Sequestro eleitoral

Daniel Ortega tem boas hipóteses de, ganhando as eleições deste domingo, voltar a ser presidente da Nicarágua, 16 anos depois. Mas o que no contexto político português se achará interessante é saber que, a poucos dias do acto eleitoral, anteontem mesmo, a Frente Sandinista que ele lidera estabeleceu um pacto com os partidos de direita para ilegalizar totalmente o aborto no país, que até agora estava permitido nos casos de violação, perigo para a saúde da mãe ou malformações do feto.
«Todos sabem que as mulheres endinheiradas, quando precisam de fazer um aborto, vão a Miami, e as sandinistas vão a Cuba.» A história aqui.

Sobre Ivan Nunes

QUINTA | Ivan Nunes
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.