Jogos para crianças

Talvez cansados de ver os seus filhos brincar com jogos agnósticos, dois dos mais conhecidos autores da chamada “literatura evangélica” – Tim LaHaye e Jerry Jenkins – criaram um jogo de estratégia para computadores alusivo ao tema da segunda vinda de Cristo à Terra que foi lançado há poucos dias nos Estados Unidos e do qual se espera que venham a ser vendidas algumas dezenas de milhões de cópias.

De acordo com a France Presse, o novo jogo – que sob o nome “Eternal Forces” descreve a luta de um punhado de amigos do Bem contra as pérfidas “Forças de Manutenção da Paz Global”, capitaneadas pelo Anti-Cristo, no cenário de uma Nova Iorque pós-apocalíptica – procura capitalizar o êxito de bilheteira de filmes como “A paixão de Cristo” ou mesmo “As crónicas de Narnia”, que constituíram uma surpresa para muitos analistas do mercado do entertainment norte-americano.

“-Eternal Forces não faz apelos à jihad, não contém violência gratuita nem sexo de espécie nenhuma” – esclareceram os dois autores, que a Newsweek, em homenagem aos seus inúmeros best-sellers inspirados em temática bíblica, considerou em 2004 “os novos profetas da Revelação”. Os combatentes do Bem conseguem pontos através da oração e encontrando rolinhos perdidos das antigas escrituras, enquanto os partidários do Anti-Cristo recobram forças mediante a prática de actos malignos.

“-Através das escolhas que fizerem, os jogadores poderão despoletar actividades angélicas ou demoníacas de efeito espectacular” – explicaram ainda os autores, que apresentam “Eternal Forces” como uma alternativa aos jogos que lideram actualmente o mercado, como o “Grand Theft Auto”, em que os pontos são conseguidos através do roubo, do assassínio e de outras malfeitorias menores. Registe-se que, em caso de vitória, os jogadores são premiados com a execução de hinos à glória de Cristo e com dicas úteis sobre o que fazer em caso de Apocalipse.

Os analistas de mercado seguem com interesse a performance comercial deste novo jogo, reconhecendo-lhe claramente potencial para ser bem sucedido. “Eternal Forces” será vendido ao público a $49,95 dólares (cerca de €40) e uma associação evangélica – Megachurches, que reúne mais de 3.000 igrejas em todos os E.U.A. – ter-se-á comprometido a distribuir aos seus filiados versões de demonstração do jogo, que já foi testado junto do público de concertos de “rock cristão”, tendo merecido críticas entusiásticas.

Segundo a produtora do jogo, “Eternal Forces” já disporá também de um distribuidor na Europa, aguardando-se para breve a sua chegada entre nós.

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

5 respostas a Jogos para crianças

  1. l.rodrigues diz:

    Com isto, e “Jesus Camp” (a ver num documentário que estreou recentemente nos EUA) lançam-se os alicerces de um exército cristão capaz, finalmente, de rivalizar com os mais desvairados fundamentalistas islãmicos. E de caminho mandar uns ateus para o inferno.

  2. blue diz:

    sentada numa sala de onde é fácil observar hordas de estudantes nos rituais acéfalos das praxes, queimas-das-fitas e afins, não é difícil imaginar que o terreno está bem preparado para tão cativantes ideias (pseudo) virtuais.

  3. l.rodrigues diz:

    Já agora, e posto que é oum tema que me é próximo, é uma ideia errada a de que os jogos (em geral) sejam para as crianças. Estudos recentes apontam para que a idade média do “gamer” é 28 anos… Sobretudo se falarmos de PCs.

  4. antoniofigueira diz:

    “Jogos para crianças” é uma liberdade literária – e em qualquer caso eu referia-me à idade mental dos “gamers”…

  5. l.rodrigues diz:

    Daqueles que comprarão este jogo, certamente…

Os comentários estão fechados.