Os dois Churchills

No Expresso desta semana (links só para leitores registados), para além do encómio de Rita Ferro Rodrigues a este blogue (que muito se agradece), vale a pena comparar o tratamento da figura de Churchill na coluna de João Carlos Espada (um “gentleman”) e na entrevista de Paul Preston a Francisco Bélard (um “cínico”), que ilustra particularmente bem o que distingue o grande académico britânico do outro académico que também gostaria de ser britânico.

PS: Ainda a propósito de Churchill, João Carlos Espada refere que Mussolini era um “ex-comunista”; está enganado, claro (Mussolini foi na sua juventude um socialista revolucionário de inspiração soreliana, e de Georges Sorel ao fascismo vai um muito pequeno passo), mas a admitir que a referência tem algum tipo de valor explicativo e que o nexo em questão é de natureza causal, deveremos também concluir que Espada, dado o seu passado na UJC(R) e na “Voz do Povo”, é hoje um fascista (reconstruído)?

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , . Bookmark the permalink.

3 respostas a Os dois Churchills

  1. Nuno Ramos de Almeida diz:

    O “reconstruído” é eufemismo.

  2. Bom dia,
    Não batam mais no professorinho Espada…é que ele ainda pede um subsídio ao governo.
    Cumprimentos

  3. jorge diz:

    E eu que o conheci tão bem noutros tempos…

    Era tão dogmático como agora. Só a farpela é que mudou

Os comentários estão fechados.