esta malta que nos governa pensa o quê dos seus governados?

Coabitações e cooperações institucionais à parte, isto já é lamecha de mais para o meu gosto.

Só falta mesmo é um chocho daqueles a contar para o Guiness. Mas é só mesmo o chocho que falta, porque recorde já deve estar registado: o do vira-casaquismo, perdão, vira-cavaquista, mais rápido do planeta.

Mas é tão bonito vê-los assim tão dados, não é?

Mas o que me preocupa mesmo é o barco. Então, se toda a gente se põe do mesmo lado… o coiso vira, afunda-se e a gente morre. Caramba! Então e o equilíbrio… institucional, pois claro.

Sobre Joana Amaral Dias

QUARTA | Joana Amaral Dias
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

4 respostas a Love is in the air….

  1. pedro diz:

    Impressionante como por vezes aescrita da esqeurda portugesa consegue ser tão poeticamente naïve. Até aposto que deve haver quem ache isto bonito e sensível.
    Ainda bem.
    Chama-se pluralismo

  2. Joana,

    Também concordo que este unanimismo se está a tornar lamechas. Porém, julgo que a relação Sócrates-Cavaco se deve compreender em grande parte como resultado da relação Soares-Cavaco. Soares concorreu sem qualquer interesse pela navegação. Caso estivesse interessado na navegabilidade teria deixado espaço para Alegre. Poria à frente do interesse pessoal, o interesse do país. Soares concorreu por um ódio pessoal. Queria a todo o custo impedir que o seu maior inimigo não fosse presidente. Casou uma situação de embaraço em toda a esquerda na corrida à presidência. Teve uma derrota colossal. Essa derrota não acabou. A boa relação entre Cavaco e Sócrates veio aumentá-la ainda mais. Afinal, o filho do gasolineiro, o inculto sem assunto para fazer conversas de encher chouriço, até é capaz de dialogar e gerar alguma estabilidade política. Ainda que discutível, este unanimismo é mais um buraco no que resta do barco pessoal de Soares.

  3. DRV diz:

    Só um comentário à autoria da imagem, e sem querer desvalorizar qualquer intervenção de Carlos Trincão (a frase, a moldura..), julgo que a “GirlWithBomb” é do Banksy
    (http://images.google.pt/images?svnum=10&hl=pt-PT&lr=&q=banksy+girl+bomb+&btnG=Pesquisar)
    (http://www.flickr.com/search/?q=banksy%20girl%20bomb&w=all)

  4. isa diz:

    Embora queiras parecer um valentão nunca conheci ninguém tão cobardolas como…

Os comentários estão fechados.