Ideologia neo-conservadora contra a ciência

Autor:
Rui Curado da Silva

Licenciatura em Engenharia Física – Univ. Coimbra
Doutoramento em Física Tecnológica – Univ. Louis Pasteur, Estrasburgo
Direcção da Sociedade Portuguesa de Astronomia entre 2003 e 2005
Principais publicações científicas nas revistas: Experimental Astronomy, Nuclear Instruments and Methods e IEEE Transactions on Nuclear Science.

Ideologia neo-conservadora contra a ciência

No passado 7 de Fevereiro, George Deutsch demitia-se do seu lugar de relações públicas da NASA, após um escândalo que envolvia a tentativa de censura de alguns investigadores da agência e a falsificação do seu curriculum vitae. George Deutsch que fora designado por George W. Bush para o lugar, ameaçou o climatologista da NASA James Hansen de terríveis consequências para a sua carreira se este continuasse a lançar alertas para a urgência em limitar a emissão de gases de efeito de estufa que contribuem para o aquecimento global. Numa outra ocasião, Deutsch deu ordens a um web designer para adicionar a palavra “teoria” sempre que se mencionasse o Big Bang no sítio internet da NASA.

Este é apenas um de uma série de episódios de falsificações e de ataques à comunidade científica norte-americana que estuda o aquecimento global por parte de grupos de pressão ligados à tendência neo-conservadora do Partido Republicano. Durante longos anos o empresário Glenn Kelly, que chefiava o grupo de pressão anti -Quioto intitulado Global Climate Coalition, liderou esta vaga de ataques até que uma sucessão interminável de resultados científicos que culminaram na publicação deste documento por 11 academias das ciências (EUA, Rússia, Canadá, Brasil, China, Japão, França, Itália, Índia, Alemanha e Reino Unido) dando conta da gravidade do aquecimento global do planeta, levaram a organização de Glenn Kelly a perder toda a sua credibilidade e os seus aderentes. Actualmente, o sítio internet da Global Climate Coalition está inactivo como se pode verificar.

Outra das grandes falsificações científicas de cariz neo-conservador visa a apologia do criacionismo como matéria científica escolar em vez de matéria de cariz espiritual como é prática normal nos seminários e nos institutos religiosos com credibilidade. A exposição de fósseis no Dakota do Sul que pretende demonstrar o advento do Dilúvio Universal é um dos exemplos dessa falsificação. Trata-se de uma falsificação rasca e ignorante que nada tem de elegante quando comparada com o cálculo da idade do mundo realizado por Santo Agostinho, com a demonstração da existência de Deus de Descarte ou com a busca da árvore genealógica completa até Adão e Eva elaborada pelos Mormons.

Não é de espantar que a comunidade científica americana tenha uma apreciação bastante negativa sobre o desempenho da neo-conservadora Administração Bush, como o ilustra o resultado
desta sondagem realizada pelo Pew Research Center em 2005 sobre a gestão do conflito iraquiano e da restante política internacional.

O novo livro de Richard

Dawkins (autor de “O Gene Egoísta”) intitulado The God Delusion e a edição hors-série a lançar no próximo dia 8 da revista Ciel et Espace, L’Univers a-t-il besoin de Dieu, são duas respostas enérgicas de quem na comunidade científica já percebeu o carácter organizado e profundamente político da tentativa medieval de retorno ao criacionismo.

O padrão que encontramos nestes ataques à ciência encaixam perfeitamente nos mecanismos de controlo social da ideologia neo-conservadora: o controlo do indivíduo através de um moralismo religioso validado por fraudes científicas e o controlo do colectivo confinando o grosso do lucro e da produtividade a grupos empresariais fiéis à ideologia (industrias do petróleo, tabaco e sector alimentar). A tentativa de introdução do criacionismo nas escolas é um exemplo do primeiro mecanismo e o negacionismo do aquecimento global é um exemplo de tentativa de eliminação de obstáculos ao bom funcionamento do segundo.

Sobre Joana Amaral Dias

QUARTA | Joana Amaral Dias
Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , , , . Bookmark the permalink.

9 respostas a Ideologia neo-conservadora contra a ciência

  1. António diz:

    e que por cá tambem vai tendo alguns adeptos como se pode ler aqui http://www.cienciahoje.pt/9001

  2. António diz:

    …no que ao aquecimento global diz respeito neste caso

  3. Gabriela diz:

    O Big Bang nao e’ uma teoria?

    Ideologia neo-conservadora?

    Primeiro mecanismo: as tendencias conservadoras na sociedade americana recrudesceram, com raizes religiosas cristas, que sao perfilhadas pela actual administracao americana. No segundo mecanismo ha’ um casamento da administracao americana e interesses corporativos que leva a tomada de posicoes contra tudo o que va’ contra estes interesses. E esta administracao ja’ demonstrou ate’ ‘a exaustao que mentir e falsificar e’ moeda corrente em tudo, sendo a ciencia mais um oponente. Sera’ que isto e’ uma ideologia ou um “modus operandis”?

  4. MP-S diz:

    Aparentemente, e’ pratica corrente dos neo-conservadores usar os grupos cristaos evangelicos para jogadas de lavagem de dinheiro (que pode vir das mais variadas proveniencias, como Moscovo!) em Washington; e usar esses mesmos grupos e a sua capacidade de mobilizacao a proposito dos “valores” para varias jogadas economicas. Vale a pena ver um bom documentario recente do Bill Moyers estas manigancias todas.

    http://www.democracynow.org/article.pl?sid=06/10/02/1321259

  5. burns diz:

    tirando os arabes , os africanos , o morales , o chavez e o fidel , tudo o resto sao neo-cons
    qt a falsificar curriculum , n sei se o vara ou o narciso foram penalizados por isso , o k sei é k o antigo selecionador nacional agora k é presidente do penafiel passou a doutor e n veio nenhum mal ao mundo

  6. jose carlos silva diz:

    Os esquimós garantem que a Gronelandia está a derreter mas a polémica instalada deixa qualquer um (neste caso eu)abananado.

    «”La météorologie est dans une véritable impasse conceptuelle depuis plus de 50 ans. […] L’hypothétique réchauffement de la planète est indubitablement une imposture sur le plan scientifique.” (Marcel Leroux, Fusion, mars-avril 2003). Mais qu’importe le débat scientifique ! Le catatstrophisme fait recette. Les medias donnent donc la parole aux climatologues les plus enclins a dresser un tableau apocalyptique du réchauffement. Toutefois, ce qui fait aujourd’hui la force de ces alarmistes fera demain leur faiblesse. Les lois de la vente d’information sont mieux connues que celles de la météorologie. La presse sait que, pour renouveler l’inquiétude du public, il faut renouveler la menace. On peut donc faire la prévision médiatique que voici. Tôt ou tard, le réchauffement lassera. La presse oubliera l’effet de serre, comme elle a oublié les pluies acides ou le trou d’ozone, et elle se mettra à vaticiner sur quelque autre risque de catastrophe. A la bourse des idées en vogue, on verra s’effondrer le cours de l’idée selon laquelle la planète se rechauffe dangereusement. Si vous n’avez pas vendu vos actions “réchauffement” a ce moment-la, elles ne vaudront plus rien…»
    O artigo está aqui: http://www.revuefusion.com/images/Art_095_36.pdf

  7. António:
    Já conhecia esse texto do autor do blogue pseudo-científico Mitos Climáticos. Se arranjar um tempinho aquilo não fica sem resposta.

  8. Gabriela:
    O prémio Nobel da Física atribuido esta semana premeia curiosamente a missão espacial COBE que contribuiu para demonstrar o evento do Big Bang, digamos com 98, 99% de certeza. Por princípio não se atribui o nome de teoria a fenómenos com este nível de certeza. Fica aqui a ligação e a parte do texto que o refere:

    http://nobelprize.org/nobel_prizes/physics/laureates/2006/press.html

    The COBE results provided increased support for the Big Bang scenario for the origin of the Universe, as this is the only scenario that predicts the kind of cosmic microwave background radiation measured by COBE.

    MPS:
    Obrigado, vou ver isso. 😉

    José Carlos Silva:
    Esse artigo é de 2003. Em 2003 havia imensamente mais dúvidas do que hoje sobre o aquecimento global. Desde então foram produzidos centenas de artigos científicos que apoiam a tese do aquecimento global. Curiosamente nos últimos dois anos não foi publicado nenhum artigo científico que o contrarie. Quando digo artigos científicos refiro-me artigos publicados em revistas da especialidade sujeitos à avaliação dos seus pares.
    A combinação deste dois gráficos recentes não deixa qualquer dúvida sobre o assunto:

    http://maps.grida.no/go/graphic/temperature_and_co2_concentration_in_the_atmosphere_over_the_past_400_000_years

    http://maps.grida.no/go/graphic/global_atmospheric_concentration_of_co2

  9. Gabriela diz:

    Curado da Silva,

    nao sabia que o nivel de certeza estava nesses valores relativamente ao Big Bang. Obrigado pela informacao. Estavamos todos habituados a designar “Teoria da Evolucao Natural”, porque sim, e presumo que isto vai deixar de ser assim.

    Agora a minha questao sobre o seu texto e’ que por ironia eu a le-lo tive a mesma sensacao que quando ouco o Bush e os seus acolitos sobre a guerra ao terrorismo e a forma como todos os paises maioritariamente islamicos sao definidos da mesmissima forma, sendo que a diferenca e’ so’ uma: o estas connosco ou contra nos e caso estejas contra nos e sejas islamico entao es terrorista. Muito simples e limpo.

    Eu trabalho paredes meias com a climatologia e nao vejo o cenario assim e parece-me ate’ contra-produtivo tomar uma posicao politica preto/branco na area da ciencia. E de novo tenho um flash-back de uma senhora que faz acampamentos com criancas para as ensinar no fanatismo religioso cristao e que explicava que era necessario fazer isto porque nos paises do medio oriente eles tambem o fazem. Ou seja, vamos lutar o fanatismo com maior fanatismo.

    Isto vai ser lindo. Deixa-me triste que, ate’ na ciencia, entre cientistas, estes raciocinios simplistas criem raizes.

Os comentários estão fechados.