Um filósofo na capital do móvel

Sob o título “Polémica de Alvalade provoca mal-estar”, o “Record” deu recentemente conta da reacção do Presidente do Paços de Ferreira, Fernando Sequeira, à polémica criada pelo golo marcado por Ronny com o braço há mais de uma semana frente ao Sporting.

Pode dizer-se que o Presidente do Paços não desmerece do avançado nem do treinador que tem: para ele “todo este alarido não faz sentido”: o que aconteceu “faz parte do futebol” e, mais, se o gesto incriminado desse lugar à repetição do jogo “isso seria o fim do futebol”.

Eu acho que Fernando Sequeira – fino dialéctico – vê largo e tem muita razão no que diz. Só por haver golos com a mão é que pode haver golos com o pé – e sem golos com o pé, o que seria do futebol? De facto, o futebol só se entende por também existir o andebol, tal como só se percebe o que é o fair-play quando se sabe o que é o “Apito Dourado”. Eu vou mesmo mais longe: só por existirem batoteiros é que pode haver pessoas de bem, e por isso é que daqui lhe digo: -Obrigado, Fernando Sequeira, por existir, porque isso faz-me sentir melhor.
 

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.