Hipocrisias de morte

144_gerald-ford.jpg

Não há como a morte para lavar tudo. Quem lê os jornais e a ‘blogosfera’ fica convencido que Gerald Ford era um génio e um estadista. Sejamos justos: o homem só estava no lugar errado à hora certa. O antigo presidente dos Estados Unidos Lyndon Jonhson disse sobre ele: “Ford passou um tempo exagerado a jogar futebol (americano) sem capacete” e duvidou que ele fosse “capaz de mascar pastilha elástica e andar ao mesmo tempo” . Depois de tropeçar diante do chanceler austríaco Bruno Kreisky, cair na visita do presidente egípcio Sadat e esparramar-se ao comprido duas vezes perante os fotógrafos; depois de ter tentado oito vezes pronunciar correctamente, num discurso em Atlanta, a palavra “geotermia”; e depois de ter saudado Sadat com “um brinde ao grande povo de Israel”, um comentador do Washigton Post Nicola von Hoffman perguntou se ele seria “o primeiro presidente a ser expulso da função pelo riso?”.
Hoje, ele é o estadista que guiou o leme dos Estados Unidos durante a tempestade. Tanta homenagem deve-se unicamente a uma questão política: quem homenageia Ford está, no fundo, a celebrar George Bush. Vejamos, ambos têm queda para o disparate simplório e, sobretudo, ambos foram presidentes não eleitos dos Estados Unidos…quem se lembra da primeira “eleição” de George Bush?

Finalmente como o leitor Luís Nascimento refere, há uma terceira semelhança: Ford autorizou a invasão de Timor, da qual resultaram 200 mil timorenses massacrados e Bush autorizou a invasão do Iraque. Sejamos justos, a seu tempo, a contabilidade monstruosa desta  não ficará a dever nada à de Timor.

Sobre Nuno Ramos de Almeida

TERÇA | Nuno Ramos de Almeida
Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , . Bookmark the permalink.

13 respostas a Hipocrisias de morte

  1. Ezequiel diz:

    Parabens Nuno! Descobriste a polvora!
    🙂

  2. Ezequiel diz:

    Nuno, desculpa a falta de educação, mas gostaria de deixar aqui um breve mensagem para o teu compa Ivan que, com este texto magnifico sobre o Joey Cusack…

    Grande historia…o Cusack de Philly. Sabes que existe um actor, de nome(John) Cusack, que é um kool corisquinhe (enfim, dizem por aiiii) que, por sinal, é gangster em Filadelfia… deve se ter enganado na saida geotemporal do Malkovich…

    chorei de rir. BOA! 🙂

  3. ezer diz:

    Nãosabia que GF tinha sido uma vedeta do calibre deste bush. A informação a que tinhamos direito…Por cá temos também alguém capaz de de ter tiradas filosóficas como ‘Nunca me engano,raramente tenho dúvidas’ e cujo legado politico é de limpar as mãos à parede(os defensores dele,antes de dizerem disparates de trapos devem pensar na Irlanda e,no lugar que ocupamos na ‘CEE’ depois da Eslovénia.Parabéns,merecem um balde de m….

  4. luis nascimento diz:

    E há outro aspecto,Nuno:repararam que ninguem em Portugal,jornais,tvs,radios referiu uma faceta negra do sr.Ford, para portugueses e timorenses.Está provado,que ele e Kissinger,deram aval ao ditador Suartho para invadir Timor,no dia 6 de Dezembro de 1975,24 horas antes da “Operaçao Komodo”,que dizimou 200 mil timorenses.É incrivel! ou será uma verdade inconveniente,agora que,como é dito-e muito bem- no texto do Nuno Ramos Almeida,se pretende homenagear Ford,significando isso,homenagear Bush jr?O jornalista Mario Crespo,há uns dez anos,confrontou Gerald Ford com a tal verdade inconveniente,ao que o ex-presidente reagiu com um visivel engasgo,incomodado com a pergunta…

  5. Shyznogud diz:

    Já agora, ao que consta, o que L.J. terá dito, foi ““Jerry Ford is so dumb he can’t fart and chew gum at the same time”
    (http://www.prospect.org/web/page.ww?section=root&name=ViewWeb&articleId=11696)

  6. Nuno Ramos de Almeida diz:

    É provável que tenha razão, eu retirei as citações do “Estado Espectáculo” de Roger-Gérard Schwartzenberg, PP-54 e 55, Difel, Rio de Janeiro.
    O livro tem passagens deliciosas sobre os bastidores das campanhas e presidências norte-americanas, nomeadamente um comunicado do gabinete de Ford que rezava o seguinte: “O senhord Ford tem problemas com os joelhos, ambos operados há tempos, compensa-os através de vigorosos exercícios físicos quando se levanta às 5.30 da manhã, e nada diariamente 400 metros na piscina ao ar livre que mandou construir na Casa Branca. À noite, ele lenvanta-se só uma vez, para aliviar a bexiga, dorme bem, não teve problemas nervosos depois das duas tentativas de assassinato que foi vítima. Tem os dentes manchados de nicotina. Tem testículos normais e simétricos. O presidente não apresenta tendências depressivas, as suas fezes são escuras e bem formadas”, In Ob cit, PP109.

  7. “Sejamos justos, a seu tempo, a contabilidade monstruosa desta não ficará a dever nada à de Timor.”

    A esquerda tem sempre a mania que sabe tudo sobre história. Nalguns momentos até falou de “utopias científicas”, defendeu revoluções que dependiam da necessidade das próprias leis do devir histórico. Falhou!

    Agora é o ódio tasqueirito pelos EUA. Voltam a saber tudo sobre história. Mas falham de novo. No regime de Saddam havia uma media de mortos políticos que ascendia a 70 pessoas por dia. Depois da invasão morrem apenas 45. Alguma coisa melhorou! Pelo que quando defende que a contabilidade será monstruosa, aquilo que se pode dizer novamente é o seguinte: falhou!

  8. Já repararam que uma das vossas maiores manchas de obsessão está na palavra “Bush”?

  9. Curioso diz:

    Ca esta a Esquerda- Islamico-Terrorista no seu explendor.

    Falam do Bush, pq nada mais sabem dizer.
    Porque não falam do Fidel e das suas milhares de vitimas, Porque não falam do Kim Jon II e das suas milhares de vitimas? Porque não falam do Tibete e das suas milhares de vitimas?

    A esquerda e os Islamistas andam de braços dados, porque a sua unica intenção é destruir os estados Democraticos, porque a democracia não ser serve os intentos politicos a não ser para a tranformação de estados democraticos em ditaduras criminosas.
    A anos que espero alguem da esquerda que me informe de um estado Comunista em que seja praticada a liberdade de expressão.
    Até agora a venezuela fecha jornais privados.
    Mas claro nada como escutar os “enormes” conhecimentos dos politicos portugueses de esquerda em que afirmam que Cuba é uma Democracia!

    Ide vos catar

  10. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Agradeço ao disparate e ao curioso os curiosos disparates e os posts muito argumentados. Não esperava menos.
    Em relação ao disparate, acha mesmo que morrem menos pessoas no Iraque sob ocupação dos Estados Unidos e guerra civil que no tempo do Saddam? Finalmente, se olhar para as Tag Cloud, verificará que Bush é menos falado que muitos outros assuntos.

  11. “acha mesmo que morrem menos pessoas no Iraque sob ocupação dos Estados Unidos e guerra civil que no tempo do Saddam?” Não se trata de opinião. São números.

    É por o senhor e muitos outros como você andarem a “achar” muitas coisas que desse pensamento só decorrem disparates. Já alguma vez tentou comparar o número de mortos que a sua ascendência ideológica fez em nome de uma “certeza científica” que entretanto a história se encarregou de esclarecer que não passava de uma “fézinha”? Já reparou que a mediação dos acontecimentos relacionados com o Iraque está a ser altamente problemática naquilo que a honestidade jornalística diz respeito? Já reparou como neste momento o seu partidelho se aproveita deste tema para se tornar visível? Já reparou alguma vez na estratégia emotiva ou na política de afectos de que se serve a sua seita para encontrar novos apoiantes? Eu tenho reparado! Como eu muitos outros. Estes partidelhos que procuram sustentar as suas pseudo-ideologias em afecções baixas mostram de um modo muito claro aquilo que trazem na cabeça.

    Em termos conceptuais foi capaz de perceber que a aproximação entre Ford e Bush não tem qualquer outro propósito que não o de expor o seu ódio por Bush? Por que outro motivo misturou as duas personalidades senão esse e uma certa tendência pessoal para o disparate?

    Já reparou que Bush ganhou as primeiras eleições em total conformidade com a lei americana e que se tivessem trocado os votos de um candidato pelo outro o eleito teria sido Algore? Por acaso conhece a lei eleitoral americana ou acha umas coisas sobre ela e tal confundindo todos esses achados com mais uma mão cheia de disparates? Disparates que se fundem em consonâncias ao longo da blogoesquerda…

    “Finalmente, se olhar para as Tag Cloud, verificará que Bush é menos falado que muitos outros assuntos.” Duvido que tenha olhado para a sua Tag Cloud com atenção. Em mais de 150 temas referidos por ela, quatro temas não podem ser considerados “muitos” temas. No entanto, só há quatro temas mais abordados do que “Bush”. Isto é representativo das preocupações dos redactores? Ou o senhor acha que não?

    (Agora um aparte. Independentemente da nossa discussão, desejo-lhe um bom ano novo. O que está dentro de parêntesis não pretende ser um disparate).

  12. Curioso diz:

    Caro Nuno Almeida,
    Embora ache que o meu comentario seja um curioso disparate não o vi contestar nenhuma das afirmações, dai que como tal depreendo que você faça uma certa confusão entre o que são disparates e o que são constatações.

    O seu silencio falou mais alto que qualquer outro texto que escreva!

  13. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Meu caro curioso,
    A conversa não tem nenhum sentido: você não prova nada do que diz.
    Morreram mais de 1 milhão de iraquianos da primeira guerra do golfo até hoje, em consequência directa e indirecta das duas guerras. A prestigiada revista Lancet fala em mais de 650 mil mortos em consequência da presente invasão do Iraque. Perante isto, você só manifesta uma fé pueril na bondade da administração Bush. O que é fraco para conversa. Mas tenho todo o gosto de ler a sua opinião, embora não possa concordar com ela.

Os comentários estão fechados.